F1

Hamilton vibra com vitória em Abu Dhabi e prevê que “honesto” Vettel “vai voltar mais forte ano que vem”

Lewis Hamilton aproveitou a chance de dividir o pódio da última corrida do ano com Sebastian Vettel para novamente mostrar todo seu respeito pelo alemão ao defendê-lo: “Há muita pressão sobre nós, então não nos julgue pelas nossas falhas”
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Sebastian Vettel e Lewis Hamilton (Foto: AFP)

Lewis Hamilton encerrou a temporada que marcou a conquista do pentacampeonato com chave de prata: levando a Mercedes ao topo do pódio pela 11ª vez em 2018. A vitória contundente do britânico nesta noite de domingo (25) em Abu Dhabi foi comemorada no pódio ao lado de Sebastian Vettel, seu grande adversário nos últimos anos. O alemão finalizou na segunda posição com a Ferrari, sendo seguido pela Red Bull de Max Verstappen.
 
A rivalidade entre os dois grandes campeões da década se acentuou no ano passado na esteira de incidentes polêmicos, como no GP do Azerbaijão. Mas, neste ano, em meio às disputas pelo pentacampeonato, Hamilton e Vettel mostraram um respeito mútuo. E uma nova amostra desta admiração partiu de Hamilton na festa pela vitória em Yas Marina.
Lewis Hamilton e Sebastian Vettel não escondem a admiração mútua (Foto: AFP)
“É uma grande honra e privilégio correr contra Sebastian. Eu o conheço desde nosso tempo na F3 e ele é um piloto honesto, que sempre correu com o coração”, destacou o pentacampeão.
 
Hamilton partiu em defesa de Vettel, muito criticado, sobretudo pela imprensa italiana, após os erros cometidos ao longo da temporada, o que foi decisivo para que o alemão perdesse força no segundo semestre e, consequentemente, ficar atrás de Hamilton, o dono do título em 2018.
 
“Há muita pressão sobre nós, caras, então não nos julgue pelas nossas falhas. Sei que ele vai voltar mais forte no ano que vem”, previu o piloto.
 
A respeito da vitória em Abu Dhabi, antes de tirar a camisa no pódio para comemorar, Hamilton festejou muito com os fãs na reta dos boxes. “Estou muito feliz. Obrigado a vocês por toda a torcida neste ano”. 
 
O #44 ainda aproveitou para elogiar o trabalho feito pelos engenheiros da Mercedes, que optaram por chamá-lo aos boxes logo que o safety-car entrou na pista por conta do abandono de Kimi Räikkönen no início da prova, trocando os pneus ultra pelos supermacios. No começo, Lewis achou que a estratégia fosse equivocada e temeu pelo desgaste dos pneus, mas a tática deu resultado e lhe valeu mais uma vitória no ano.
 
“Os engenheiros sempre falam sobre parar mais cedo. Eles [os pneus] estavam gelados e parecia que não era o certo. Mas isso se mostrou correto. Então agradeço demais aos engenheiros”, vibrou.
 
Por fim, sobraram palavras elogiosas ao seu primeiro grande rival na F1, Fernando Alonso, que se despediu do esporte neste domingo. “Fernando é uma verdadeira lenda. Foi um privilégio correr quando ele esteve correndo. Eu perguntei durante todo o fim de semana se eu vou sentir falta dele. Não sinto falta de outro piloto, mas o esporte vai sentir falta dele e vou sentir falta dele no esporte”, concluiu.