F1

Hamilton reitera que Mercedes “não escondeu o jogo” nos testes de Barcelona e lembra: “Temos de trabalhar”

Lewis Hamilton entende que prefere esperar um pouco mais para ter certeza da ordem de forças e da condição da Mercedes em lutar contra a Ferrari pelo título em 2019. Mas o pentacampeão foi enfático ao dizer que sua equipe não fez jogo de cena durante a pré-temporada: “Acho que está muito claro”

Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Apesar de Lewis Hamilton ter finalizado a sessão de testes de inverno em Barcelona com tempo apenas 0s003 mais lento em relação a Sebastian Vettel, ficou a impressão de que a Mercedes escondeu o jogo e que a Ferrari começa 2019 um pouco à frente da rival. Mas o pentacampeão, durante entrevista coletiva realizada na tarde desta quinta-feira (14), em Melbourne, tratou de reiterar que não há jogo de cena por parte do time pentacampeão do mundo e que vai levar algum tempo ainda para entender a real ordem de forças da F1 neste início de campeonato.
 
“Não é que os testes tenham uma leitura difícil. Acho que está muito claro. Não vamos saber até que saiamos para a classificação e até que aconteçam as duas primeiras corridas. Não estamos escondendo o jogo quando dissemos que teríamos de trabalhar e não mentimos, temos de trabalhar”, salientou o pentacampeão às vésperas da abertura dos trabalhos no GP da Austrália.
 
Hamilton ressaltou a importância da continuidade dos trabalhos na Mercedes, na linha de não mexer em time que está ganhando.
Lewis Hamilton deixou claro que a Mercedes vai ter de trabalhar duro para seguir no topo da F1 (Foto: Mercedes)
“Seguimos com o que dá certo. Se dá certo, não há por que mudar. Temos pessoas incríveis na equipe, e sua energia nos inspira. A comunicação é melhor do que nunca. E é muito impressionante que as pessoas sempre queiram melhorar. Temos soldados, lutadores dando tudo para assegurar nosso progresso”, disse.
 
Depois dos trabalhos na Catalunha, a expectativa é que os carros, sobretudo das equipes de ponta, sejam bem diferentes em relação ao que foi apresentado durante os testes de pista.
 
“Naturalmente, depois dos testes você pode melhorar depois que o carro se apresenta e você obtém informações. Então, os engenheiros pegam os dados. Vai ser interessante ver como as atualizações da Red Bull vão funcionar, e a Ferrari também vai trazer atualizações”, comentou.
 
Por fim, Hamilton reforçou que não há privilégios dentro da Mercedes e que Valtteri Bottas conta com as mesmas condições de lutar pelo título de uma temporada que só vai finalizar no início de dezembro.
 
“Bottas e eu temos liberdade para competir, como sempre. Gosto assim, que os dois tenhamos igualdade de oportunidades, que não apenas um só tenha chance de vencer o título”, declarou o pentacampeão, que pregou foco na regularidade. “A temporada é longa, e é sobre terminar as corridas, de marcar o maior número possível de pontos”, concluiu.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do fim de semana do GP da Austrália, etapa de abertura da temporada 2019 do Mundial de F1. Acompanhe tudo aqui.