F1

Há exatos 30 anos, Piquet completava pódio do GP da África do Sul e se tornava bicampeão mundial de F1

Então piloto da Brabham, brasileiro chegou ao circuito de Kyalami como vice-líder do campeonato de 1983, que era liderado por Alain Prost. Mas graças a duas vitórias seguidas nas duas etapas anteriores – Itália e Europa – e um terceiro lugar na prova africana, Nelson ficou com o bicampeonato e se igualou a Emerson Fittipaldi

Warm Up / HUGO BECKER, de Guarulhos
 

Há exatos 30 anos, em 15 de outubro de 1983, Nelson Piquet cruzava a linha de chegada do GP da África do Sul na terceira posição e se consagrava como bicampeão mundial de F1 – conquista que o colocava de vez entre os grandes de sua geração e, posteriormente, da história da categoria. A prova foi realizada no circuito de Kyalami, em Joanesburgo.
 
Naquele árido sábado sul-africano, Piquet tinha que reverter a vantagem de Alain Prost, que chegava à 15ª e última prova daquela temporada como líder do campeonato, com 57 pontos, contra 55 de Nelson. O momento do brasileiro, porém, era de plena ascensão, vindo de duas vitórias seguidas, nos GPs da Itália (Monza) e da Europa (Brands Hatch). 
Nelson Piquet na liderança do GP da África do Sul de 1983 (Foto: Patrick Jarnoux/Getty Images)
A pole-position para a corrida final de 1983 ficou com Patrick Tambay, da Ferrari. Piquet e Riccardo Patrese, ambos da Brabham, vinham logo atrás. Na largada, o melhor cenário possível se desenhou: o então vice-líder do campeonato assumiu a liderança e foi escoltado pelo italiano, que pulou para segundo e passou a controlar o ritmo do pelotão.
 
Prost vinha em situação completamente desfavorável. Largando em quinto, havia conseguido subir à quarta colocação, mas a combinação das posições, naquele momento, não lhe dava o título. Nem mesmo o terceiro lugar, que alcançou ainda na primeira parte da prova, seria suficiente enquanto seu rival tupiniquim estivesse na liderança.
 
Mas o pior ainda estava por vir: na 34ª volta, o francês parou nos boxes para o que parecia ser uma simples troca de pneus, mas, com problemas no turbo de sua Renault, deixou o carro e abandonou o GP, o que praticamente decidiu o título.
Visionário, Prost criou, em 1983, a expressão facial para o termo 'fuén' (Foto: Patrick Jarnoux/Getty Images)
Com Prost fora, Piquet poderia chegar até em quarto lugar que seria bicampeão. Desta forma, diminuiu o ritmo e passou a poupar o fôlego de seu motor BMW, o que permitiu a aproximação e ultrapassagem não só de seu companheiro de equipe, Patrese, como também do azarão Andrea de Cesaris, que vinha em boa atuação com sua Alfa Romeo.
 
Todos ficaram felizes: a Itália celebrou sua dobradinha, Patrese chegou à primeira vitória no ano, De Cesaris conquistou o terceiro dos cinco pódios de sua acidentada carreira e Piquet levou seu segundo título de forma soberba, graças à arrancada no fim da temporada. O resultado o igualava ao pai da dinastia brasileira na F1, o também bicampeão Emerson Fittipaldi, que naquela altura já tentava a sorte na América.

Outros tempos, aqueles...
Prost parabeniza Piquet após GP da África do Sul (Foto: Patrick Jarnoux/Getty Images)

F1 1983, GP da África do Sul, Kyalami, Final:

1 Riccardo PATRESE ITA Brabham BMW 1:33:25.708 77 voltas
2 Andrea DE CESARIS ITA Alfa Romeo +9.319  
3 Nelson PIQUET BRA Brabham BMW +21.969  
4 Derek WARWICK ING Toleman Hart +1 volta  
5 Keke ROSBERG FIN Williams Honda +1 volta  
6 Eddie CHEEVER EUA Renault +1 volta  
7 Danny SULLIVAN EUA Tyrrel Ford +2 voltas  
8 Marc SURER SUI Arrows Ford +2 voltas  
9 Thierry BOUTSEN BEL Arrows Ford +3 voltas  
10 Jean-Pierre JARIER FRA Ligier Ford +4 voltas  
11 Niki LAUDA AUT McLaren TAG +6 voltas NC
12 Kenny ACHESON ING RAM Ford +6 voltas  
  Nigel MANSELL ING Lotus Renault 68 voltas NC
  Raul BOESEL BRA Ligier Ford 66 voltas NC
  Michele ALBORETO ITA Tyrrel Ford 60 voltas NC
  Patrick TAMBAY FRA Ferrari 56 voltas NC
  Bruno GIACOMELLI ITA Toleman Hart 56 voltas NC
  Alain PROST FRA Renault 35 voltas NC
  Corrado FABI ITA Osella Alfa Romeo 28 voltas NC
  Elio DE ANGELIS ITA Lotus Renault   20 voltas NC
  John WATSON ING McLaren TAG   18 voltas NC
  René ARNOUX FRA Ferrari   9 voltas NC
  Mauro BALDI ITA Alfa Romeo   5 voltas NC
  Manfred WINKELHOCK ALE ATS BMW   1 volta NC
  Jacques LAFFITE FRA Williams Honda   1 volta NC
  Piercarlo GHINZANI ITA Osella Alfa Romeo   1 volta NC