F1

Hamilton admite que derrota para Massa em 2008 seria tragédia mental: “Não sei como ia me recuperar”

O multicampeão da F1 Lewis Hamilton hoje está na história, mas começou a ser formado há dez anos, em 2008, quando ultrapassou Timo Glock na última volta do GP do Brasil para ser campeão. Segundo ele, uma derrota naquela ocasião seria completamente devastadora e tinha o poder de mudar o rumo da carreira
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Lewis Hamilton comemora com McLaren, pai e irmão (Foto: McLaren)

Lewis Hamilton está com o nome sublinhado na história da F1. É pentacampeão mundial, tem tudo para fortalecer os números e se tornar o maior de todos os tempos em termos estatísticos. Mas o começo da história vencedora poderia também mandar Hamilton por uma trilha completamente oposta. É a avaliação do próprio Lewis sobre o GP do Brasil de 2 de novembro de 2008.
 
Hamilton precisava ser apenas o quinto colocado para se sagrar campeão daquela temporada. Tinha o resultado até poucas voltas antes do fim, quando errou a tangência de uma curva e foi ultrapassado por Sebastian Vettel. Felipe Massa venceu a corrida e, naquele momento, conquistava o título. Mas Hamilton, nos últimos metros, ultrapassou um vacilante Timo Glock e recuperou o quinto lugar. Foi campeão, pois.
 
No ano anterior, Hamilton tinha o título nas mãos ainda como novato e uma sequência de erros acabou custando a conquista. Segundo Lewis, uma nova derrota em tais condições teria sido digna de derrubá-lo.
 
"A derrota de 2007 foi definitivamente uma das mais, senão a mais, devastadora experiência. Ainda que eu não esperasse vencer no primeiro ano, o estresse e as dificuldades de passar pelo noviciado também eram muita coisa para uma cabeça ainda imatura, como era a minha", avaliou em entrevista à rede de TV ESPN.
Lewis Hamilton (Arte: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
"Depois eu tive que sair do fundo do poço onde eu estava no fim de 2007, voltar em 2008, ser forte, vencer a primeira corrida e chegar ao fim do ano de novo [com uma derrota]... Eu não sei como eu iria me recuperar daquilo", seguiu.
 
Questionado sobre se a carreira poderia ter tomado outra direção caso 2008 terminasse em nova derrota, assentiu.
 
"Eu acho que sim. Não sei como esportistas encontram forças para se recuperar. Sei que muitas coisas piores podem acontecer na vida, mas, quando você está numa baixa mental, tem gente ótima que passa por uma derrota e tem dificuldade de dar a volta por cima", encerrou.
 
A temporada de 2018 segue no próximo fim de semana com o GP do Brasil.

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br