F1

Hamilton espanta zebra, impõe nova derrota a Rosberg e crava pole-position no GP do México

Disposto a adiar ao máximo a decisão do título, Lewis Hamilton derrotou novamente Nico Rosberg. Depois de ver a Ferrari à frente na sexta-feira e a Red Bull mais rápida na manhã deste sábado, o tricampeão do mundo espantou a zebra para garantir, no México, a 59ª pole da carreira

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré

Na hora da verdade, Lewis Hamilton espantou de vez a zebra, restabeleceu a lógica e garantiu a pole-position do GP do México, 19ª etapa da temporada 2016 do Mundial de F1. O tricampeão do mundo impôs nova derrota a Nico Rosberg neste fim de semana no Autódromo Hermanos Rodríguez depois de superar o rival, claramente bastante cauteloso no traçado mexicano, poupando equipamento para a corrida. Assim, com o melhor carro do grid, Hamilton não economizou e garantiu a 59ª pole da carreira na tarde deste sábado (29) depois de ver a Ferrari de Sebastian Vettel à frente na sexta-feira e a Red Bull, com Max Verstappen, liderando o terceiro treino, nesta manhã.

Com direito a recorde da pista, Hamilton registrou 1min18s704 e não teve adversários. Nos segundos finais, Rosberg melhorou bem seu tempo e pulou de quarto para segundo, desbancando a dupla da Red Bull. Max Verstappen vai largar em terceiro, seguido por Daniel Ricciardo, enquanto Nico Hülkenberg vai completar o rol dos cinco primeiros.

Kimi Räikkönen vai largar em sexto lugar, à frente do seu companheiro de Ferrari, Sebastian Vettel. Valtteri Bottas, da Williams, vai largar em oitavo, segido pelo colega, o brasileiro Felipe Massa. Carlos Sainz, da Toro Rosso, completa o top-10 do grid de largada. Felipe Nasr enfrentou outro dia difícil com a Sauber e obteve apenas a 19ª colocação do grid de largada no México.
Lewis Hamilton cravou a pole-position do GP do México, a 59ª da sua carreira na F1 (Foto: Mercedes)
Saiba como foi o treino classificatório do GP do México de F1

Antes mesmo do início da sessão, a classificação do GP do México já tinha um eliminado. Jolyon Palmer não conseguiu deixar os boxes com sua Renault em razão de uma quebra no chassi durante o terceiro treino livre. Assim, eram 21 os pilotos na pista nos minutos seguintes no lotado Autódromo Hermanos Rodríguez.

Diante de milhares de torcedores nas arquibancadas e de Juan Pablo Montoya bem perto da pista, os primeiros tempos de volta eram aferidos no começo da tarde na Cidade do México. Primeiramente, Daniil Kvyat se colocou na ponta com 1min21s454 com sua Toro Rosso, para depois ser superado pelo colega Carlos Sainz, mas isso antes de carros mais competitivos registrarem seus primeiros tempos de volta.

As Force India de Sergio Pérez e Nico Hülkenberg se colocaram entre os primeiros, mas então veio Hamilton para cravar 1min19s970 quando a pista estava bastante quente, com temperatura acima dos 50ºC. Só que o britânico foi superado até com folga por Max Verstappen e também por Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, que fez bela volta e cravou 1min19s554. Rosberg vinha apenas em oitavo, 0s842 atrás.

Pouco depois, Ricciardo se colocou entre as duas Ferrari, vindo provisoriamente em segundo. Só que Hamilton tratou de restabelecer a verdade na ordem de forças da F1 ao se colocar na liderança com 1min19s447, completando seu stint com pneus supermacios. Rosberg continuava discreto e bastante cauteloso, em sexto, com 1min19s996.
Daniil Kvyat foi eliminado no Q1 da classificação no México (Foto: Red Bull Content Pool)
Com os primeiros colocados definidos, a expectativa estava por conta dos eliminados. Além de Palmer, Esteban Gutiérrez, Kvyat, Felipe Nasr, Esteban Ocon e Romain Grosjean ficaram de fora no Q1. Nasr cravou 1min21s692, enquanto seu companheiro de equipe, Marcus Ericsson, que passou em 13º, tinha 1min21s062 como melhor volta. No fim, Pascal Wehrlein conseguiu avançar para o Q2.

Na abertura do Q2, a Mercedes foi à pista com Hamilton e Rosberg usando pneus macios, claramente com a estratégia de tentar garantir que seus pilotos largassem com uma estratégia diferente no domingo. A Ferrari, com Vette e Räikkönen, também estava na pista com os compostos amarelos. E logo em sua primeira passagem, Hamilton foi destruidor e cravou 1min19s137, exatamente a mesma marca estabelecida por Verstappen pela manhã, igualando o recorde da atual configuração do traçado.

Só que o próprio Verstappen, usando pneus supermacios, quebrou o recorde da pista e foi o primeiro piloto do fim de semana a andar abaixo de 1min19s depois de registrar 1min18s972. Vettel vinha em terceiro lugar, com Ricciardo aparecendo em quarto. Novamente, Rosberg mostrava uma performance bastante discreta, se colocando em quinto com 1min19s761. Por sua vez, Felipe Massa estava em 12º, atrás de Fernando Alonso e de Valtteri Bottas.

Nos últimos minutos do Q2, a Ferrari levou Räikkönen à pista com os supermacios. Na Mercedes, Rosberg não estava completamente satisfeito com seu tempo e saiu para um novo stint com os pneus macios. Hamilton, por outro lado, já até estava fora do carro, tranquilo com seu desempenho e já pensando no Q3, assim como Vettel, Ricciardo e Verstappen. Mas Nico e tampouco Räikkönen conseguiram melhorar seus tempos de volta.
Fernando Alonso ficou de fora da classificação no Q2; Massa avançou à fase final (Foto: McLaren Honda)
Massa, com uma grande volta já com a bandeira quadriculada, conseguiu se colocar no rol dos dez primeiros, assim como Bottas. Nico Hülkenberg também passou para o Q3 com o sexto melhor tempo. A última vaga da fase final da classificação ficou com Carlos Sainz, já que a McLaren ficou de fora com seus dois pilotos. Sergio Pérez, ídolo local, tentou uma boa volta no fim, mas também acabou sendo eliminado, para a tristeza dos inúmeros fãs nas arquibancadas do Hermanos Rodríguez.

No começo do Q3, a primeira marca foi de Nico Hülkenberg, que cravou 1min30s850. Depois, bem depois, vieram os pilotos da Red Bull: Verstappen em primeiro com 1min19s092, e Ricciardo em seguida. Mas, claro, nem de longe seria o melhor tempo. A expectativa estava mesmo com os tempos dos pilotos da Mercedes. 

Em sua primeira tentativa, Lewis foi soberano e cravou 1min18s704, muito melhor que Rosberg, por exemplo, que registrou somente 1min19s263. O fato é que Nico era, o tempo todo, muito inferior ao seu companheiro de equipe. Verstappen vinha em segundo, à frente de Ricciardo e de Rosberg, enquanto Hülkenberg estava à frente de Räikkönen e Vettel e Massa aparecia em nono. A pista acabou piorando um pouco no fim, mas ainda assim Rosberg consguiu melhorar bem sua marca, pulando para segundo lugar, deixando as Red Bull para trás. Nico Hülkenberg também foi outra boa surpresa, subindo para quinto. Mas ninguém conseguiu superar Hamilton, pole-position do GP do México de F1.

F1, GP do México, Hermanos Rodríguez, grid de largada:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:18.704   18
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES   1:18.958 +0.254 22
3 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER   1:19.054 +0.350 14
4 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER   1:19.133 +0.429 15
5 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES   1:19.330 +0.626 22
6 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI   1:19.376 +0.672 21
7 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI   1:19.381 +0.677 17
8 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES   1:19.551 +0.847 20
9 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES   1:20.032 +1.328 19
10 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO FERRARI   1:20.378 +1.674 24
11 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA   1:20.282 +1.578 12
12 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES   1:20.287 +1.583 14
13 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA   1:20.673 +1.969 17
14 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT   1:21.131 +2.427 18
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   1:21.536 +2.832 15
16 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR MERCEDES   1:21.785 +3.081 17
17 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI   1:21.401 +2.697 9
18 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI   1:21.454 +2.750 4
19 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   1:21.692 +2.988 9
20 31 ESTEBAN OCON FRA MANOR MERCEDES   1:21.881 +3.177 10
21 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI   1:21.916 +3.212 10
22 30 JOLYON PALMER ING RENAULT       0
    TEMPO 107% Q1     1:24.213 +5.509