Hamilton domina classificação em Abu Dhabi e larga na pole. Vettel é punido, perde 3° e sai em último

Lewis Hamilton cravou a 26ª pole-position de sua carreira com um desempenho muito superior ao da concorrência no treino classificatório deste sábado (3), em Abu Dhabi. Felipe Massa avançou ao Q2, mas largará somente na nona posição

Atualizada às 16h55

► As images deste sábado do treino classificatório da F1 em Abu Dhabi

Abu Dhabi é uma pista dominada por dois pilotos: Lewis Hamilton e Sebastian Vettel. Neste sábado (3), quem levou a melhor foi Hamilton, que sobrou na sessão de classificação e cravou sua segunda pole-position no circuito de Yas Marina, palco da 18ª etapa do Mundial de F1. Vettel, que ameaçou tirar a primeira posição do inglês, acabou somente em terceiro lugar, batido por Mark Webber, companheiro de Red Bull. Entretanto, Sebastian, quase cinco horas depois do fim da classificação, foi punido pelos comissários por não ter a quantidade mínima de combustível no tanque de seu carro. O alemão vai largar em último neste domingo. 

Fernando Alonso e a Ferrari, que lutam contra a Red Bull pelo título, deixaram a desejar. O espanhol, vice-líder do campeonato, partirá apenas em sexto, mas agora beneficiado pela punição dada ao rival. Pastor Maldonado, Jenson Button e Kimi Räikkönen vão ocupar o terceiro, quarto e quinto lugares do grid, respectivamente. O top-10 do grid de largada ainda tem Nico Rosberg, em sétimo, Felipe Massa, em oitavo, Romain Grosjean, em décimo, e, por fim, Nico Hülkenberg, em décimo. Todos agraciados pelo infortúnio do líder do Mundial. 

Bruno Senna segue enfrentando um fim de semana complicado em Abu Dhabi. Reclamando de problemas no Kers e no equilíbrio do carro, o piloto da Williams ficou apenas em 15º lugar e precisará remar bastante para conseguir terminar a corrida, que terá largada às 11h (de Brasília) deste domingo, dentro da zona de pontuação. Também por causa de Sebastian, Senna agora parte em 14°. 

Entre Vettel e Webber, Hamilton comemora sua 26ª pole na carreira (Foto: Red Bull/Getty Images)

Saiba como foi a sessão classificatória do GP de Abu Dhabi

Com temperatura da pista em 31ºC, a sessão classificatória começou com o pôr do sol de Abu Dhabi ao fundo e com praticamente todos os carros na pista, exceção feita a Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Mark Webber, além de Nico Rosberg. O restante deixou os boxes logo nos primeiros segundos de treino para buscar tempo suficiente visando avançar à segunda parte da classificação, o Q2.

Logo de cara, Pastor Maldonado, usando pneus médios, cravou 1min42s595, assumindo a ponta de maneira momentânea, com pouco mais de cinco minutos de Q1. Assim como aconteceu em todos os treinos livres, o venezuelano colocou a Williams à frente da Lotus. Kimi Räikkönen, Nico Hülkenberg e Romain Grosjean vinham na sequência, enquanto Bruno Senna fechava o top-5.

Alonso não demorou para ir à pista, sendo o primeiro piloto dos times de ponta a marcar tempo competitivo. O espanhol cravou 1min42s574, apenas 0s021 mais rápido que Maldonado. Jenson Button também registrou bom tempo e marcou a terceira melhor marca. Só que, segundos depois, Pastor deu o troco em Alonso e bateu o espanhol por 0s201, retomando a ponta em Abu Dhabi. Massa, por sua vez, era o sexto, quatro posições à frente de Bruno Senna.

Diante de muito tráfego e ainda com pneus duros, Alonso voltou à liderança momentânea da sessão ao marcar 1min42s115. Maldonado ainda seguia no segundo lugar, quase 0s1 à frente de Massa, terceiro colocado. Só que tudo mudou depois que Hamilton registrou seu primeiro tempo competitivo. Lewis cravou a melhor parcial em todos os três setores de Marina de Yas e registrou o incrível tempo de 1min41s497. “Foi uma volta fantástica”, elogiou a McLaren, via rádio.

Hamilton, Alonso, Maldonado, Massa e Räikkönen fechavam o rol dos cinco primeiros. Tudo isso antes de a Red Bull ir para a pista, fato que aconteceu quando faltavam menos de oito minutos para o fim do Q2. Quando os taurinos deixaram os boxes, Vettel foi ligeiro e marcou o quinto tempo, se colocando atrás de dois carros da McLaren (Hamilton, em primeiro; Button, em quarto) e dois da Ferrari (Massa e Alonso, na ordem).

Na faraônica Abu Dhabi, Hamilton estraçalhou rivais e garantiu a 26ª pole da carreira (Foto: McLaren)

Com os ponteiros praticamente garantidos no Q2, a disputa entre os demais era para escapar da eliminação ainda no Q1. Além dos habitués da degola — os carros de HRT, Marussia e Caterham —, Bruno Senna, Daniel Ricciardo, Kamui Kobayashi e Jean-Éric Vergne estavam entre os ameaçados, e por isso, foram para a pista nos minutos finais usando pneus macios. Nico Rosberg também usou os compostos amarelinhos, mas logo pulou de 15º para segundo colocado, carimbando sua ida para o segundo segmento da tomada de tempos.

No fim das contas, pior para Vergne. No afã de tentar escapar da guilhotina, o novato francês — que renovou com a Toro Rosso para 2013 — rodou e encerrou suas pretensões de ir ao Q2, fazendo companhia a Heikki Kovalainen, Charles Pic, Vitaly Petrov, Timo Glock, Pedro de la Rosa e Narain Karthikeyan. Senna passou por pouco e mesmo se envolvendo em incidente com Sergio Pérez — a ser avaliado pelos comissários depois da classificação — e ficou em 16º. Massa, com tranquilidade, fechou o Q1 em quinto. A dianteira ficou com a McLaren e Lewis Hamilton.

Senna faz companhia a irreconhecível Schumacher e fica fora do Q3

Diferente do início do Q1, todos os 17 pilotos do Q2 foram à pista usando pneus macios. Pérez foi o primeiro a registrar volta cronometrada, com 1min42s313. Só que Maldonado, em ótima forma, andou bem mais rápido que o mexicano e baixou sua marca em 0s4. Em seguida, Räikkönen e Grosjean bateram o venezuelano da Williams. Os tempos caíam consideravelmente, levando em conta que a temperatura da pista estava baixando e, também, o bom desempenho dos compostos macios.

Button não foi nem sombra de Hamilton e ficou só com o sexto melhor tempo (Foto: McLaren)

Webber chegou a colocar a Red Bull na ponta após bater Grosjean por 0s070. Mas aí apareceu Lewis Hamilton. Na condição de dominante em todo o fim de semana, o britânico estabeleceu a então melhor marca dos dois dias de atividades na Marina de Yas: 1min41s366, praticamente garantindo a sua ida para a Super-pole em Abu Dhabi. Na sequência, Alonso e Vettel avançaram ao top-3. Na luta pelo tri, o espanhol da Ferrari marcou 1min41s514. Segundos depois, seu rival foi exatos 0s003 mais rápido, subindo para o segundo posto.

Aí apareceu Webber novamente, para surpreender Hamilton. O australiano marcou 1min41s277 e subiu para a primeira colocação. Mas Lewis sequer deixou o veterano da Red Bull curtir o gostinho de ficar na ponta. Isso porque o britânico foi o primeiro a andar abaixo de 1min41s em todo o fim de semana e, com 1min40s901, retornou ao posto que vem ocupando desde sexta-feira. Vettel, Alonso, Grosjean, Räikkönen, Massa, Button, Maldonado e Nico Hülkenberg completavam o top-10 quando faltavam três minutos para o fim do Q2.

Por outro lado, Pérez, Rosberg, Schumacher — irreconhecível, diga-se —, Senna, Kobayashi e Ricciardo estavam bem ameaçados pela degola na segunda fase da classificação, além de Maldonado e Hülkenberg, em nono e décimo lugares, respectivamente.

Já com o cronômetro zerado, Rosberg marcou o sétimo tempo e praticamente se garantiu no Q3. Nico foi o único dos ameaçados que conseguiram melhorar o tempo de maneira significativa. Curiosamente, Nico acabou tirando do Q3 o xará Hülkenberg, que acabou ficando em 11º, fazendo companhia a Pérez, Di Resta, Schumacher, Senna, Kobayashi e Ricciardo.

Eis os pilotos que avançaram para a disputa da antepenúltima pole do ano Hamilton, Webber, Vettel, Alonso, Räikkönen, Grosjean, Rosberg, Massa, Button e, por fim, Pastor Maldonado.

Q3 desastroso para a Ferrari; Hamilton sobra e marca 26ª pole da carreira

Com exceção de Felipe Massa, que nitidamente preferiu poupar um jogo de pneus para a corrida, os outros nove pilotos do Q3 foram à pista assim que a luz verde foi acesa em Marina de Yas. Ainda que Räikkönen tenha sido o primeiro a registrar volta cronometrada — 1min41s756 —, seguido por Alonso, com 1min41s582, Hamilton fez mágica e simplesmente estraçalhou o tempo dos rivais. O britânico cravou 1min40s630 e praticamente assegurou a pole-position na primeira oportunidade.

Para se ter uma ideia do desempenho fabuloso de Lewis, Vettel, que marcou o segundo melhor tempo até então, tinha 1min41s093, mais de 0s4, enquanto Webber era o terceiro, 0s598 atrás do piloto da McLaren. Um verdadeiro abismo entre McLaren e Red Bull, algo impensável até uma semana atrás, na Índia.

Enquanto Hamilton, Vettel, Webber, Alonso, Rosberg, Button, Räikkönen e Grosjean, Massa e Maldonado aproveitavam a pista sem tráfego e fizeram suas voltas rápidas quando faltavam menos de três minutos para o fim do Q3. O brasileiro cravou então o sexto melhor tempo, com 1min41s723, ficando entre Rosberg, quinto, e Button.

A Red Bull ordenou que Vettel parasse seu carro na pista na volta de retorno aos boxes (Foto: Red Bull/Getty Images)

Maldonado abriu a última bateria de voltas rápidas em Marina de Yas. O rápido venezuelano pulou para um surpreendente terceiro lugar, com 1min41s226. Depois foi a vez de Webber e Räikkönen. O australiano colocou a Red Bull em segundo, com ótima volta: 1min40s978, superando Vettel e Maldonado. Kimi, por sua vez, registrou o quinto tempo, se posicionando à frente de Alonso, que não conseguiu melhorar seu tempo. Pelo contrário. Fernando caiu para sexto depois que Button, longe de ter o mesmo desempenho de Lewis, bateu o espanhol por quase 0s3.

No fim da sessão, Vettel ainda conseguiu melhorar seu tempo, mas permaneceu em terceiro. O treino, no fim das contas, ainda foi bastante positivo para a Red Bull, que posicionou seus dois carros nas duas primeiras filas do grid, sem, entretanto, conseguir quebrar a supremacia da McLaren de Hamilton. Mas pior mesmo foi para a Ferrari, com Alonso em sétimo e Massa, em nono. Desde já, a escuderia de Maranello deposita suas esperanças no ritmo de corrida da F2012 para o GP de Abu Dhabi, neste domingo.

Cerca de cinco horas após a classificação em Abu Dhabi e de enorme discussão entre a Red Bull e os comissários da FIA, o pedido da equipe austríaca para que Vettel parasse o carro logo depois da volta rápida final do Q3 não saiu impune. A entidade máxima puniu o piloto alemão com a desclassificação e o jogou da terceira para a última posição do grid de largada. Sebastian não tinha no tanque do RB8 a quantidade mínima de combustível para inspeção técnica. Segunda a FIA, havia apenas 850 ml de gasolina. A regra afirma que é preciso constar 1 l.

F1, GP de Abu Dhabi, Marina de Yas, grid de largada:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube