F1
27/08/2017 10:27

Hamilton controla Vettel na Bélgica, lidera de ponta a ponta e vence em GP 200 da carreira na F1

Lewis Hamilton teve um domingo praticamente perfeito para coroar o marcante fim de semana da sua corrida 200 na F1. De ponta a ponta, o tricampeão não deu chances a Sebastian Vettel, que ficou perto o tempo todo. Daniel Ricciardo surpreendeu Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas e foi ao pódio. E Felipe Massa pontuou
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Lewis Hamilton (Photo: Xavier Bonilla / Grande Premio)

Lewis Hamilton coroou da melhor forma o fim de semana da sua corrida 200 no Mundial de F1: no topo do pódio. Em um GP da Bélgica emocionante neste domingo (27) em Spa-Francorchamps, sobretudo nas voltas finais, o tricampeão do mundo venceu de ponta a ponta depois de controlar a enorme pressão imposta por Sebastian Vettel depois da relargada — após safety-car provocado por mais um incidente entre as Force India de Sergio Pérez e Esteban Ocon. Depois de se emocionar ao igualar o r ecorde de poles de Michael Schumacher, Hamilton alcançou 58 vitórias na carreira e reduziu para sete a vantagem de Vettel, agora restando sete provas para o fim da temporada.

Hamilton teve uma performance primorosa porque conseguiu segurar Vettel nas voltas finais mesmo usando pneus macios, contra os ultramacios do alemão. Seb, no entanto, não ficou atrás e também desempenhou ótimo papel e lutou até o fim pela vitória em Spa. Um grande confronto entre os dois grandes nomes da F1 na atualidade. Em terceiro, Daniel Ricciardo deu o bote em Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas após o período de safety-car e garantiu um improvável pódio para a Red Bull.
Brilhante, Lewis Hamilton venceu no seu GP 200 na F1 (Foto: Xavier Bonilla/Grande Premio)
Nico Hülkenberg, com a Renault, fechou na sexta posição, logo à frente de Romain Grosjean, num ótimo resultado para a Haas. Depois de viver um fim de semana cheio de problemas na sexta-feira e no sábado, Felipe Massa deu a volta por cima neste domingo com uma corrida consistente e tirando proveito de problemas dos rivais. O brasileiro cruzou a linha de chegada em um bom oitavo lugar, considerando o desempenho geral da Williams em Spa. Ocon, mesmo após o embate com Pérez, foi o nono, e Carlos Sainz fechou o top-10. Em contrapartida, Fernando Alonso, um dos protagonistas da corrida desde a largada, voltou a abandonar. E novamente culpou a falta de potência do motor Honda.

Hamilton agora soma 213 pontos, contra 220 de Vettel, ainda líder da temporada. A pontuação dos dois candidatos ao título pode ser igualada no próximo fim de semana, quando a F1 realiza o GP da Itália, no lendário circuito de Monza, casa da Ferrari.

Saiba como foi o GP da Bélgica de F1

A largada era um dos pontos-chave da corrida quanto à luta pela vitória entre Hamilton e Vettel. O pole-position largou bem e manteve a dianteira, ainda que Seb tenha buscado vácuo no fim da grande reta Kemmel. Mas Lewis se segurou na frente e começou a abrir vantagem. Os dois carros da Force India se tocaram rumo à Eau Rouge, com Esteban Ocon chegando a tocar no muro. Destaque para a grande largada de Alonso, que pulou de décimo para sétimo ainda na primeira volta. Duas voltas depois, Hülkenberg também aproveitava o vácuo para superar o bicampeão. Massa aparecia em P14, enquanto Pascal Wehrlein abandonava.

Alonso, aliás, era presa fácil por conta da enorme fragilidade do motor Honda em termos de potência: "É vergonhoso, muito vergonhoso", bradou o bicampeão, que era ultrapassado também por Sergio Pérez, Ocon e Romain Grosjean, caindo para 11º. Lá na frente, Hamilton tentava abrir caminho, mas Vettel ainda mantinha o rival na alça de mira. E Max Verstappen, correndo em casa, voltava a lidar com o azar na temporada. Por conta de perda de potência no motor Renault-TAG Heuer, o holandês, nascido na Bélgica, encostou na subida da reta Kemmel e abandonou. "Não acredito", disparou o jovem após enfrentar seu sexto abandono em 2017.

Com os pneus ultramacios bem desgastados, sobretudo os dianteiros, Hamilton começava a perder um pouco de ritmo e Vettel aproveitava a chance para apertar e fazer a melhor volta da corrida, reduzindo para 1s7 a dianteira do rival. A Ferrari lidava melhor com os pneus em relação ao carro da Mercedes. Assim, Lewis entrou no pit-lane na abertura da volta 13 e calçou seu #44 com pneus macios para tentar ir até o fim sem fazer outro pit-stop. O britânico voltava em quarto e Vettel assumia a liderança.
Pérez joga Ocon contra o muro na primeira volta do GP da Bélgica (Foto: Reprodução)

Bottas parou na volta seguinte e repetiu a estratégia adotada pela Mercedes para Hamilton. A Ferrari então finha uma momentânea dobradinha, com Vettel à frente de Räikkönen. Até que Seb fez seu pit-stop e também abriu seu segundo stint com os macios. Kimi tomou a ponta, mas logo foi ultrapassado por Hamilton, que aproveitou o vácuo desde a saída da Eau Rouge. Quando o finlandês, investigado por não respeitar trecho sinalizado com bandeira amarela, fez sua parada, a luta voltou a ser direta entre Hamilton e Vettel.

Räikkönen foi punido com um stop-and-go de 10s pela irregularidade e ficava praticamente fora da luta pelo pódio. Antes, Pérez brilhava após dupla ultrapassagem sobre dupla sobre Carlos Sainz e Romain Grosjean, mas depois cortou a Les Combes ao não conseguir frear. Por isso, o mexicano tomou uma punição de 5s. E Alonso, de 'saco cheio' pela falta de competitividade, era bem claro: "Não quero mais saber de rádio durante o resto da corrida", disse em conversa com os engenheiros da McLaren.

O fato era que Hamilton não conseguia desgarrar de Vettel e sequer tinha 2s de frente para o alemão. Seb vinha em uma posição confortável e, ao mesmo tempo, estava cada vez mais perto do rival. Bottas, bem mais atrás, fazia uma corrida solitária e aparecia em terceiro, seguido por Daniel Ricciardo e Hülkenberg, com Räikkönen em sexto. Na metade da prova, Massa vinha em 11º, logo à frente de Alonso.
Vettel ficou perto de Hamilton a corrida inteira, mas não foi o bastante para derrotá-lo em Spa (Foto: AFP)
Kimi, aliás, passava Hülkenberg e voltava ao top-5 da corrida, partindo para cima de Ricciardo para amenizar o estrago e somar alguns pontos importantes para a Ferrari. E Alonso, claramente insatisfeito, deixava a prova. E culpava o desempenho do motor Honda.

Ainda restava muita corrida pela frente. Na volta 30, Pérez e Ocon voltaram a se estranhar, novamente no trecho onde os dois se chocaram no início do GP. O mexicano fechou a porta para o companheiro de equipe novamente. Mas Ocon não aliviou e não conseguiu evitar o choque. Pérez levou a pior e teve o pneu traseiro esquerdo furado. Clima de guerra na Force India. O incidente espalhou tantos detritos na pista que a intervenção do safety-car foi inevitável.
Novo incidente entre Ocon e Pérez deflagra clima de guerra na Force India (Foto: Reprodução)
Com a bandeira amarela, a maioria dos pilotos foi aos boxes para trocar pneus. E aí Mercedes e Ferrari foram com estratégias diferentes. Hamilton voltou à pista com pneus macios, contra ultramacios de Vettel e Räikkönen. Assim, a luta pela vitória estava bem longe de ser definida. A Mercedes não tinha pneus ultramacios sobrando. Tal cenário indicava um cenário bem mais favorável a Vettel.

Na relargada, ocorrida quando restavam dez voltas para o fim, Vettel tentou tudo: entrou na La Source colado em Hamilton e assim foi por toda a reta. O tetracampeão tentou o bote final na Les Combes, mas Lewis fechou a porta e se segurou na liderança mesmo com pneus mais lentos que o do rival. Mais atrás, Ricciardo deu o bote e conseguiu subir para terceiro lugar, à frente de Räikkönen e Bottas.

No fim, Vettel apertou ao máximo e andou praticamente em ritmo de classificação. Tudo para aproveitar os pneus ultramacios e pressionar Hamilton. Mas Lewis foi brilhante e garantiu a dianteira para confirmar uma grandiosa vitória em Spa-Francorchamps, vencendo um grande confronto envolvendo os dois grandes nomes da F1 na atualidade.



F1 2017, GP da Bélgica, Spa-Francorchamps, corrida, final:

1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 44 voltas  
2   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari +2.358  
3   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer +10.791  
4   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari +14.471  
5   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes +16.456  
6   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault +28.087  
7   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari +31.553  
8   19 Felipe MASSA BRA Williams Mercedes +36.649  
9   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes +38.154  
10   55 Carlos SAINZ JR ESP Toro Rosso Renault +39.447  
11   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes +48.999  
12   26 Daniil KVYAT RUS Toro Rosso Renault +49.940  
13   30 Jolyon PALMER ING Renault +53.239  
14   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Honda +57.078  
15   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari +1:07.262  
16   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari +1.09.711  
17   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes +2 voltas  
18   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Honda +17 voltas NC
19   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer +36 voltas NC
20   94 Pascal WEHRLEIN ALE Sauber Ferrari +41 voltas NC
               
               
Recorde Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:46.577 27/08/2017
Melhor volta Fernando ALONSO ESP Ferrari 1:47.563 30/08/2009

RENOVAÇÃO COM RÄIKKÖNEN DIZ MUITO SOBRE O QUE É A FERRARI E SEU PENSAMENTO SOBRE A F1