Hamilton reclama dos pneus e pede que Mercedes descubra motivo de rendimento ruim na quinta-feira em Mônaco

Lewis Hamilton ficou como o meme do John Travolta: sem entender como foi que seu carro saiu do melhor rendimento da pista para o meio da tabela em algumas horas no primeiro dia de atividades da F1 em Mônaco. Segundo o tricampeão, o que resta agora é descobrir o que houve

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Primeiro dia de atividades da F1 em Mônaco, esta quinta-feira (25) não foi lá muito positiva para Lewis Hamilton. O tricampeão mundial não conseguiu andar acima do oitavo lugar e terminou o segundo treino livre em Monte Carlo mais de 1s1 atrás do líder Sebastian Vettel e mais de 0s5 atrás do segundo colocado, a Red Bull de Daniel Ricciardo. De fato, Hamilton admitiu que teve problemas durante a sessão principal, especialmente em termos de temperatura nos pneus.

 
O resultado acabou por ser uma surpresa porque Hamilton liderara a sessão inicial, mas não conseguiu acompanhar os rivais no fluxo de voltas rápidas depois. É, aliás, uma questão com a qual toda a Mercedes terá de lidar, visto que Valtteri Bottas também não foi bem e terminou em décimo. À frente deles, duas Ferrari, duas Red Bull, duas Toro Rosso e uma Force India; entre os dias, a Haas de Kevin Magnussen.
 
De acordo com Lewis em entrevista dada à rede de TV inglesa Sky Sports após o treino, o que resta para a Mercedes durante o resto da quinta e a sexta-feira é entender nas análises da telemetria o motivo de o carro e os pneus não terem casado por enquanto.  
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Na sequência, Hamilton respondeu sobre como é guiar os novos e mais rápidos carros da F1 nas curvas travadas de Mônaco – é, afinal, uma velocidade nunca alcançada por carros de F1 nesta pista. Para Hamilton, até mais fácil assim e o ajuste à velocidade a ao tamanho do novo carro na pista é sem problemas.
 
"É o mesmo que antes. O carro é muito melhor, tem mais aderência. Se alguma coisa, talvez seja mais fácil. É ótimo. Mônaco sempre é incrível de guiar, e é definitivamente o melhor carro que eu já guiei por aqui", afirmou. "Você se acostuma com a pista rapidamente. É como guiar um carro normal e depois um SUV. Você se acostuma", encerrou.

"Estávamos bem no TL1, mas alguma coisa deu errado nesse treino [TL2]. Precisamos entender o motivo", comentou. "Estava tudo muito bem hoje de manhã, mas à tarde, por algum motivo, os pneus não estavam funcionando. É algo que precisamos estudar e consertar para o sábado. Temos dois dias para trabalhar no carro", disse.

O GP de Mônaco acontece no próximo domingo (28), e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GENIAL, ALONSO FOI ESPETACULAR NA CLASSIFICAÇÃO EM INDIANÁPOLIS E ENTRA NO PÁREO PELA VITÓRIA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube