F1

Hamilton cortou caminho como Verstappen e não tomou punição por quê? FIA alega redução de ritmo

Os comissários do GP do México, liderados pelo diretor-técnico da FIA Charlie Whiting, concluíram que Lewis Hamilton não levou vantagem ao contornar um pedaço do traçado do autódromo Hermanos Rodríguez por fora da pista. Segundo o site norte-americano 'Motorsport.com', Hamilton tirou o pé ao passar reto na primeira curva da prova

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 

A primeira curva do GP do México do último domingo deu a impressão de que decidiria o Mundial de F1 de 2016 em favor de Nico Rosberg após Lewis Hamilton passar reto, contornar pela grama e voltar à pista ainda na frente do pelotão. Punição, certo? Só que a FIA nunca penalizou Hamilton, permitindo que ele escapasse para manter o campeonato vivo. Mas por quê?
 
De acordo com o site norte-americano 'Motorsport.com', o diretor-técnico da FIA, Charlie Whiting, e o grupo de comissários presente no autódromo Hermanos Rodríguez analisou a telemetria de Hamilton e concluiu que o tricampeão mundial desacelerou assim que deixou a pista e só retomou o ritmo ao retornar. Desta forma, portanto, não levou vantagem.
 
Após a corrida ver algumas punições capitais, houve quem falasse abertamente que Lewis deveria ter sido punido - Daniel Ricciardo, por exemplo. As cobranças se deram especialmente porque Max Verstappen foi punido em 5s e perdeu seu lugar no pódio por conta de uma movimentação semelhante mais tarde na prova. A diferença para os comissários foi, de fato, a aliviada dada por Hamilton enquanto estava fora dos limites da pista.
 
Verstappen, no julgamento dos comissários, se valeu de defesa da posição enquanto fora da pista, por isso a punição. Hamilton, assim, contou com o toque entre Verstappen e Nico Rosberg na mesma curva um para conseguir voltar ainda à frente. 
A largada do GP do México (Foto: Mercedes)
Este incidente, entre Verstappen e Rosberg, assim como o de Lewis, foi investigado e arquivado. Rosberg perdeu a segunda posição após ter sido travado pelo holandês na primeira curva, acabou fora da pista e recuperou a colocação na curva seguinte. Mas, apesar de Nico ter levado vantagem, não sofreu punição pelos comissários julgarem que Max o forçou para fora na curva inicial. Assim, sem vantagem.
 
Com o GP mexicano no passado, agora Rosberg tem 19 tentos de vantagem e leva o segundo 'match-point' para o GP do Brasil, em 13 de novembro.