Hamilton supera Button e lidera dobradinha da McLaren em Monza. Atrás de Alonso, Massa é 4º

A diferença entre os três primeiros colocados na tarde desta sexta-feira (7), em Monza, foi pequena. 58 milésimos separaram o líder da sessão, Lewis Hamilton, do líder do campeonato, Fernando Alonso. Felipe Massa voltou a andar entre os primeiros e terminou no quarto lugar

► As imagens desta sexta-feira da F1 na Itália

McLaren, McLaren, Ferrari, Ferrari. Com Lewis Hamilton, Jenson Button, Fernando Alonso e Felipe Massa, nesta ordem, as equipes que venceram as três últimas etapas do Mundial de F1 dominaram o segundo treino livre realizado nesta sexta-feira (7) em Monza, na Itália, onde acontece o 13º GP de 2012.

Todos os três primeiros colocados – e mais uma penca de pilotos – chegaram a liderar a sessão em algum momento. Mas foram justamente Alonso, Button e Hamilton os últimos a ocuparem a primeira posição, na ordem inversa do resultado final. Pouco depois da metade do treino, Button desbancou Alonso, mas não demorou nada para que fosse desbancado por Hamilton. A partir deste momento, o treino esfriou e não ocorreram mais alterações nas primeiras posições.

Lewis Hamilton foi o mais rápido da sexta-feira em Monza, onde nunca venceu (Foto: McLaren)

Quinto colocado no treino da manhã, Felipe Massa evoluiu e terminou em quarto no período vespertino na Itália. Ele ficou pouco a frente de Nico Rosberg, da Mercedes, que aparece como a terceira força após os dois treinos desta sexta. Kimi Räikkönen foi o sexto.

O top-10 contou com a presença das duas Force India, que historicamente andam bem em Monza. Paul di Resta foi o sétimo e Nico Hülkenberg, o oitavo. Sergio Pérez terminou em nono e Michael Schumacher foi o décimo.

Quem não foi nada bem foi a Red Bull. Mark Webber terminou o dia com o 11º melhor tempo, ao passo que Sebastian Vettel amargou o 13º posto. Entre eles esteve Jérôme D’Ambrosio, belga que substitui Romain Grosjean, suspenso, na Lotus.

Bruno Senna mal apareceu durante o único treino livre de que participou nesta sexta em Monza. O brasileiro da Williams concluiu a sessão na 17ª colocação. Seu companheiro, Pastor Maldonado, foi o 14º.

Confira como foi o segundo treino livre para o GP da Itália

Ao contrário do que aconteceu na sessão matutina em Monza, os pilotos não deixaram os boxes apenas para voltas de instalação. Já nos primeiros cinco minutos de treino, metade do grid completou voltas cronometradas. O primeiro foi Sergio Pérez, da Sauber, mas seu tempo não foi grande coisa, 1min25s713.

Nesta primeira leva de tempos, Kimi Räikkönen fez 1min25s934 e assumiu a ponta, mas o finlandês da Lotus ainda era 0s5 mais lento do que Michael Schumacher fora pela manhã. Jenson Button era o segundo, com 1min26s398.  Pérez, em um long-run, já aparecia em terceiro, tendo melhorado 1s3 em relação a sua volta voadora. As duas Force India, com Nico Hülkenberg e Paul di Resta, respectivamente, completavam o top-5.

Quando a dupla da Mercedes entrou na pista, rapidamente saltou para os primeiros lugares. Nico Rosberg registrou o segundo tempo e Schumacher, o quarto. Frações de minutos depois, Lewis Hamilton e Felipe Massa fizeram exatamente a mesma coisa, derrubando os alemães.

Button baixou em 0s1 a marca de Räikkönen para assumir o primeiro lugar. Sua estadia não durou muito, contudo. Rosberg voou ainda mais e alcançou o desempenho apresentado por Schumacher pela manhã. As Ferraris também voltaram a andar rápido em casa. Felipe Massa foi para segundo e Fernando Alonso, para terceiro. Minutos depois, o espanhol superou a si mesmo e a Rosberg. Ele era o novo líder.

Button chegou a liderar, mas foi batido por Hamilton em Monza (Foto: McLaren)

A uma hora do fim do sessão, os dez primeiros no treino estavam assim ranqueados: Alonso, Rosberg, Massa, Button, Hamilton, Räikkönen, Schumacher, Di Resta, Pérez e Hülkenberg. A partir daí, os pilotos começaram a avaliar o comportamento dos compostos médios, os mais macios levados pela Pirelli para Monza. Dois mais rápidos, foi Massa quem começou esse trabalho. O primeiro a ganhar posições nesta segunda fase do treino foi Räikkönen, que passava ao quarto posto.

A dupla da Red Bull seguia desaparecida. Na metade do treino, Sebastian Vettel era somente o 12º. Mark Webber se encontrava ainda mais para trás, em 15º.

Por 0s016, Massa bateu Rosberg, assumiu o segundo posto e recolheu para os boxes. A seguir, Button resolveu andar rápido e bateu Alonso por míseros 0s022 para retomar a liderança. Momentaneamente, Webber conseguiu se colocar no top-10, mas de lá foi prontamente tirado por Hülkenberg.

As mudanças de líder não cessavam e, mais uma vez, Button não durou muito na primeira colocação. Desta vez, foi seu companheiro de McLaren que saltou para a ponta, com o tempo de 1min25s290, 0s038 mais rápido que Button e 0s060 que Alonso.

A sorte que tanto acompanhou Alonso durante a primeira metade do campeonato parece ter se afastado do espanhol. Depois do acidente na largada na Bélgica e de ter parado na pista na sessão matutina de treinos livres em Monza com um problema no motor, o piloto viu seu câmbio emperrar na segunda marcha e precisou voltar lentamente para os boxes. Terminal, o problema encerrou prematuramente seu treino, 25 minutos antes do previsto.

Massa também passou por um momento inesperado. Enquanto rasgava a reta oposta, um defletor que havia na parte de cima de seu capacete se desprendeu e virou detrito.

A dez minutos do fim do treino, os dez primeiros eram: Hamilton, Button, Alonso, Massa, Rosberg, Räikkönen, Di Resta, Hülkenberg, Pérez e Schumacher. Webber vinha em 11º, Jérôme D’Ambrosio em 12º e Vettel em 13º.

Dos boxes, D’Ambrosio era observado pelo dono do carro de número 10, o francês Romain Grosjean, suspenso por uma corrida após o acidente que provocou na largada do GP da Bélgica. O titular da Lotus estava lá, sentado no pit-wall, só olhando o chato fim de treino em Monza.

A coisa só não era pior porque, nas fortes freadas do circuito italiano, sempre havia alguém errando. No finzinho, Schumacher precisou dar uma bela corrigida na Variante Ascari e Vettel passou reto na Della Roggia.

Na pista, mesmo, pouco mudou. Ou melhor, nada: Hamilton, Button, Alonso, Massa, Rosberg, Räikkönen, Di Resta, Hülkenberg, Pérez e Schumacher; Webber, D’Ambrosio e Vettel seguiram, fechando os 13 primeiros. Bruno Senna terminou em 17º.

F1, GP da Itália, Monza, treino livre 2:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube