Hamilton fica surpreso com terceiro no grid e diz que precisa ser perfeito para bater Red Bull na Coreia

Lewis Hamilton quase ficou de fora do Q1 em Yeongam, mas disse que “teve sorte” por ter avançado após garantir apenas o 17º tempo daquela fase. Terceiro no grid, o britânico aposta no bom ritmo de corrida da McLaren para surpreender os rivais da Red Bull

Por muito pouco Lewis Hamilton escapou do vexame de ser eliminado da classificação do GP da Coreia do Sul ainda no Q1. O britânico garantiu apenas o 17º tempo no primeiro segmento do treino que definiu o grid de largada e só avançou ao Q2 porque Bruno Senna, 18º, cometeu um erro em sua última volta rápida. Para Lewis, a sorte lhe fez companhia em um momento tão crucial do fim de semana.

Na sequência da classificação, as coisas voltaram à normalidade para o campeão mundial de 2008. Tanto que, no Q3, Hamilton foi o ‘melhor do resto’, ficando mesmo só atrás dos carros da Red Bull, equipe dominante em Yeongam. O terceiro lugar no grid do GP da Coreia foi encarado pelo britânico com satisfação e com uma ponta de surpresa.

Hamilton disse que teve sorte ao seguir na classificação em Yeongam (Foto: McLaren)

“Tem sido um fim de semana complicado para fazer uma volta rápida, então o terceiro lugar no grid é muito gratificante”, vibrou o piloto, quarto colocado no Mundial de Pilotos, mas ainda com chances de título, ainda que bem remotas neste momento da temporada.

Em entrevista coletiva concedida pelos três primeiros colocados do grid sul-coreano, Hamilton reconheceu que não se achou no Q1 e justificou o rendimento ruim do McLaren MP4-27. “Foi uma sessão bastante chocante. Não consegui fazer uma boa volta e o trabalho não foi bom, já que os pneus não alcançaram uma boa temperatura. Tive um pouco de tráfego e fiquei encaixotado. Foi muito ruim, tive a sorte por ter avançado.”

Para a corrida, Hamilton disse que a McLaren precisa ser perfeita se quiser desafiar a Red Bull e voltar a vencer na temporada. Para isso, Lewis aposta no bom ritmo de corrida do MP4-27, amparado pelo bom desempenho apresentado por Jenson Button nos treinos livres com o carro mais pesado.

“Jenson mostrou ontem que o nosso ritmo de corrida é promissor, então estou realmente ansioso para a prova de amanhã. Para bater as Red Bull temos de fazer uma boa largada, adotar a estratégia correta e não cometer nenhum erro”, explicou Hamilton, garantindo que será agressivo desde o começo. Tudo para permanecer na luta pelo bicampeonato. “Estou indo para o tudo ou nada pela vitória amanhã”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube