F1

Hamilton admite que GP do México “foi horrível”, mas vibra com tetra da F1: “Vou levar algum tempo para entender isso”

Lewis Hamilton entrou de vez para a história da F1 como um dos grandes ao confirmar o tetracampeonato neste domingo (29) de GP do México. Mas a conquista não foi tão fácil como ele e ninguém imaginou depois de todo o drama na largada, o furo no pneu traseiro e a enorme dificuldade para escalar o pelotão depois disso. Mas o nono lugar da prova veio coroar um momento mágico, que ainda não foi totalmente assimilado pelo piloto
Warm Up, do Hermanos Rodríguez / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)

As primeiras curvas após a largada do GP do México quase fizeram cair por terra a chance de Lewis Hamilton festejar o tetracampeonato neste domingo (29) no Autódromo Hermanos Rodríguez. Depois de um ligeiro toque entre Max Verstappen e Sebastian Vettel, Lewis veio por fora para tentar superar o alemão, mas após outro toque, teve o pneu traseiro furado, caindo para último. Daí em diante, o britânico empreendeu uma jornada complicada, lidou com dificuldades para passar outros carros, até viu a bandeira azul se acenada para liberar passagem para o líder Verstappen. Mas depois de todo o sufoco, encerrado com um incrível duelo travado com Fernando Alonso nas últimas voltas, Lewis tirou o grito de tetracampeão da garganta. E se emocionou diante da multidão mexicana.
 
Mas Hamilton admitiu que não foi a melhor forma de celebrar o título pelo jeito como a corrida se desenrolou depois da largada. “Foi uma maneira horrível, pra ser sincero, mas o que eu poderia fazer? Eu disse a você que não seria fácil na curva 1. Não acho que fui tão agressivo. Coloquei meu carro numa posição perfeita e deixei muito espaço para o carro que vinha atrás”, comentou o novo tetracampeão em entrevista à emissora britânica Sky Sports.
 
Hamilton invocou o título do poema, cuja mensagem estampa seu capacete para ressaltar sua reação ao longo da corrida, fazendo o suficiente para somar dois pontos e confirmar o título independente do resultado de Vettel, que cruzou a linha de chegada em quarto lugar. “Ainda assim me levanto. Continuei dando a volta por cima”, disse.
Lewis Hamilton se emocionou com a conquista histórica lograda neste domingo no México (Foto: Mercedes)
O piloto não perdeu a chance de agradecer a todos os funcionários da Mercedes, seja na base da equipe ou na fábrica de motores, por uma glória que veio com duas etapas de antecipação, mas com muita dificuldade por conta da grande evolução obtida pela Ferrari, sobretudo na primeira parte do campeonato.
 
“Preciso agradecer demais a todos os caras de Brixworth e Brackley, obrigado a todos vocês pelo trabalho duro. Vencer o Mundial de Construtores neste ano já foi uma enorme façanha, mas me ajudar a alcançar esta conquista incrível... eu sou muito grato”, afirmou.
 
“Hoje foi muito incomum. Estar 40s atrás é horrível, como estar numa terra de ninguém. Eu só tinha de seguir pensando em frente. Não tinha ideia do que estava acontecendo para o campeonato. Eu só estava pensando sobre como alcançar [os caras] e estar envolvido na corrida. Tentar passar o pessoal foi um desastre”, recordou o piloto.
 
Maravilhado com a conquista, Hamilton contou que ainda não assimilou bem o nível que acaba de alcançar.
 

“Sinto que deveria levar as coisas um dia de cada vez. Estou muito feliz com esse tetra. Vou levar algum tempo para entender isso, mas estou orgulhoso da bandeira e de todos os que a representam. Espero que todos os que estejam assistindo estejam felizes com o resultado deste ano, e eu vou continuar elevando o nível o máximo que eu puder", finalizou.
 
VIGIAR E PUNIR

COM GALID OSMAN, PADDOCK GP #101 QUESTIONA: VERSTAPPEN MERECEU PUNIÇÃO EM AUSTIN?