Hamilton lamenta calor da Alemanha e diz que “pneus não gostam da temperatura”

Lewis Hamilton avaliou que o carro da Mercedes não viveu nenhum grande problema na sexta-feira de treinos livres, mas sofreu para se encaixar com o funcionamento dos pneus no calor de Hockenheim

O primeiro dia de atividades para o GP da Alemanha, esta sexta-feira (26) terminou com a Ferrari na dianteira. O forte calor em Hockenheim beirava os 40°C, algo que dificultou os trabalhos para Lewis Hamilton. De acordo com o pentacampeão, o desejo para o resto do fim de semana é que o calor diminua.
 
Hamilton não ficou tão atrás assim no TL2: foi o terceiro colocado, 0s146 mais lento que o líder Charles Leclerc. A grande questão para o carro da Mercedes, Hamilton destacou, foi o desgaste dos pneus. 
 
"Não tem sido o melhor dia em termos de calor, mas foi razoavelmente limpo. Os pneus não gostam da temperatura, então as voltas de saída para a pista eram bem lentas [para não desgastar] e, mesmo assim, não duravam muito", afirmou. 
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)

"É uma questão de tentar manter os pneus na janela de funcionamento, eles estão sempre fora, superaquecendo, e esse foi o maior problema do dia", seguiu.

 
Apesar do resultado abaixo do desejado, a Mercedes não teve problemas graves no carro.
 
"Não tivemos qualquer problema hoje, mas não fizemos simulação de corrida. Até fizemos long runs, e acho que estamos OK, mas esperamos que a temperatura não seja igual a hoje pelo resto do fim de semana" finalizou. 
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha o GP da Alemanha deste fim de semana EM TEMPO REAL.

Paddockast #26
Acidentes que alteraram carreiras

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube