carregando
F1

Hamilton consegue vitória fácil na Rússia, e dobradinha dá à Mercedes título de Construtores. Massa fica fora dos pontos

Lewis Hamilton viveu apenas um momento tenso neste domingo (12), quando Nico Rosberg se jogou à sua frente na largada. O erro do alemão, entretanto, o permitiu voltar à ponta e, de lá, o inglês não saiu mais, conquistando o quarto triunfo consecutivo em 2014 e empatando com Nigel Mansell como inglês mais vitorioso da F1. De quebra, a Mercedes ainda garantiu o título entre os construtores. Felipe Massa ficou fora dos pontos, em 11º

Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
Tudo flui a favor de Lewis Hamilton. Se havia qualquer chance de briga com o companheiro Nico Rosberg pela vitória em Sochi neste domingo (12), a curva 2 após a largada definiu o rumo da prova. O alemão aproveitou o longuíssimo espaço do ponto de partida até a freada e chegou a ultrapassar o inglês, mas fritou tanto os pneus que causou uma vibração da frente do carro, e logo na primeira volta já fez sua parada nos pits. Livre, Hamilton botou mais uma vitória no bolso. De quebra, a Mercedes ainda assegurou o Mundial de Construtores, com três provas de antecipação.

Rosberg conseguiu se recuperar. Passando um a um e contando com a ida aos boxes dos demais, Nico já aparecia em segundo na volta 31 das 53, superando o rápido Valtteri Bottas. Assim formou-se o esperado pódio no primeiro GP da Rússia da história.
Lewis Hamilton no pódio russo (Foto: AP)
Quanto a Massa, a estratégia acabou seguindo a receita da Mercedes de Rosberg: para não perder tempo, a Williams chamou o brasileiro também na primeira volta para que tentasse fazer a corrida toda com os pneus mais macios, considerando que o desgaste na novíssima pista é quase nulo. Mas é certo e sabido que Felipe não é daqueles que sabe poupar borracha. Mal conseguiu chegar nos pontos – o que pode ser considerado um desastre pelo equipamento que tinha – porque empacou tanto antes quanto depois dos pits em Sergio Pérez. E fechou a corrida apenas em 11º.
 
Confira como foi o GP da Rússia de F1
Todos juntos, pilotos, executivos e funcionários das equipes fazem corrente por recuperação de Jules Bianchi (Foto: Divulgação/Twitter)
12 minutos antes da largada para o histórico primeiro GP da Rússia de F1 neste domingo (12), pilotos e dirigentes viveram uma emocionante homenagem a Jules Bianchi, que segue internado no Japão em estado crítico, mas estável, de acordo com a última atualização, ainda da última terça-feira. Reunidos à frente do grid, todos os envolvidos, incluindo aí Jean Todt, o presidente da FIA, e Bernie Ecclestone, homem forte do Mundial, fizeram um momento de silêncio para lembrar o jovem piloto. Em seguida, os 21 competidores ainda se abraçaram em um círculo em apoio ao francês.

E foi nesse clima que a corrida em Sochi teve início. Assim sendo, quando as cinco luzes se apagaram, o pole Lewis Hamilton saiu bem da posição de honra, mas acabou sendo surpreendido pelo companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, que veio muito forte, colocou por dentro, chegou a fritar pneus no fim da longa reta e assumiu a liderança. Só que a manobra saiu cara demais para o alemão, porque, além de tudo, passou reto na curva 2 na sequência.

Por conta do esforço com os pneus na freada da curva 1, Rosberg se queixou de vibrações e foi aos boxes na sequência, trocando já para os compostos médios. Pouco antes disso, Nico ainda devolveu a ponta à Hamilton, por ter passado direto na curva 2 ainda na largada.

Falando sobre o restante, na largada, Valtteri Bottas veio bem e manteve a terceira colocação, puxando Jenson Button e Fernando Alonso, que ganhou duas posições na grande reta. Jean-Éric Vergne era o quinto, à frente de Kevin Magnussen, que se colocou logo atrás do francês, sendo seguido por Sebastian Vettel, que já havia superado Daniil Kvyat e Daniel Ricciardo ainda na primeira volta. Kimi Räikkönen completava os dez primeiros.

Após o fim da primeira volta, Felipe Massa, que largara em 18º, vinha em um expressivo 14º, mas já se encaminhou para os boxes. O brasileiro voltou à pista em 18º, mas andando forte com os pneus médios. A ideia, assim como acontecera com Rosberg, era levar o carro até o fim sem mais nenhuma troca. Os dois vinham no fundo do grid ainda.

Enquanto Hamilton já ia abrindo vantagem, Bottas também tentava se distanciar de Button, que fazia o mesmo para Alonso e Magnussen. Um pouco mais atrás, Vettel já se via em uma disputa com Ricciardo, que buscava o sexto posto do colega.

Na nona volta, o líder Hamilton cravou a melhor volta da corrida em 1min43s817 e passou a andar nesse ritmo constantemente. Já Bottas, apesar do esforço, não conseguia mais manter um desempenho na casa de 1min43s. Com isso, a diferença entre Lewis e o finlandês era de 3s3 e continuou subindo.
Nico Rosberg trava o pneu para se manter nos limites da pista na Curva 1 (Foto: AP)
Enquanto isso, Rosberg e Massa vinham escalando o pelotão. O alemão vinha em 13º, uma posição pior que a do brasileiro. Ao mesmo tempo, Ricciardo foi aos boxes na volta 12, junto com Adrian Sutil, que mudou para os macios.

Já a Marussia de Max Chilton não tinha mais condições de seguir na corrida. O inglês chegou a visitar os pits por duas vezes, mas não teve mesmo como continuar.

Na 15ª passagem, a ordem era: Hamilton, Bottas, Button, Alonso, Magnussen, Vettel, Vergne, Räikkönen, Kvyat, Pérez, Rosberg, Massa, Gutiérrez, Hülkenberg, Ricciardo, Grosjean, Ericsson, Maldonado, Kobayashi e Sutil.

Disputando uma corrida a parte, Hamilton vinha absoluto na frente e, com 20 voltas, a vantagem para Valtteri Bottas era de pouco menos de dez segundos. Button vinha ainda mais longe, 12s do líder e 3s atrás do finlandês da Williams. Mais atrás, Rosberg finalmente conseguiu entrar na zona de pontos, depois de uma bela sequência de ultrapassagens. O alemão assumiu a décima posição depois de superar Sergio Pérez. Massa vinha seguindo o vice-líder do Mundial, mas se viu preso atrás do mexicano da Force India.

Aí se abriu a janela de paradas de boxes. Apesar do pouco desgaste dos pneus, alguns pilotos do pelotão intermediário optaram em buscar os macios entre as voltas de 21 a 25. Primeiro veio Kvyat, depois Grosjean. Aí Maldonado e Kobayashi vieram também. Uma passagem mais tarde, foi a vez de Button, Vergne e Hülkenberg. Alonso veio na 26, mas a Ferrari enfrentou um problema no pits dos espanhol, que acabou perdendo muito tempo com a parada.

Logo em seguida, Bottas parou também, junto com Magnussen. Hamilton, então, fez seu pit-stop na 27ª passagem. Massa também parou novamente na 28. O brasileiro saiu com os pneus macios.

E os únicos que ainda permaneciam sem pits eram Vettel e Gutiérrez. Ao mesmo tempo, a TV mostrava uma rodada de Sutil na curva 2. O alemão da Sauber vinha em uma intensa disputa com Grosjean. Claro que o incidente foi parar na mesa dos comissários. E os homens da FIA decidiram pela punição de stop and go de 5s para o francês da Lotus. 

Vettel, então, veio na volta 29. Na pista, Rosberg já era impressionantemente o terceiro e já travava uma dura batalha com Bottas. E o alemão foi para cima do finlandês. Na curva 1, o Nico se colocou por dentro e esforçou Valtteri a escapar do traçado. Na sequência, o piloto da Mercedes concluiu a ultrapassagem, para assumir o segundo posto. E, de quebra, ainda cravou a melhor volta da prova em 1min42s770.

Assim, é hora de atualizar a ordem da corrida com pouco mais de 30 giros, especialmente depois dos pit-stops. Hamilton vinha na liderança, com 19s7 de vantagem para Rosberg. Bottas, Button, Magnussen, Alonso, Ricciardo, Vettel, Gutiérrez, Räikkönen, Vergne, Kvyat, Pérez, Massa, Hülkenberg, Grosjean, Sutil, Ericsson e Maldonado. Fora da corrida, Chilton e Kobayashi.
Hamilton comanda pelotão (Foto: Getty Images)
A prova, então, viu uma disputa interessante entre Pérez e Kvyat na curva 2, com vantagem para o mexicano. O russo, aliás, vinha enfrentando problemas com o nível de combustível. E acabou perdendo posição na sequência para Massa. Isso tudo na volta 37. Ainda neste ponto da corrida, é importante dizer que apenas Gutiérrez seguia sem pit-stops, na nona colocação. O mexicano da Sauber ainda seria ultrapassado por Räikkönen na volta seguinte antes de finalmente ir aos boxes. O jovem Esteban parou apenas na 40ª passagem.

Enquanto isso, Alonso se via em apuros com Ricciardo. Os dois brigavam intensamente pela sexta colocação. Mais à frente, Hamilton seguia sossegado na ponta, com uma vantagem de 18s9 para Rosberg, que vinha se mantendo firme ainda com os pneus médios trocados no fim da primeira volta. Bottas, por sua vez, aparecia em terceiro, 4s atrás de Rosberg. O finlandês ainda vinha cravando a melhor volta da prova. O top-5 ainda tinha Button e Magnussen. Alonso, Ricciardo, Vettel, Räikkönen e Pérez eram os dez primeiros. Massa vinha em 11º, ainda atrás do mexicano da Force India.

As voltas finais não viram mudanças, mesmo diante do esforço de Bottas em chegar em Rosberg. O finlandês ainda marcou a volta mais rápida da corrida no giro final, em 1min40s896. Ainda assim, Bottas teve de completar o pódio em terceiro, logo atrás de Hamilton e de Rosberg. Button, Magnussen, Alonso, Ricciardo, Vettel, Räikkönen e Pérez fecharam os dez primeiros. Massa ficou mesmo em 11º.
Lewis Hamilton comemora vitória em Sochi (Foto: AP)
Ainda, com a vitória em Sochi, Hamilton cravou o quarto triunfo consecutivo e o nono em 2014, ampliando ainda mais sua vantagem para Rosberg na liderança do Mundial. Agora, com 291 pontos, o inglês impôs 17 de diferença para o alemão, restando três etapas para o fim — sendo que o GP de Abu Dhabi, o derradeiro, vai valer pontuação dobrada.

De quabra, com a dobradinha, a Mercedes encerrou a disputa entre os construtores, com a conquista do título. O primeiro da montadora alemã na F1.

A próxima etapa da temporada 2014 acontece daqui a três semanas, nos EUA, no Circuito das Américas, em Austin.

As imagens do GP da Rússia

F1, GP da Rússia, Sochi, Final:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:31:50.744 53 voltas
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +13.657  
3 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +17.425  
4 22 JENSON BUTTON ING McLAREN MERCEDES +30.234  
5 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN McLAREN MERCEDES +53.616  
6 14 FERNANDO ALONSO ESP FERRARI +1:00.016  
7 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT +1:01.812  
8 1 SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RENAULT +1:06.185  
9 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +1:18.877  
10 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +1:20.067  
11 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +1:20.877  
12 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES +1:21.309  
13 25 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TORO ROSSO RENAULT +1:37.295  
14 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO RENAULT +1 volta  
15 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX SAUBER FERRARI +1 volta  
16 99 ADRIAN SUTIL ALE SAUBER FERRARI +1 volta  
17 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS RENAULT +1 volta  
18 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS RENAULT +1 volta  
19 9 MARCUS ERICSSON SUE CATERHAM RENAULT +1 volta  
20 10 KAMUI KOBAYASHI JAP CATERHAM RENAULT +32 voltas  
21 4 MAX CHILTON ING MARUSSIA FERRARI +44 voltas NC
               
MELHOR VOLTA VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:40.896 volta 53
               
RECORDE LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:38.513 11/10/2014
MELHOR VOLTA LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:38.513 11/10/2014