Hamilton nega salário de R$ 4,5 milhões por semana e fala em “coisinhas” para renovar com Mercedes

Lewis Hamilton negou em sua coluna no site da rede de TV inglesa BBC que tenha pedido um salário de cerca de R$ 4,5 milhões semanais para renovar com a Mercedes, mas afirmou que o acordo com o time alemão está próximo. O atual campeão ainda disse que é sua primeira chance real de ser bicampeão de forma seguida

Às vésperas de iniciar a busca por seu terceiro título mundial de F1, mas ainda sem definições sobre o seu contrato com a Mercedes, que se encerra ao final do ano, Lewis Hamilton abordou o princípio da temporada em coluna no site da TV inglesa BBC.
 
Hamilton tratou de negar o boato de que pediu £1 milhão – cerca de R$ 4.5 milhões – por semana de salário para a Mercedes. Contou que a pausa durante a temporada passada foi sua decisão e disse ter demorado a sentar para conversar, mas não há nada estranho.
 
"Ouvi uma história de que eu estava pedindo £1 milhão (R$ 4.5 milhões) por semana. É a maior infâmia que foi escrita em algum tempo", disse.
 
"Aconteceram coisas depois do fim da temporada que me impediram de sentar e conversar antes da parada de final de ano. Falamos no telefone, mas não sentamos para conversar até eu voltar à Europa. Tivemos uma reunião, depois outra, é normal quando você está negociando", seguiu.
 
"Também levem em conta que é minha primeira vez fazendo isso sozinho, então tem sido uma experiência de tentar e errar para mim. Mas não há nada estranho acontecendo. Estamos próximos. Faltam algumas coisinhas, mas provavelmente será resolvido nos próximos dias", afirmou.
Lewis Hamilton (Foto: Getty Images)
O piloto da Mercedes ainda falou sobre defender um título com chances de manter a conquista. 
 
"Estou aqui para brigar pelo título de novo. Nunca estive nessa situação. Quando fui campeão na McLaren em 2008, o carro que tivemos em 2009 era muito ruim, o pior que eu já guiei até hoje", falou.
 
"Mas a nova Mercedes é melhor que a do ano passado. Está parecendo cada vez mais provável que eu tnho um carro para brigar pelo título, e isso traz um sentimento sensacional", concluiu, chamando a nova temporada de "jornada rumo ao desconhecido".
 
A F1 começa oficialmente neste domingo com o GP da Austrália. O GRANDE PRÊMIO acompanha todos os eventos ao vivo e em tempo real. 
QUEM É QUEM

Na terceira parte do Guia F1 2015, o GRANDE PRÊMIO faz um raio-X de cada uma das dez equipes do grid para o Mundial que começa neste fim de semana na Austrália, na pista de Melbourne, e que marca a 66ª temporada da história da F1.

O especial também traz as fichas completas dos 22 (!!!) pilotos que vão disputar o título mundial nas 19 ou 20 corridas previstas pelo calendário deste ano. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube