Hamilton pede mudanças mais frequentes nas regras para manter empolgação dos fãs e ‘apimentar’ F1

Apesar de correr na equipe que vem dominando a F1 nas últimas três temporadas, Lewis Hamilton deseja ver um esporte mais parelho e emocionante. Por isso, o tricampeão do mundo sugere que mudanças drásticas, como as vistas em 2017, sejam mais frequentes. Tudo para tornar a categoria mais emocionante e imprevisível

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Lewis Hamilton deseja ver uma F1 mais ‘apimentada’ e empolgante. Nem que para isso a Mercedes senha seu posto de força dominante do grid ameaçada. O tricampeão do mundo defendeu uma mudança mais frequente nas regras da categoria. Neste ano, a F1 introduziu mudanças no seu regulamento técnico e, ao menos na primeira corrida do ano, a Mercedes foi superada pela Ferrari, que venceu no GP da Austrália com Sebastian Vettel.

 
A Mercedes domina a F1 desde que a categoria mudou seu regulamento de motores com a nova ‘Era Turbo’, introduzindo unidades de potência híbridas V6. Até então, o protagonismo da F1 era da Red Bull. Com as mudanças para 2017, a expectativa é que a primazia da Mercedes seja ao menos ameaçada, com a Ferrari despontando como a grande candidata a desbancar a equipe prateada.
 
Hamilton, na esteira do domínio da Mercedes, foi quem mais se beneficiou, conquistando dois títulos mundiais e alcançando marcas que o colocaram definitivamente no rol dos grandes da F1: 53 vitórias, 62 poles e nada menos que cinco pódios. Mas Lewis não se importa em ser desafiado, pelo contrário.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Lewis Hamilton defende mudanças mais frequentes no regulamento da F1 (Foto: Divulgação/Mercedes)
“Quanto mais você luta, maior é a satisfação quando você é vencedor, então nós estamos totalmente prontos para um desafio e para uma luta. Então, é para isso que eu me preparo. Não acho que seja algo ruim”, disse o piloto da Mercedes em evento em Xangai nesta quarta-feira (5). 
 
“Não consigo me lembrar da última vez que tivemos três anos e, então, uma mudança nas regras, mas eu acho que eles deveriam encurtar isso e, talvez, fazer mais mudanças”, defendeu o britânico de 32 anos, sonhando com uma F1 mais equilibrada e, consequentemente, mais empolgante para os fãs.
 
“Porque muitas vezes pode haver o domínio de uma determinada equipe, e fica difícil de alcançá-la. Há um limite sobre quanto de desenvolvimento você pode ter ao longo do ano, e as equipes de ponta geralmente podem desenvolver [o carro] em um ritmo parecido”, considerou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Se você já tem uma diferença logo no começo, é difícil reduzir essa diferença quando tendo regras em termos de quanto de investimento e tempo você pode colocar desenvolvendo seus carros”, acrescentou Hamilton.

 
No fim das contas, Hamilton torce para que a F1 seja mais arrojada e possa implementar mudanças de regras com maior frequência. “Fazer mudanças drásticas dá uma apimentada. Eu nunca vi os fãs tão empolgados para a temporada como eles estão para esta temporada, uma vez que nós não sabemos onde estão os carros e as equipes. Então eu acredito que mais mudanças como essas seriam bem-vindas”, concluiu.

O GP da China, o segundo do campeonato, acontece neste fim de semana, e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades em Xangai AO VIVO e em TEMPO REAL.

 

PADDOCK GP #72 TRAZ ÁTILA ABREU E DISCUTE ETAPAS DA STOCK CAR, F1, INDY E MOTOGP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube