F1

Hamilton diz que corridas monótonas são culpa de “quem comanda e toma más decisões”

As corridas na F1 são chatas? Para Lewis Hamilton, faz sentido que os fãs pensem assim. O problema é que, segundo o pentacampeão, a culpa não é dos pilotos, e sim de quem comanda a categoria e faz com que o regulamento force provas monótonas

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Você considera as corridas atuais da F1 chatas? Pois bem: Lewis Hamilton até concorda, ou ao menos aceita que os fãs da categoria pensem isso. Mas pede: não culpe os pilotos - e, sim, quem comanda o principal campeonato do automobilismo mundial.

Para o pentacampeão do mundo e atual líder da temporada 2019, com seis vitórias em oito etapas - incluindo a do último domingo (23), o GP da França -, o principal problema para as monótonas corridas da atualidade são as decisões tomadas por quem cria o regulamento.

"Não somos nós (pilotos) que escrevemos as regras. Não temos nada a ver com as questões orçamentárias das equipes, nada disso. Vocês devem colocar a pressão nas pessoas que comandam, que deveriam fazer esse trabalho (de dar emoção aos GPs)", disse Hamilton.

"Eu acho que eles estão tentando. Mas, por muitos, muitos anos, eles vêm tomando más decisões", seguiu.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?



O #44 comparou as disputas do GP do Canadá, quando venceu após duelo na pista com Sebastian Vettel - que, inclusive, acabou em punição ao alemão -, e da França, quando não foi desafiado em nenhum momento da prova.

"Esses (do Canadá) são os tipos de corrida que o público gosta. Já as como a da França, não. Eu acho que é importante que as pessoas entendam que não é culpa dos pilotos. É um ciclo constante da F1, por anos e anos, desde antes da minha entrada."

"Tem a ver com a maneira que Bernie (Ecclestone) tomava conta das coisas, as decisões feitas lá atrás. Continua a mesma coisa e até que a estrutura do regulamento não mude, tudo vai continaur o mesmo na minha opinião. Não é meu trabalho fazer isso. O meu trabalho é vir aqui e dar meu melhor como piloto", opinou Hamilton.

Questionado também sobre as mudanças prometidas e discutidas para 2021, disse que acredita que serão para melhor: "Tenho esperança a ponto de ter ido a Paris na última semana discuti-las", contou, citando reunião realizada recentemente.

"Vi todos os chefes, as equipes, a FIA tentando se envolver. Não tinha nada a ganhar lá. Eles tomam decisões e nunca levam a opinião dos pilotos em conta. Se esse é o ponto decisivo para que tudo mude, que os fãs tenham corridas melhores, então ficaria orgulhoso em fazer parte disso", concluiu.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.