Hamilton lidera 1-2 da McLaren no primeiro treino livre na Hungria

Dominante em Hungaroring, a McLaren colocou Lewis Hamilton na frente. O britânico anotou 1min22s821, 0s101 mais rápido que Jenson Button. Fernando Alonso foi o terceiro colocado, 0s576 atrás de Lewis, enquanto Felipe Massa fechou a manhã em sétimo

Dona de quatro das cinco últimas vitórias no GP da Hungria, a McLaren iniciou o fim de semana em Budapeste na condição de favorita. No primeiro treino livre da 11ª etapa do Mundial de F1 em 2012, a escuderia de Woking cravou dobradinha e não deu chances às rivais. Lewis Hamilton foi o mais rápido da manhã desta sexta-feira (27) e marcou 1min22s821. O britânico foi 0s101 mais rápido que seu companheiro de equipe, Jenson Button. Para se ter uma ideia do abismo entre a McLaren e as rivais, o terceiro colocado da sessão matutina foi Fernando Alonso, 0s576 mais lento que Lewis.

Quem também apareceu com boa performance no primeiro treino livre no circuito magiar foi a Mercedes, que colocou seus dois carros no top-5. Michael Schumacher passou praticamente toda a sessão à frente de Nico Rosberg, mas, no fim da sessão, o alemão mais novo superou o heptacampeão para ficar com o quarto melhor tempo. Com uma volta voadora já com o cronômetro zerado, Romain Grosjean garantiu o quinto lugar.

Hamilton liderou o primeiro treino livre do GP da Hungria (Foto: McLaren)

Michael Schumacher fechou em sexto depois de andar por muito tempo na quarta colocação. O heptacampeão foi mais rápido que Felipe Massa. Único brasileiro a participar do treino desta manhã, o piloto da Ferrari ficou a 1s083 do tempo de Hamilton em Hungaroring. Kimi Räikkönen, Valtteri Bottas, substituto de Bruno Senna na Williams na primeira sessão do fim de semana, e Sergio Pérez fecharam a lista dos dez primeiros.

Já a Red Bull foi bastante discreta na abertura dos trabalhos na Hungria. Mark Webber, vice-líder da temporada, ficou apenas em 13º, duas posições à frente do seu companheiro de equipe, Sebastian Vettel, terceiro colocado do Mundial de Pilotos.

Com o céu bastante ensolarado, a primeira sessão de treinos livres do GP da Hungria começou com os pilotos realizando as primeiras voltas de instalação para reconhecimento dos respectivos carros e das condições do asfalto húngaro. Alguns foram à pista com sensores aerodinâmicos para testes em peças como asas dianteira e traseira, por exemplo.

Assim como aconteceu semana passada, em Hockenheim, o primeiro treino do fim de semana na Hungria teve Jules Bianchi, Valtteri Bottas e Dani Clos nos lugares de Nico Hülkenberg, na Force India, Bruno Senna, na condução do carro 19 da Williams, e de Narain Karthikeyan, respectivamente.

Levou 20 minutos para que o primeiro piloto registrasse volta rápida no circuito magiar. E a marca coube a Heikki Kovalainen, que anotou 1min29s977 com o CT01 da Caterham. Obviamente, o tempo foi batido logo na sequência. O primeiro a fazê-lo foi seu compatriota e piloto da Lotus, Kimi Räikkönen.

Contudo, o finlandês logo recolheu aos boxes. Durante sua sequência de voltas rápidas, Kimi percebeu que havia problemas de aquecimento no motor Renault do seu carro, preocupando a Lotus, uma vez que seu ritmo na pista era muito bom.

Com pouco mais de 30 minutos de sessão, começou a brilhar a estrela da McLaren, que venceu nada menos que quatro das cinco corridas disputadas em Hungaroring. Button e Hamilton se alternavam fazendo a melhor volta da sessão. Mas Lewis se mostrava um pouco superior ao companheiro de equipe. Com dez voltas cada antes do retorno aos boxes, Hamilton tinha o melhor tempo com 1min22s821, 0s378 mais rápido que Jenson.

O terceiro colocado da sessão era Schumacher. Entretanto, a diferença entre o tempo de volta do heptacampeão para Hamilton era enorme: 1s139. Companheiro de equipe de Michael, Rosberg era o quarto, seguido pelo surpreendente e bom piloto Valtteri Bottas. Já a dupla da Ferrari ainda não havia marcado volta rápida na primeira metade da sessão.

Em sua primeira volta rápida depois de outras tantas para fazer testes aerodinâmicos, Massa cravou 1min25s765. Alonso foi à pista logo depois, mas marcou só 1min28s403. Logo depois, o brasileiro subiu para quinto, sendo 1s718 mais lento que Hamilton. Mas em seguida, Felipe foi superado por Sergio Pérez, e depois, por Alonso, caindo para sétimo. Lá na frente, a McLaren seguia suprema, seguida pela dupla da Mercedes.

Pouco utilizada ao longo do ano, a pista húngara trazia como principal problema para os pilotos a falta de aderência, já que havia pouca quantidade de borracha no asfalto. Assim, muitos pilotos deram suas ‘escapadas’, como Hamilton, Glock, Maldonado e Massa, mas tudo sem maiores consequências.

Ainda usando pneus médios, Schumacher e Massa melhoraram suas marcas. O alemão voltou à quarta colocação, sendo seguido pelo seu ex-companheiro de equipe na Ferrari. Felipe superou Alonso e ficou a 1s083 do tempo de Hamilton, já não tão soberano assim na liderança, já que Button também melhorou ao marcar 1min22s922, 0s101 atrás do ponteiro.

Já no fim da sessão, Alonso fez boa volta, anotou 1min23s503 e subiu para terceiro. Mas seu tempo ainda era bastante inferior ao de Hamilton, 0s682. Antes do fim da sessão, o espanhol melhorou mais um pouco e reduziu a diferença para o britânico a 0s576. Também no fim da sessão, Grosjean fez bela volta e passou, de uma só vez, Schumacher, Räikkönen e Massa, terminando a manhã em quinto.

F1, GP da Hungria, Hungaroring, treino livre 1:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube