F1

Hamilton reage no campeonato e conquista 50ª vitória da carreira no GP dos EUA em dobradinha da Mercedes

Lewis Hamilton fez o que se esperava dele neste domingo (23) em Austin. Tentando reagir no campeonato, o inglês conquistou um importante triunfo no GP dos EUA e reduziu a diferença para Nico Rosberg para 26 pontos. Também foi a 50ª vitória da carreira na F1. Entre os brasileiros, Felipe Massa cruzou a linha de chegada na sétima posição, enquanto Felipe Nasr terminou em 16º

Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
 

Lewis Hamilton voltou a vencer na F1. Mais que isso, a conquista veio em um momento importantíssimo do campeonato, quando o tricampeão tenta se manter vivo na briga com o companheiro de Mercedes e rival pelo título, Nico Rosberg. A vitória o fez reduzir de 33 para 26 pontos a diferença que o separa do líder alemão, restando agora apenas três corridas para o fim da temporada. É também a primeira conquista nesta segunda fase do ano. Rosberg, que hoje foi segundo, vinha em uma sequência vitoriosa, tendo vencido quatro das últimas cinco provas. 
 
A verdade é que o inglês liderou praticamente de ponta a ponta e em nenhum momento foi ameaçado ou incomodado pelos adversários, seguindo como grande pontuador na capital texana. E a impecável atuação ainda ajudou o piloto de 31 anos a celebrar seu 50º triunfo da carreira na maior das categorias. Hamilton está agora só atrás de Alain Prost e do maior vencedor de todos os tempos, Michael Schumacher.

A Red Bull fechou a etapa norte-americana com um gosto agridoce. Por um lado, Daniel Ricciardo fez uma corrida forte e chegou a ameaçar a Mercedes, mas acabou sendo superado no melhor entendimento da corrida feito pela equipe alemã, que ganhou posições ao parar sob regime de safety-car virtual com Rosberg. O sabor amargo veio pelo abandono de Max Verstappen na metade da corrida, por uma falha aparentemente de motor. 

Sebastian Vettel ainda colocou a Ferrari em quarto, à frente de Fernando Alonso que botou a McLaren nos pontos novamente com o quinto lugar, conquistado depois de uma bela ultrapassagem em Carlos Sainz e Felipe Massa já nas voltas finais. Sergio Pérez, Jenson Button e Romain Grosjean completaram os dez primeiros. Felipe Nasr ainda cruzou em 16º.
Lewis Hamilton venceu em Austin (Foto: Mercedes)
Confira como foi o GP dos EUA de F1

O GP dos EUA teve início sob temperaturas mais altas do que as vistas durante os treinos. No momento da volta de apresentação, os termômetros registravam 27 graus, enquanto no asfalto a marca estava em 36ºC. Certamente, um grande desafio para os pneus. E falando nos compostos, os dois carros da Mercedes e Max Verstappen optaram por largar com os macios – os amarelos -, enquanto o restante do top-10 foi de supermacios. Outros que escolheram os vermelhos foram: Carlos Sainz, Sergio Pérez, Romain Grosjean e Jenson Button. Já o resto do grid decidiu pelos macios.
 
E assim eles foram para a primeira de 56 voltas. Quando as luzes se apagaram, Lewis Hamilton fez valer a posição de honra do grid, saiu tracionando bem e fez a primeira curva em primeiro, sem ser ameaçado. Largando de terceiro, Daniel Ricciardo ainda tentou se colocar por dentro, para já tirar a segunda colocação de Nico Rosberg e conseguiu, se colocando entre os dois carros prateados.
 
Mais atrás, Kimi Räikkönen partiu bem do quinto lugar e tomou o quarto posto de Max Verstappen. Enquanto isso, Nico Hülkenberg, Sebastian Vettel e Valtteri Bottas acabaram se tocando logo na primeira curva. Por conta do incidente, o alemão da Force India e o finlandês da Williams tiveram logo de ir aos boxes e aproveitaram para mudar os pneus. Só que Nico acabou abandonando na sequência. A vida da equipe indiana ainda foi afetada por uma rodada de Sergio Pérez. Na verdade, o mexicano foi tocado por Daniil Kvyat no fim da primeira passagem. O russo tomaria uma punição de 10s mais para frente.
Momento da largada em Austin (Foto: Red Bull)

Diante de todos esses incidentes, a primeira volta do GP norte-americano tinha Hamilton na liderança, à frente de Ricciardo, Rosberg, Räikkönen, Verstappen, Vettel, Massa, Sainz, Alonso e Button, que fechava o top-10. Esteban Gutiérrez, Grosjean, Pérez, Kvyat, Marcus Ericsson, Kevin Magnussen, Jolyon Palmer, Pascal Wehrlein, Esteban Ocon, Felipe Nasr e Bottas.
 
Lá na frente, Hamilton começou a virar em 1min43s649, abrindo gradativamente a vantagem para Ricciardo. No grupo intermediário, Massa vinha já pressionando Vettel pelo quarto posto, enquanto Alonso tentar alcançar Sainz, que vinha em sexto. 
 
Aí Ricciardo e Räikkönen vieram aos boxes na volta 9. De supermacios, os dois trocaram para os macios. O australiano voltou em sexto, enquanto o finlandês retornou em oitavo. No giro seguinte, Verstappen veio para buscar novos macios. E não demorou nada, a Mercedes chamou Rosberg na 11ª passagem, colocando pneus médios, dando a entender uma alteração de estratégia. 
 
Enquanto isso, Hamilton liderava, tendo agora Vettel em segundo e Massa em terceiro. Ricciardo, Sainz, Rosberg, Räikkönen, Alonso, Verstappen e Gutiérrez completavam os dez primeiros.
Lewis Hamilton em Austin (Foto: Red Bull)

Apenas duas voltas mais tarde, a Mercedes chamou Hamilton e, surpreendentemente, instalou pneus macios no carro do tricampeão, evidenciando uma clara mudança de tática entre seus dois pilotos. Lewis voltou à pista em segundo, atrás de Vettel, que seguia forte em cima dos compostos supermacios. 
 
Assim, o tetracampeão da Ferrari continuou na ponta, tendo Hamilton em segundo e Ricciardo em terceiro. De médios, Rosberg vinha em quarto, à frente de um rápido Verstappen. Räikkönen, Massa, Sainz, Kvyat e Ericsson fechavam os dez primeiros.
 
A corrida voltou à normalidade quando Seb foi finalmente aos boxes na volta 15. O ferrarista voltou à pista com os pneus macios e na sexta posição, logo atrás do companheiro Räikkönen e à frente de Massa. 
 
No pelotão da frente, Hamilton liderava com 4s7 de vantagem para Ricciardo, que tinha pouco mais de 2s de dianteira para o Rosberg, que vinha tentando se defender de Verstappen. Räikkönen e Vettel surgiram mais atrás, a 4s da briga entre o holandês e o alemão. Massa já estava fora da disputa, em um solitário sétimo lugar. Sainz, Alonso e Kvyat concluíam a zona de pontos.

Enquanto Hamilton ia se distanciando de Ricciardo, Rosberg fazia o mesmo para cima de Verstappen mais atrás. A briga mesmo entre os ponteiros era entre os dois ferraristas. Räikkönen vinha tentando manter Vettel atrás. Os dois lutavam pela quinta colocação. Mas a disputa entre os dois acabou interrompida na volta 25, quando a equipe italiana chamou o finlandês para o segundo pit-stop, equipando a Ferrari #7 com compostos supermacios. 
 
Na passagem seguinte, Ricciardo também fez mais uma visita aos boxes. E o australiano voltou com os pneus médios — os de risca branca. Uma volta depois, Verstappen foi aos boxes, mas a equipe austríaca não estava pronta. Na verdade, o jovem holandês errou e acabou indo antes da hora. Ainda assim, o time foi capaz de fazer o pit-stop. Max voltou à pista com os pneus médios, na sexta colocação, logo atrás de Räikkönen e à frente de Massa.
Max Verstappen abandonou a corrida na volta 31 (Foto: Reprodução/F1)
A corrida do holandês, entretanto, não durou muito mais. Verstappen surgiu lento, lento na volta 31. O piloto ainda foi tentando levar o carro de volta aos boxes, mas não deu, e o jovem acabou abandonando. Neste interim, Vettel foi aos pit-stop.

Por conta do abandono de Verstappen, a direção de prova acionou o safety-car virtual. Aí a Mercedes aproveitou a velocidade mais baixa do fazer a parada de Hamilton, que mudou para os pneus médios. Rosberg veio na mesma volta. E aí a manobra acabou colocando o alemão à frente de Ricciardo.  Alonso e Sainz também pararam.

A corrida voltou à velocidade normal no 33º giro. E Hamilton seguia em primeiro, com 9s9 de vantagem para Rosberg, que vinha cinco segundos à frente de Ricciardo, que tinha 1s apenas de dianteira para Räikkönen. Vettel surgia mais atrás em quinto, à frente de Sainz, Massa, Alonso, Pérez e Button.
 
Na volta 39, Räikkönen voltou aos pits, mas um problema na instalação do pneu acabou colocando fim a corrida do finlandês. Uma pistola ficou presa no carro do ferrarista, que precisou parar logo depois da saída do pit-lane. Mas sem delongas, Kimi voltou mesmo de ré para os boxes, abandonando na sequência.

No fim, Vettel ainda fez uma última parada, mas sem perder o quarto lugar. Mas quem pôs fogo nas últimas voltas foi Alonso, com duas lindas ultrapassagens. A primeira veio em cima do Massa, para pular para sexta e a segunda em cima do compatriota Sainz, para garantir um bravo quinto posto. 

Rosberg ainda tentou alcançar Hamilton, mas foi impossível. O inglês cruzou mesmo em primeiro, para celebrar a sétima vitória em 2016 e a 50ª da carreira na F1. A Nico coube o segundo lugar, logo à frente de Ricciardo.

A F1 volta já no proximo fim de semana com o GP do México.
F1, GP dos Estados Unidos, Austin, final:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 56 voltas
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +4.520
3 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER +19.692
4 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +43.134
5 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA +1:33.953
6 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO FERRARI +1:36.124
7 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +1 volta
8 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +1 volta
9 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA +1 volta
10 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI +1 volta
11 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI +1 volta
12 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT +1 volta
13 30 JOLYON PALMER ING RENAULT +1 volta
14 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI +1 volta
15 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI +1 volta
16 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +1 volta
17 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR MERCEDES +1 volta
18 31 ESTEBAN OCON FRA MANOR MERCEDES +2 voltas
19 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI NC
20 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER NC
21 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI NC
22 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES NC
           
MELHOR VOLTA SEBASTIAN VETTEL FIN FERRARI 1:39.877