F1

Hamilton aproveita cochilo da Red Bull em parada de Ricciardo, vence em Mônaco e renasce na temporada

Lewis Hamilton está, sim, vivo na temporada em que busca o tetracampeonato. Claro, o britânico contou com uma ajuda providencial da Red Bull, que cochilou na parada de Daniel Ricciardo para colocar pneus de pista seca. O britânico deu o 'pulo do gato', assumiu a liderança e venceu pela primeira vez no ano. Nico Rosberg fez uma corrida bem apagada e foi só o sétimo. Felipe Massa foi em décimo e Felipe Nasr bateu em Marcus Ericsson e abandonou

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré

O GP de Mônaco cumpriu com seu tradicional script e proporcionou ao fã da F1 uma grande corrida neste domingo (29). A sexta etapa da temporada 2016 do Mundial de F1 começou, como previsto, com pista molhada, e fez com que muitos pilotos ficassem pelo caminho, como Jolyon Palmer, logo no começo, e o novo xodó do esporte, Max Verstappen. Mas o asfalto secou, e os times usaram pneus para pista seca. Na parada decisiva, a Red Bull dormiu no ponto com o pole e então líder, Daniel Ricciardo. Lewis Hamilton, que fez grande corrida, estava no momento certo e na hora exata para fazer a ultrapassagem e seguir até o fim para vencer pela primeira vez na temporada. Foi a vitória #44 do #44 na carreira.

A vitória de Hamilton vem justamente na contramão do pior desempenho de Nico Rosberg no ano. O alemão ainda se sustenta na liderança do campeonato, mas terminou o GP de Mônaco apenas em sétimo. Nico teve um desempenho sofrível e andou num ritmo bem mais lento em relação a Lewis, tanto que a própria Mercedes ordenou que Rosberg abrisse passagem para o britânico no início da corrida. O resultado, no fim das contas, representa o renascimento de Hamilton na temporada.

Ricciardo ainda terminou em segundo, mas novamente fica o gosto amargo da frustração de quem tinha tudo para voltar a vencer na F1 e alcançar a glória no Principado. Mas, ainda assim, a corrida consolida a boa forma da Red Bull nesta fase da temporada. Destaque para a surpreendente performance de Sergio Pérez. O mexicano brilhou, não cometeu erros e garantiu mais um pódio para a Force India ao cruzar a linha de chegada no Principado em terceiro, superando Sebastian Vettel, que terminou em quarto. Fernando Alonso, com uma prova consistente neste domingo, completou o top-5 e garantiu mais dez pontos para a McLaren em 2016.
Lewis Hamilton triunfou em Mônaco após cochilo da Red Bull (Foto: BBC/Twitter)
Nico Hülkenberg garantiu mais pontos preciosos para a Force India ao terminar em sexto, depois de superar Rosberg na última volta. O alemão fechou à frente de Carlos Sainz Jr, da Toro Rosso. Jenson Button colocou a McLaren de novo nos pontos, enquanto Felipe Massa se recuperou para terminar em décimo. Felipe Nasr se envolveu em um acidente com Marcus Ericsson, com os dois pilotos da Sauber abandonando, abrindo nova crise na equipe suíça.

Com os resultados deste domingo, Rosberg se mantém na liderança e soma 106 pontos. Hamilton voltou à vice-liderança e agora tem 82. Daniel Ricciardo subiu para terceiro, com 66, enquanto Kimi Räikkönen, que abandonou, permanece com 61. Sebastian Vettel fecha o top-5, com 60. Graças ao ponto somado neste GP de Mônaco, Massa fica com 37, um a menos em relação a Verstappen.

Saiba como foi o GP de Mônaco de F1


Debaixo de chuva, a corrida começou sob o regime do safety-car, ou seja, com todos os 22 carros atrás do carro de segurança. O volume de água era bastante intenso, de modo que a direção de prova optou por um início de corrida considerado mais seguro, embora criticado por muitos fãs da F1. Ainda na primeira volta, Kvyat entrou nos boxes para trocar o volante da sua STR11. Mas o russo seguia com problemas e se arrastava na pista.

Ricciardo era o líder, seguido pelas Mercedes de Rosberg e Hamilton. A situação deixava muitos pilotos impacientes, porque, no fim das contas, o que todo mundo queria era só uma coisa: corrida. "A pista está pronta agora. Vamos!", disse Kevin Magnussen via rádio na sexta volta da disputa, ainda sob bandeira amarela. "O spray agora está bem melhor, vamos largar", declarou Hamilton.
O safety-car foi o protagonista do começo da corrida em Mônaco (Foto: Twitter)
No fim da volta 7, finalmente o safety-car deixou a pista, e a corrida começou pra valer em Monte Carlo. Foi uma largada até tranquila, com Ricciardo seguindo na ponta, à frente das Mercedes de Rosberg e Hamilton, com Vettel em quarto e Hülkenberg em quinto. Mas a corrida logo voltou a ter safety-car, mas virtual. Jolyon Palmer concluiu sua jornada medíocre em Mônaco ao aquaplanar na 'reta' dos boxes e bater forte sua Renault no guard-rail.

