Hamilton acerta na estratégia e vence GP agitado da Fórmula 1 em Ímola

Corrida chata em Ímola? No começo, sim. No final, certamente não: uma prova com acidentes e reviravoltas voltou a ter Lewis Hamilton no alto do pódio, novamente com Valtteri Bottas em 2°. Daniel Ricciardo lucrou em cima do abandono de Max Verstappen e foi 3°

Parecia ser uma corrida morna em Ímola neste domingo (1°), mas o GP da Emília-Romanha acabou sendo um agito. A prova que começou morna e com domínio de Valtteri Bottas acabou com um safety-car virtual ajudando Lewis Hamilton, que assumiu a primeira colocação e partiu para a vitória.

Hamilton terminou a primeira volta em terceiro, atrás também de Max Verstappen. Só que o britânico acertou em cheio ao adiar a primeira parada, ganhando pista livre e a chance de se beneficiar do safety-car virtual causado pelo abandono de Esteban Ocon.

Lewis Hamilton venceu o GP da Emília Romanha (Foto: AFP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Antes do safety-car virtual, Bottas tinha chances reais de vitória. O finlandês tinha ritmo forte, mas foi traído por um assoalho danificado e por uma estratégia que não encaixou. Detritos na pista causaram problemas no #77, que ficou extremamente vulnerável. Valtteri só garantiu um segundo lugar por conta do abandono de Verstappen, vítima de um pneu furado.

Daniel Ricciardo aproveitou o abandono de Verstappen e um erro estratégico da Racing Point com Sergio Pérez para voltar ao pódio. É o segundo do australiano nas últimas três corridas. Daniil Kvyat, que ganhou terreno nas voltas finais, conseguiu um ótimo quarto lugar. O russo compensou o abandono de Pierre Gasly por problemas mecânicos, isso ainda nas primeiras voltas.

Charles Leclerc completou o top-5. Pérez trocou um possível pódio pelo sexto lugar ao fazer um segundo pit-stop. Carlos Sainz Jr., Lando Noris, Kimi Räikkönen e Antonio Giovinazzi fecharam a zona de pontos.

A prova teve duas batidas, e em circunstâncias bem diferentes. Verstappen teve pneu furado e acabou atolado na brita. George Russell, por sua vez, errou sozinho sob safety-car, enchendo o muro e se despedindo de chance clara de pontuar.

Saiba como foi o GP da Emília-Romanha

Antes da largada, a direção de prova confirmou as escolhas de pneus dos pilotos para a largada. Fora do top-10, forçado a usar os pneus do Q2 e apenas com Hamilton, Bottas e Verstappen de médios, todo mundo optou por médios também. Só Giovinazzi, 20° e último, escolheu os macios.

A largada foi ótima para Bottas. O finlandês largou muito bem e, de quebra, viu Verstappen tomar o segundo lugar das mãos de Hamilton. Ricciardo subiu para quarto, deixando Gasly em quinto.

Valtteri Bottas assegurou o segundo lugar (Foto: Mercedes)

Mais atrás, incidentes: Stroll tocou a traseira de Ocon, danificando a asa dianteira e precisando de pit-stop ainda na primeira volta. Magnussen, por sua vez, foi rodado após toque de Vettel.

A primeira volta se encerrou com a seguinte ordem: Bottas, Verstappen, Hamilton, Ricciardo, Gasly, Leclerc, Albon, Kvyat, Norris e Sainz.

Bottas, mesmo com ar limpo, não conseguia abrir grande vantagem. Quatro voltas se passaram e Verstappen ainda estava apenas 0s9 atrás e podendo usar DRS. O mesmo valia para Hamilton, só 0s7 atrás do holandês. Ricciardo, por sua vez, surgia já 5s atrás e longe da luta pelo pódio. Parte disso era o carro pior, mas parte disso também era o aparente desempenho ruim dos pneus macios.

A sexta volta trouxe a primeira ultrapassagem no top-10. Sainz atacou Norris, que nem resistiu muito em uma possível ordem de equipe da McLaren. Pérez, 11°, estava em posição de atacar o espanhol, encaixotado atrás do não tão veloz britânico.

Pouco depois, drama na AlphaTauri. Gasly, que já teve problemas no grid de largada, foi forçado a abandonar no oitavo giro. A chance de conseguir um novo top-5 escapava, com Leclerc agora surgindo em quinto. O monegasco estava pressionado por Albon e Kvyat. Sainz e Norris ficavam mais atrás, ainda acompanhados por Pérez, agora na zona de pontos.

A volta 12 trazia problemas para Hamilton. O britânico não conseguia acompanhar Verstappen, surgindo 1s5 atrás, e começava a sofrer com desgaste de pneus. Estava claro que o ciclo de pits se aproximava.

