F1
11/10/2018 02:40

Hamilton dá de ombros para conquista antecipada do título, mas admite: “Você ganha tempo de vida”

Lewis Hamilton prefere confirmar o quinto título o mais cedo possível, talvez já nos Estados Unidos, mas não se incomodaria com uma disputa mais longa com Sebastian Vettel. O problema seria um só: a carga de estresse, que custa “tempo de vida”
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Lewis Hamilton tem a chance concreta de ser pentacampeão da Fórmula 1 no GP dos Estados Unidos, marcado para o próximo dia 21. Caso vença e veja Sebastian Vettel no máximo em terceiro, a briga do Mundial de Pilotos se encerra com três GPs restando no calendário. A antecedência, apesar de agradar, é recebida pelo britânico com ares de indiferença.
 
“Acho que quanto mais cedo acontecer, melhor”, comentou Hamilton, falando ao site ‘RaceFans’. “Seria menos estresse para a equipe, essa é a sensação que eu tenho, mas a gente só quer conseguir isso, independente de quando. Você normalmente vence um campeonato num fim de semana desde que você cruze a última linha de chegada na liderança [do campeonato], e isso é a única coisa que importa”, continuou.
Lewis Hamilton não curte tanto o estresse de decidir o campeonato na útlima corrida (Foto: AFP)
Mas é verdade também que o alto nível de estresse de uma briga por título que se arrasta até a última corrida não é bem visto por Hamilton. O britânico fala em perder “tempo de vida” pelo puro desgaste de uma briga acirrada.
 
“Não vejo como mais impressionante do que o dos anos anteriores. Por exemplo, quando terminei [o campeonato] em Austin [em 2015], não acho que foi mais impressionante do que nos anos que conquistei na última corrida. Única coisa é que você ganha alguns anos de vida, eu acho. Para cada dia que você leva o título mais cedo, você ganha algum tempo de vida”, encerrou.
 
Para a sorte de Hamilton, parece muito improvável que a briga pelo título da F1 siga viva até o GP de Abu Dhabi, último do ano. Para tal, Vettel precisaria de um trabalho hercúleo ao recuperar um déficit de 67 pontos no Mundial de Pilotos, sendo que 100 pontos ainda estão em jogo.