F1

Hamilton alerta que pneus de 2018 são piores que atuais e dificultam briga por posição

Lewis Hamilton reagiu com preocupação à possibilidade de os pneus de 2018 substituírem os de 2019 na F1. Além de não gostar do comportamento dos compostos antigos, o britânico sente que algumas equipes trabalham apenas pelo ganho próprio

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
A possível volta da Fórmula 1 aos pneus de 2018, reagindo aos comentários negativos de equipes como Ferrari e Red Bull, deixa Lewis Hamilton preocupado. O piloto da Mercedes acredita que a decisão seria um erro grave, prejudicando as disputas por posição e piorando as corridas.
 
“Amanhã cedo eles vão ter uma reunião com o pessoal dos pneus”, comentou Hamilton. “Estamos todos unidos nisso, então espero que algum piloto esteja lá. Ele não precisa dizer algo, mas ele pode dizer que ‘olha, não é assim’, caso eles estejam indo no caminho errado”, seguiu.
 
O temor de Hamilton se baseia no comportamento dos pneus de 2018 em comparação com os de 2019. Lewis se lembra que os compostos antigos superaqueciam com facilidade, o que impedia o piloto que vem atrás de seguir um adversário sem desgastar a borracha.
 
“Digo isso porque, por exemplo, eu ouvi que querem trazer de volta os pneus de 2018, que eram piores do que os desse ano. Ano passado você precisava cuidar das temperaturas dos pneus, o que significa tirar mais o pé, ter mais bolhas. Era muito pior. Você não conseguia, por exemplo, fazer o que eu fiz na corrida passada, ou mesmo em Montreal, quando consegui pressionar o Seb [Vettel]. Você não conseguia fazer isso com os pneus do ano passado”, explicou.
Lewis Hamilton não quer saber de mudança nos pneus da F1 (Foto: AFP)
Além da questão da qualidade das corridas, existe uma queda de braço nos bastidores. Ferrari e Red Bull se sentem prejudicadas com os compostos de 2019. Helmut Marko, consultor da equipe de Milton Keynes, inclusive insinuou favorecimento à Mercedes. A Pirelli reagiu prometendo ouvir críticas e trabalhar na busca por soluções, mas apenas para a temporada 2020.
 
Caso os pneus só mudem na próxima temporada, Hamilton ficará satisfeito. O britânico teme que mudanças aconteçam na F1 apenas com egoísmo de equipes em mente.
 
“Isso é um exemplo de equipes querendo coisas diferentes para alcançar seus próprios objetivos, ao invés dos [objetivos] do esporte. Precisamos de soluções para todos, se possível, e não para ganhos individuais. É para melhorar o esporte e as disputas em geral”, encerrou.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.