F1

Hamilton define vitória em Mônaco como “a melhor” das 44 na F1: “No meu coração, sinto que essa eu mereci”

Lewis Hamilton, sete meses depois, voltou a cruzar a bandeirada como vencedor na F1. A 44ª vitória, como o número da sorte, foi a melhor de todas para o tricampeão mundial

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro

Enfim, Lewis Hamilton voltou a vencer na F1. O relógio já contava mais de sete meses desde que Lewis chegou ao Parque Fechado como vencedor, no GP dos Estados Unidos, então inebriado pela conquista do terceiro título mundial instantes antes. Mas a 44ª vitória, como o número da sorte, foi a mais especial de todas.
 
Hamilton tirou o azar que aparecera várias vezes nesta temporada, mesmo no sábado, e a direção atrapalhada de outros momentos. Em Mônaco, decidiu mudar a estratégia e confiou em sua decisão. Pilotou à altura, tomou uma vitória que não deveria ser da Mercedes entre todas as outras que deveriam. Entrou no campeonato de vez.
 
"Corri muitas provas, mas pessoalmente essa é a melhor. No meu coração, eu sinto que essa eu mereci", disse. "Eu mereci hoje, não foi um golpe de sorte. Eu realmente briguei por cada centímetro de pista, cada detalhe da aderência, cada habilidade que eu precisei para ficar à frente de Daniel", reforçou.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
"Minha 44ª vitória e em Mônaco, onde eu não ganhava há uma vida... Sinto como a maior das bênçãos", falou.
 
Enquanto todo mundo mudava os pneus de pista molhada para os intermediários, Hamilton teimou e permaneceu na pista. A expectativa era esperar a pista secar e botar de voz os ultramacios, algo que todo mundo na pista precisaria fazer. Assim, ganharia um pit-stop em relação a todo mundo. Deu certo à perfeição.
 
"Eu decidi não entrar nos boxes. Sabia que poderia segurá-los um pouco mais e fazer só um pit-stop e voltar com pneus slick. Era meu objetivo. Ainda tinha um longo caminho a percorrer com aqueles pneus - e o mais insano é que você não sabe o quanto mais eles aguentam", avaliou.
 
"Há coisas que você pode fazer para controlar os pneus, mas de vez em quando Daniel encostava e eu precisava continuar no máximo. Pareceu uma vida inteira. Estou muito grato e, portanto, feliz", encerrou.
 
Hamilton voltou à briga, agora meros 24 pontos atrás de Nico Rosberg - apenas o sétimo na corrida. A diferença é menor que uma prova. A F1 volta em dois domingos, 12 de junho, com o GP do Canadá.
 
PADDOCK GP #30 DEBATE INDY, F-E E MOTOGP