Pilotos como Nasr, Button, Kvyat e Magnussen entraram nos boxes para colocar pneus intermediários. Era um risco, já que a pista ainda estava bem molhada.
Jolyon Palmer bate forte em Mônaco (Foto: Twitter)
A corrida voltou ao normal na décima volta, com Ricciardo escapando na frente e Rosberg tentando segurar o segundo lugar, mas Hamilton buscava atacar o companheiro de equipe. Vettel, num ritmo mais conservador, aparecia em quarto lugar, seguido por Hülkenberg.

Em seguida, Kimi Räikkönen tocou no guard-rail e teve a asa dianteira da sua Ferrari bastante danificada. No grampo da Loews, Romain Grosjean e Felipe Massa escaparam de uma batida no carro do finlandês, que se arrastou até a próxima área de escape para ser o segundo piloto a abandonar a prova. Em contrapartida, Vettel entrava nos boxes para colocar pneus intermediários, sendo mais um a arriscar em Monte Carlo, assim como Fernando Alonso.

Na volta 16, Rosberg entrou num ritmo mais lento de corrida e permitiu que Hamilton assumisse com facilidade a segunda posição. A Mercedes confirmou que deu ordem para que o alemão abrisse passagem para seu companheiro de equipe. Mas a vantagem de Ricciardo para o britânico era gigante, mais de 13s. Por sua vez, Nico era pressionado por Carlos Sainz. Mais atrás, Vettel já era o sétimo lugar e passou Felipe Massa, mas teve de devolver a posição para o brasileiro após passar reto na chicane após o túnel.

Hamilton continuava rápido e buscava se aproximar de Ricciardo antes de fazer sua parada para colocar os intermediários, que eram mesmo melhores àquela altura da corrida, na volta 21. Mas quem entrou nos boxes foi Rosberg para colocar os pneus 'verdes'. Massa também chegou nos pits para fazer sua parada. Enquanto isso, Verstappen escalava o pelotão e era o 11º.
Kvyat acerta Magnussen na entrada da Rascasse (Foto: Twitter)
Numa disputa de posição bastante acirrada entre Magnussen e Kvyat, os dois se tocaram na entrada da Rascasse, com o piloto da Toro Rosso bem por dentro, batendo e evitando a passagem do dinamarquês. Kevin conseguiu sair rápido, mas o russo teve dificuldades para dar ré e voltar aos boxes para fazer os reparos.

Na volta 24, finalmente o líder Ricciardo fez sua parada, colocando pneus intermediários. O australiano voltou à pista em segundo, já que Hamilton ainda não tinha feito seu pit-stop. Era a chance de Lewis tentar abrir vantagem antes de ir aos boxes. Rosberg aparecia em terceiro, seguido por Sergio Pérez, que fazia uma grande corrida, enquanto Vettel aparecia em quinto. Massa vinha de forma bem discreta e era o 12º, quatro posições à frente de Felipe Nasr.

Os intermediários eram mesmo bem mais rápidos em Mônaco, até mesmo porque a pista estava secando bastante e o sol dava as caras pouco antes da primeira hora de corrida. Assim, Ricciardo era quase 3s por volta mais rápido que Hamilton, de modo que a estratégia do britânico estava dando errado. Verstappen, que também vinha bem rápido com os intermediários, lutava com Gutiérrez pelo nono lugar. O holandês fazia uma belíssima corrida em Mônaco, se recuperando do acidente no sábado.

Com a pista secando cada vez mais, alguns pilotos arriscavam na estratégia. Marcus Ericsson foi o primeiro a colocar pneus de pista seca, e logo os ultramacios. Hamilton, que se segurava na liderança com Ricciardo 'fungando no cangote', parou nos boxes para colocar também os ultramacios. Foi a senha para que todos os pilotos entrassem nos boxes, mas com estratégias distintas: alguns foram para os macios, enquanto a maioria se dividiu entre supermacios e ultramacios.
Verstappen bate na entrada da curva do Cassino (Foto: Twitter/Reprodução)
Ricciardo entrou nos boxes na volta seguinte, a 32. Mas a Red Bull dormiu no ponto e não estava preparada para fazer a parada e colocar pneus supermacios no carro do australiano. Aí Hamilton deu o pulo do gato e fez a ultrapassagem, voltando em primeiro lugar. A corrida ficava muito favorável ao tricampeão. Pérez aparecia num surpreendente terceiro lugar, à frente de Vettel e de Alonso, em quinto.