E o ciclo de pits chegou. Russell foi o primeiro nos boxes, começando um efeito dominó. Leclerc, Norris e Ocon vieram aos boxes na 14, seguidos por Ricciardo, Albon e Kvyat na 15. A ordem não se alterou: Ricciardo, Leclerc, Albon, Kvyat e Norris seguiam um atrás do outro. Os quatro primeiros com duros, só Lando com médios, pensando em duas paradas.

Daniel Ricciardo voltou ao pódio (Foto: Renault)

A volta 19 reservou a parada de Verstappen, que colocou pneus duros. A Mercedes decidiu proteger a liderança de Bottas, que parou na 20 para fazer a mesma coisa. A exceção era Hamilton, que pediu para ficar tanto tempo quanto possível na pista, apostando em voltas rápidas com pista livre para superar Max.

A corrida ganhava uma reviravolta: Hamilton fez a volta mais rápida, deixando claro que estava na briga pela vitória ainda. Enquanto isso, Bottas arranjava um problema: a Mercedes notou danos no assoalho, o que deixava Valtteri notoriamente mais lento. O #77 segurava o #33.

A volta 28 esquentou a briga no pelotão médio. O grupo de pilotos que pararam mais cedo estava preso atrás de Magnussen, com Ricciardo demorando muito para fazer uma manobra. Kevin eventualmente cedeu e foi ultrapassado aos montes, mas já era tarde: Pérez, no fim dessa fila, fez o pit-stop e voltou à frente de Ricciardo. Ao fim do ciclo, o mexicano subiria para quarto.

Na 31, Hamilton ganhou um presentão. Ocon abandonou com problemas mecânicos, estacionando na beira da pista e forçando safety-car virtual. Lewis pôde fazer seu pit-stop e perder muito menos tempo, voltando na liderança.

A corrida se aproximava da metade com a seguinte ordem: Hamilton, Bottas, Verstappen, Vettel, Räikkönen, Latifi, Pérez, Ricciardo, Leclerc e Albon. Sebastian, Kimi e Nicholas ainda precisavam parar.

Os três fizeram seus pits, todos voltando fora da zona de pontos. No caso de Vettel, com doses de sadismo: o alemão teve um pit-stop tenebroso, com três dos quatro pneus demorando para serem trocados. A parada custou 13s e qualquer esperança de um bom resultado.

George Russell perdeu o controle do carro e bateu no muro enquanto o safety-car estava na pista (Foto: Reprodução/Twitter F1)

Verstappen colocava pressão em Bottas, mas sofria para ultrapassar. A diferença entre os dois estabilizou em 0s8, com Hamilton abrindo 8s e podendo apenas administrar a situação.

Bottas, errático, parecia convidar Verstappen para uma luta por posição. O finlandês errou na saída da Rivazza, antes da reta principal, e quase perdeu a posição. Mais algumas voltas e, com o mesmo erro, entregou a segunda posição de bandeja.

A volta 50 virou a corrida de cabeça para baixo. Verstappen teve alguma falha na traseira do carro, com o pneu explodindo em plena reta. O holandês atolou na brita, próximo da pista, e forçou o safety-car. Hamilton e Bottas aproveitaram para colocar macios e seguir em primeiro e segundo. Pérez, momentaneamente em terceiro, também parou, mas caindo para sexto.

A relargada foi intensa. Pérez foi para cima com macios contra pilotos com duros, sonhando em recuperar o pódio. A primeira ultrapassagem veio contra Albon na Villeneuve. O tailandês acabou rodando sozinho após a curva, sendo forçado a parar novamente e ficando fora de combate.

Poucas curvas depois, excelente manobra de Kvyat contra Leclerc, tomando o quarto lugar com criatividade na parte mista do traçado.

Isso tudo, entretanto, não mudava em nada a luta pelo pódio. Hamilton venceu, seguido por Bottas e Ricciardo.

F1 2020, GP da Emília-Romanha, Ímola:

1L HAMILTONMercedes
2V BOTTASMercedes+5.783
3D RICCIARDORenault+14.320
4D KVYATAlphaTauri Honda+15.141
5C LECLERCFerrari+19.111
6S PÉREZRacing Point Mercedes+19.652
7C SAINZ JRMcLaren Renault+20.230
8L NORRISMcLaren Renault+21.131
9K RÄIKKÖNENAlfa Romeo Ferrari+22.224
10A GIOVINAZZIAlfa Romeo Ferrari+26.398
11N LATIFIWilliams Mercedes+27.135
12S VETTELFerrari+28.453
13L STROLLRacing Point Mercedes+29.163
14R GROSJEANHaas Ferrari+32.935
15A ALBONRed Bull Honda+57.284
16G RUSSELLWilliams Mercedes+12 voltasNC
17M VERSTAPPENRed Bull Honda+13 voltasNC
18K MAGNUSSENHaas Ferrari+17 voltasNC
19E OCONRenault+36 voltasNC
20P GASLYAlphaTauri Honda+55 voltasNC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube