F1

Hamilton confirma favoritismo, conquista pole nos EUA e se aproxima do pentacampeonato na F1

Depois de três treinos com condições climáticas bastante diferentes - um com pista molhada e pouco chuva, um com muita chuva e outro no seco -, a classificação mostrou pela primeira vez qual o panorama real do fim de semana do GP dos Estados Unidos. Lewis Hamilton é pole mais uma vez
Warm Up, de Austin / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Com apenas um treino anterior em pista seca, esconder o jogo estava até tranquilo antes do treino classificatório deste sábado (20), no Circuito das Américas. Apesar do domínio da Ferrari do TL3, a Mercedes mostrou suas cartas de verdade logo no princípio da classificação. Lewis Hamilton não brincou em serviço, cravou a pole até com certa facilidade e está um pouco mais perto de conquistar o pentacampeonato mundial de F1.

As Ferrari sempre pareciam tirar mais alguma coisa da manga para dar o bote, mas a Mercedes tinha respostas. Mostrou com Hamilton logo na primeira volta rápida do Q1 e, na sequência, quando o líder do campeonato e se mostrou em vantagem para tomar a pole ao superar Kimi Räikkönen no fim do Q3. Sebastian Vettel se esforçou, mas não teve como igualar o rival.
Lewis Hamilton (Foto: AFP)
O alemão cravou a segunda volta mais rápida, mas, por conta da punição, larga apenas no quinto posto. Räikkönen foi o terceiro, mas herda a fila dianteira. Valtteri Bottas e Daniel Ricciardo também sobem uma posição e ocupam a segunda fila. 
 
Ao lado de Vettel na terceira fila, Esteban Ocon. O futuro desempregado alcançou o melhor lugar do resto do grid por 0s070 em relação a Nico Hülkenberg. Romain Grosjean, Charles Leclerc e Sergio Pérez fecharam o top-10.

Max Verstappen nçao conseguiu uma vaga no Q3. Na realidade, o piloto holandês quebrou a suspensão no fim do Q1 quando passou num dos obstáculos posicionados ao lado de zebras das quais ele mesmo abusou no ano passado. Sem voltar para a segunda perna do treino, vai largar em 13º. Fernando Alonso, por sua vez, nem passou de um Q1 em que ficou claro que a McLaren estava subjugada pelas rivais. Por causa das punições da Toro Rosso, ganha duas colocações e parte em 14º.

A largada do GP ds Estados Unidos está marcada para as 15h10 (de Brasília) do domingo. 

Confira como foi o treino classificatório:

Q1 - Hamilton dá as cartas reais da Mercedes


Primeiras na fila para a pista, as Toro Rosso partiram de pneus ultramacios assim que a luz verde foi acionada. Enquanto Brendon Hartley foi o primeiro a anotar volta rápida, Pierre Gasly foi a vítima inicial das novas regras de limites da pista de Austin.
 
Logo as Ferrari foram para o traçado com os pneus roxos para resolver o problema do Q1. Sebastian Vettel cruzou em 1min34s569 e Kimi Räikkönen andou 0s369 mais lento. Os dois ficaram na dianteira até as Mercedes levarem os pneus mais rápidos do fim de semana para mostrarem o rosto real. Lewis Hamilton, com 1min34s176, destruiu a volta de Vettel. Valtteri Bottas pulou para o segundo posto.  
Max Verstappen passo no Verstopper (Foto: Reprodução/Twitter)
Max Verstappen chegou a ter uma volta cancelada, mas conseguiu se colocar bem entre os primeiros. O Q1 do holandês seguia normalmente até que a suspensão traseira direita se quebrou. Visivelmente incomodado, avisou que tinha problemas após cruzar um dos novos obstáculos posicionados ao lado das zebras por conta dele mesmo, que abusou daquela área na edição 2017.

No pelotão intermediário, Romain Grosjean era o mais veloz até cinco minutos para o fim do Q1 - na frente até de Daniel Ricciardo. Carlos Sainz, Pierre Gasly e Sergio Pérez fechavam o top-10. A impressão era que McLaren e Williams haviam realmente ficado para trás.  
 
Nem mesmo Fernando Alonso buscou no braço um lugar no Q2. Alonso foi eliminado em 16º, após sair brevemente e ser batido por Hartley, com Sergey Sirotkin em 17º, Lance Stroll em 18º, Marcus Ericsson em 19º e Stoffel Vandoorne em 20º.

Q2 - Räikkönen e a Ferrari dão o troco enquanto Mercedes se poupa
Kimi Räikkönen (Foto: AFP)
A Mercedes decidiram apontar para o começo do Q2 em pneus supermacios - e a Ferrari decidiu fazer o mesmo com Vettel. Räikkönen, por outro lado, seguiu com ultramacios e cravou o recorde da pista na primeira volta rápida: 1min32s884.

Na disputa pesada por uma vaga no Q3, Carlos Sainz sofreu um toque de Kevin Magnussen e avisou à Renault. Os dois seguiam como os piores entre aqueles que haviam marcado tempo. Abaixo deles, Max Verstappen, ainda com a suspensão quebrada, e a dupla da Toro Rosso, que esperou o último momento para tentar uma volta somente. 
 
O melhor do resto antes da última rodada de voltas rápidas era Leclerc, com Grosjean, Pérez, Ocon e Hülkenberg atrás. Assim como iam brigar para segurar um espaço no fim, Mercedes e Ferrari vestiram pneus ultramacios.

Sem forçar a barra, Hamilton e Bottas completaram em terceiro e quarto, respectivamente 0s596 e 0s818 atrás dos rivais. Quando começaram as melhores voltas, não terminaram e regressaram ao pit-lane antes de desafiar o relógio para segurar a surpresa. 
 
Daniel Ricciardo ficou em quinto, com Leclerc, Grosjean, Ocon, Pérez e Hülkenberg classificados para o Q3. Sainz e Magnussen foram eliminados junto a Verstappen, Gasly e Hartley, que sequer anotaram volta. Punido, Gasly cairia de qualquer forma para o fim da tabela.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Q3 - Hamilton mais perto da história

Todos com pneus ultramacios para a disputa da pole-position, e Hamilton foi quem se adiantou para se sair melhor na rodada de abertura: 1min32s567. Vettel foi pouco mais lento, com Bottas e Räikkönen atrás. 
 
Único a não andar na primeira rodada, Leclerc partiu na sequência, enquanto Ricciardo em quinto seguia uma tabela que tinha Grosjean, Hülkenberg, Ocon e Pérez.

Por ordem em que saíram dos boxes, o primeiro dos quatro mosqueteiros a andar foi Räikkönen, que pulou para a liderança na última rodada de voltas: 1min32s307. Bottas, mal, ficou atrás, mas Vettel, não. E Hamilton. O líder do campeonato fez o que tem conseguido continuamente fazer: arrepiou a tabela. Com 1min32s237 pulou para a ponta e esperou o punido Vettel, que fez a segunda volta mais rápida. 
 
Por conta da punição, Vettel caiu para o quinto posto, atrás de Räikkönen, Bottas e Ricciardo. O melhor do resto foi Ocon, que abriu um trenzinho de quatro pilotos de equipes distintas: Force India, Renault, Haas e Sauber, respectivamente com Ocon, claro, Hülkenberg, Grosjean e Leclerc. Sergio Pérez posicionou a outra Force India no décimo lugar; O GP dos EUA tem tudo para ser uma briga de foice no pelotão intermediário da F1.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP dos Estados Unidos de F1 neste fim de semana com a repórter Evelyn Guimarães.

E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br.

F1, GP dos EUA, Austin, Grid de largada

1 L HAMILTON Mercedes   1:32.237  
2 K RÄIKKÖNEN Ferrari   1:32.307 +0.070
3 V BOTTAS Mercedes   1:32.616 +0.379
4 D RICCIARDO Red Bull Tag Heuer   1:33.494 +1.257
5 S VETTEL Ferrari P+3 1:32.298 +0.061
6 E OCON Force India Mercedes   1:34.145 +1.908
7 N HÜLKENBERG Renault   1:34.215 +1.978
8 R GROSJEAN Haas Ferrari   1:34.250 +2.013
9 C LECLERC Sauber Ferrari   1:34.400 +2.163
10 S PÉREZ Force India Mercedes   1:34.594 +2.357
11 C SAINZ JR Renault   1:34.566 +2.329
12 K MAGNUSSEN Haas Ferrari   1:34.732 +2.495
13 M VERSTAPPEN Red Bull Tag Heuer      
14 F ALONSO McLaren Renault   1:35.294 +3.057
15 S SIROTKIN Williams Mercedes   1:35.362 +3.125
16 L STROLL Williams Mercedes   1:35.480 +3.243
17 M ERICSSON Sauber Ferrari   1:35.536 +3.299
18 S VANDOORNE McLaren Renault   1:35.735 +3.498
19 P GASLY Toro Rosso Honda P+6    
20 B HARTLEY Toro Rosso Honda P+6