E o desastre para a Red Bull ganhou contornos ainda maiores depois que Verstappen, após uma bela corrida, bateu na entrada da curva do Cassino, indo direto ao guard-rail. Fim de corrida para o holandês. E aí o safety-car virtual entrou de novo em ação.

Na volta 37, Ricciardo pressionava Hamilton na briga pela vitória. Mas Hamilton, que estava logo à frente, cometeu um erro na entrada da chicane do Porto, proporcionando a aproximação do australiano. Os dois quase se tocaram. Hamilton bloqueou a passagem, Daniel esbravejou, mas o piloto da Mercedes se manteve na ponta. O incidente entrou em investigação pelos comissários da FIA, mas foi considerado normal. Nenhuma punição para Hamilton.

Mais atrás, Pérez fazia uma enorme corrida e continuava em terceiro. Usando pneus macios, o mexicano da Force India estava à frente de Vettel e Alonso, enquanto Rosberg vinha discretíssimo em sexto lugar.

Para abrir vantagem, Hamilton forçava o ritmo e anotava 1min19s778, sendo o mais rápido da pista e o primeiro a quebrar a barreira de 1min20s. Mas pouco depois, Pérez anotava a então melhor volta da prova, com 1min19s417. Massa aparecia em décimo, atrás de Button e à frente de Gutiérrez.

Já Felipe Nasr vinha em 15º e brigava com Ericsson. Os dois se estranharam ao longo da volta 50 e bateram na entrada da Rascasse, espalhando detritos na pista. Assim, o safety-car virtual voltou a ser acionado em Monte Carlo. "O que Marcus queria fazer?", esbravejou o brasileiro via rádio. Nasr abandonou em seguida e Ericsson, pouco depois. Crise à vista na Sauber.
Crise na Sauber: Marcus Ericsson e Felipe Nasr se envolvem em acidente na Rascasse (Foto: Reprodução)
Pouco depois, a corrida foi retomada normalmente. Hamilton forçava o ritmo para abrir vantagem e ficar tranquilo sobre Ricciardo na briga pela liderança. Pérez seguia em terceiro, à frente de Vettel, Alonso, Rosberg, Hülkenberg, Sainz, Button e Massa. Lewis tinha pela frente um grande tráfego, mas lidava com facilidade e negociava as ultrapassagens para continuar à frente do piloto da Red Bull.

Mas nada ainda estava decidido, já que havia uma expectativa de chuva para a fase final da corrida. E aí, literalmente, tudo podia acontecer quando restavam 20 minutos para o fim da peleja em Monte Carlo. Antes mesmo da chuva prevista, Ricciardo tentava de todas as formas chegar em Hamilton, aproveitando o desgaste maior dos pneus ultramacios do britânico. Mas Daniel também tinha de lidar com o desgaste dos seus supermacios, de modo que, em teoria, até mesmo Pérez e Vettel tinham lá suas chances de vitória. Restava saber se os pneus dos líderes resistiriam até o fim.

Com dez voltas para o fim, novo drama com outro acionamento do safety-car virtual por conta de um enorme pedaço de plástico na pista. Durou pouco, o VSC, e logo a corrida foi retomada normalmente. Daí até o fim, mesmo com umas gotas na pista, não teve jeito. Hamilton sustentou a liderança e, com muito cuidado, confirmou a vitória em Monte Carlo, com Daniel Ricciardo em segundo e Sergio Pérez completando o improvável pódio do GP de Mônaco. Na última volta, Rosberg completou uma jornada desastrosa em Mônaco depois de ter sido ultrapassado pelo xará Nico Hülkenberg para terminar em sétimo.

F1 2016, GP de Mônaco, corrida:
1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:59:29.133 78 voltas
2 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER +7.252  
3 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +13.825  
4 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +15.846  
5 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA +1:25.076  
6 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES +1:32.999  
7 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +1:33.290  
8 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO FERRARI +1 volta  
9 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA +1 volta  
10 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +1 volta  
11 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +1 volta  
12 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI +1 volta  
13 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI +2 voltas  
14 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR MERCEDES +2 voltas  
15 88 RIO HARYANTO INA MANOR MERCEDES +4 voltas  
  9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   NC
  12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   NC
  33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER   NC
  20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT   NC
  26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI   NC
  7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI   NC
  30 JOLYON PALMER ING RENAULT   NC
               
MELHOR VOLTA LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:17.939 volta 71
PADDOCK GP #30 DEBATE INDY, F-E E MOTOGP