Haas volta atrás e permite que Force India receba com antecedência premiação por quarto lugar no Mundial de F1

A Haas queria resolver seus dilemas com a FIA antes de permitir o adiantamento na premiação da Force India. Após recuperar dinheiro dado à entidade em 2015, os americanos voltaram atrás e abortaram o veto dado semanas atrás

 
O entrave que surgiu entre Haas e Force India já está resolvido. Semanas após os americanos vetarem o adiantamento da premiação do Mundial de Construtores, pedido feito pelos indianos para aliviar as finanças, uma reviravolta nos bastidores bastou para que todos ficassem felizes.
 
A Haas queria recuperar os 20 milhões de dólares – aproximadamente R$ 63 milhões de reais que havia dado à FIA no final de 2015, uma espécie de garantia da participação em pelo menos duas temporadas da F1. Como a equipe já se comprometeu a disputar o campeonato de 2017, formou-se uma disputa nos bastidores para adiantar o retorno do dinheiro – que só deveria ser pago nos próximos meses.
 
Em outras palavras, a Haas bloqueou o adiantamento da Force India enquanto não tivesse garantias de que receberia seu próprio adiantamento. De acordo com a revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, os americanos não queriam prejudicar os indianos, mas sim pressionar a FIA nos bastidores.
Force India e Haas resolveram seus problemas (Foto: Force India)
Agora tanto Haas quanto Force India conseguiram o dinheiro que desejavam. Isso é crucial nesta época do ano – o desenvolvimento dos revolucionários carros de 2017 está em fase final, o que exige saúde financeira das escuderias de F1.
 
Para a Force India, o dinheiro era particularmente importante. A equipe ficou em quarto no Mundial de Construtores de 2016, o que representa um recorde na premiação da equipe.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube