F1
12/11/2017 22:22

Grupo da Pirelli sofre tentativa de assalto e completa fim de semana de medo ao redor de Interlagos

A Pirelli foi mais uma vítima do final de semana em Interlagos. Apesar da promessa de aumento na segurança, a fabricante de pneus da F1 sofreu uma tentativa de assalto no final do dia da corrida
Warm Up, de Interlagos / VICTOR MARTINS, de Interlagos
 Pneus duros (Foto: Pirelli)

 O domingo à noite (12) não escapou incólume de tentativa de assaltos mesmo depois de promessas de aumento de segurança e força policial e de indicações da própria FIA. Um grupo de funcionários da Pirelli foi o alvo de criminosos na saída do autódromo de Interlagos.

As primeiras informações dão conta de que o pessoal da fornecedora oficial da F1 deixou a pista na zona sul de São Paulo no início da noite e sofreu uma tentativa de assalto. Nenhum pertence foi roubado, no entanto.
A Pirelli sofreu uma tentativa de assalto em Interlagos neste domingo (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
A prática foi comum ao mundo da F1 neste fim de semana. Na sexta-feira, o time da Mercedes teve levados relógios e passaporte; pessoal da Williams e da FIA sofreram também ameaças, mas conseguiram escapar sem ferimentos e perdas de pertences.

No sábado, foi a vez do grupo da Sauber ser a vítima. Pouco se falou do caso, mas não há registro de roubos.

Informações dão conta de a polícia já não estava mais presente no entorno do autódromo como prometido desde 17h locais, cerca de uma hora e meia depois do fim da corrida.

A equipe da Pirelli, única fornecedora de pneus da F1, permanece ainda em São Paulo ao menos até quarta-feira. Isso porque está previsto dois dias de testes de compostos para a temporada 2018 na pista de Interlagos. A McLaren é o time que vai participar das atividades com a fabricante italiana. 

Os assaltos
 
Profissionais das equipes da Mercedes e da Williams sofreram um assalto a mão armada na noite desta sexta-feira (10) na saída do autódromo de Interlagos. Não houve feridos pelos primeiros relatos, mas a situação gerou uma crítica dura de Lewis Hamilton. O tetracampeão usou as redes sociais para externar a preocupação com a falta de segurança na região do circuito paulistano. Já que não é a primeira vez que profissionais da F1 são vítimas da violência em São Paulo.
 
Por meio de seu perfil no Twitter, Hamilton revelou que os criminosos chegaram a disparar tiros no momento da abordagem na van que trazia os membros da Mercedes. Além disso, as pessoas ficaram na mira das armas. Ainda que ninguém tenha se referido, alguns pertences foram roubados como relógios e até passaportes.
 
O GRANDE PRÊMIO apurou com as equipes envolvidas que os eventos aconteceram entre 19h e 20h de sexta-feira (em Brasília). Os relatos envolvem diferentes situações na Avenida Interlagos, no entorno do circuito, e a tentativa de assalto a uma van da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).
 
No sábado, foi a vez da Sauber ser abordada nos arredores do autódromo, mas a equipe suíça não quis dar maiores detalhes ao ser questionada pelo GP.

O GRANDE PRÊMIO e o MSN Esportes acompanham 'in loco' o GP do Brasil com Flavio Gomes, Victor Martins, Evelyn Guimarães, Fernando Silva, Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum, Vitor Fazio, Américo Teixeira Jr. e Rodrigo Berton direto de Interlagos. Acompanhe a cobertura aqui e todos os detalhes AO VIVO e em TEMPO REAL aqui.
 
GERAÇÃO PRIVILEGIADA

F1 TEM ÓTIMA CLASSE EM 2017. E É BOM DEMAIS VÊ-LA EM AÇÃO