F1
09/06/2018 18:28

Hamilton vê “trabalho melhor” da Ferrari em Montreal e assume culpa por 4º lugar: “Voltas simplesmente foram ruins”

Sem culpar ausência de novos motores pelo desempenho insatisfatório, Lewis Hamilton lamentou a segunda fila no GP do Canadá. O inglês, porém, preferiu não opinar sobre as chances de fazer prova de recuperação no domingo (10)
Warm Up / EDUARDO PASSOS, de São Paulo
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)

Após conquistar o quarto lugar nos treinos classificatórios do GP do Canadá, Lewis Hamilton não escondeu a insatisfação com o seu desempenho na sessão. O inglês foi a pior Mercedes do dia e viu Valtteri Bottas chegar em segundo, logo após Sebastian Vettel. O #44 divide a segunda fila com Max Verstappen.

O sábado (9) começou com mudanças e incertezas para a Mercedes, que voltou a utilizar os pneus hipermacios após os problemas sofridos na etapa de Mônaco da F1. As Flechas de Prata, porém, seguiram para o Q3 sem dificuldades. Logo no início da terceira porção do treino, o inglês evoluiu até baixar a marca dos 1min11s, porém, à medida que os competidores melhoravam seus tempos, sobrou para o campeão mundial apenas a quarta colocação — idêntica à obtida nos treinos de sexta-feira, quando rodou apenas com peças mais duras.
Lewis Hamilton largará em quarto no GP do Canadá (Foto: AFP)

Visivelmente decepcionado com o desempenho, Hamilton evitou culpar o cancelamento inesperado da introdução de novas unidades de potência nas Mercedes. Além disso, o dono do #44 não se manifestou sobre as chances de alcançar o pole Vettel.

“Foi uma sessão difícil. As voltas simplesmente foram ruins. Nosso ritmo de corrida estava bom ontem, mas hoje não teve jeito. Não acho que tenha a ver com o motor", disse Hamilton. "Olha, para ser honesto não parei para ver [se tenho chance de alcançar a Ferrari]. Acho que estivemos perto, eles fizeram um trabalho melhor e é assim que funciona”, seguiu.

Apesar da cautela nas previsões, Hamilton traçou um breve panorama sobre o que espera para a corrida. Moderado, o líder do campeonato ressaltou a pequena distância entre os competidores da ponta e surpreendeu, apontando esperar poucas ultrapassagens no traçado conhecido pelas disputas por posição. Além disso, o inglês se apoiou no bom desempenho do carro nos treinos livres para acreditar em melhorias para a prova.

“Você pode perceber como as coisas são apertadas no pelotão de frente. Nosso ritmo foi muito bom ontem, acho que o ritmo das voltas, individualmente, foi também. Entretanto, acho que pode ser desafiador ultrapassar amanhã", opinou. "Certamente será duro vencer largando em quarto, mas nada é impossível. Vou fundo nisso durante a noite, meu foco agora é no amanhã”, terminou.

O resultado do inglês vem em contraste com a etapa canadense de 2017, quando Lewis fez a pole e venceu. No circuito de Gilles Villeneuve, porém, apenas sete pole-positions venceram nas últimas 15 provas de F1, o que reforça a imprevisibilidade para o domingo.

A largada do GP do Canadá ocorre nesse domingo (10), às 15h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.
CONFLITO À VISTA?

NOVA EQUIPE DE LORENZO, HONDA É TODA MOLDADA PARA MÁRQUEZ