Hamilton brinca em pagar Räikkönen para seguir na F1: “Não serei o mais velho”

Lewis Hamilton já tem planos para não ser o piloto mais velho do grid. Com 35 anos, o inglês brincou e afirmou que vai começar a pagar Kimi Räikkönen para permanecer na Fórmula 1 por mais algum tempo

Lewis Hamilton já bolou um ‘plano’ para não ser o piloto mais velho do grid da Fórmula 1. O inglês brincou dizendo que vai começar a pagar Kimi Räikkönen para seguir no grid por mais alguns anos.
 
A categoria tem passado por uma grande renovação de seus competidores, com muitos jovens entrando nos últimos anos – Charles Leclerc, Alexander Albon, George Russell e Lando Norris são bons exemplos.
 
Entretanto, ainda há aqueles considerados ‘velha guarda’ da F1. O titular da Mercedes, por exemplo, está com 35 anos, enquanto o finlandês da Alfa Romeo, o mais velho do grid, tem 40. Com isso, o #44 brincou com a situação.
Kimi Räikkönen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

“Preciso começar a pagar Kimi para ficar [na F1] então não vou ser o mais velho. Com certe, acho que vai seguir. Não me sinto velho de maneira nenhuma, me sinto mais jovem do que nunca. Eu me sinto em forma, o mais em forma que já estive”, disse em entrevista a ‘GQ’.
 

“Tudo funciona melhor agora, com a experiência que tenho. Não acho que seja difícil me manter em forma fisicamente, apesar de ter certeza que vou começar a sentir em algum momento”, concluiu.
 
Hamilton mostrou estar mesmo no topo de sua forma física e cada vez mais preocupado com o corpo. Agradecendo sua atual situação em um post no Instagram, o inglês afirmou que vai ser uma máquina em 2020, atingindo um novo nível.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube