Consultor da Red Bull usa fala xenofóbica para criticar Pérez: “Mente sul-americana”

Para Helmut Marko, consultor da Red Bull, Sergio Pérez não consegue desempenhar bem em classificação porque a “mentalidade sul-americana” não o permite focar em seus objetivos. Além de tentar justificar os problemas com uma fala xenofóbica, o austríaco esqueceu que o México fica na América do Norte

Helmut Marko voltou a disparar palavras xenofóbicas contra Sergio Pérez, na tentativa de explicar um desempenho abaixo do que é esperado pela Red Bull na Fórmula 1 2023. Em entrevista ao Sport & Talk da Servus TV, na Áustria, o consultor afirmou que o mexicano não consegue ir bem em voltas lançadas porque sua origem “sul-americana” não lhe permite se concentrar para tirar o máximo proveito do carro. Ele só esqueceu, no entanto, que o México fica na América do Norte.

Sergio Pérez tem vivido um período complicado junto à Red Bull. Com alguns acidentes durante os treinos e a marca de pior classificador da história da equipe, o #11 teve performances melhores na volta das férias de verão. Porém, isso não foi o suficiente para poupá-lo das críticas de Marko, que não gostou do fato de ‘Checo’ ter sido superado pelas duas Ferraris na classificação para o GP da Itália.

Relacionadas


▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Pérez garantiu a dobradinha da Red Bull na Itália, mas ainda assim foi criticado por Marko (Foto: Red Bull Content Pool)

“O GP de Itália foi certamente um dos melhores fins de semana de ‘Checo’ Pérez e sabemos dos seus problemas na classificação, que é onde ele tem as suas hesitações. Vamos lembrar que ele é sul-americano e é por isso que sua cabeça não está tão focada quanto a de Max Verstappen ou Sebastian Vettel, mas correr é o seu forte e ele fez uma corrida muito boa”, afirmou Marko.

Essa não foi a primeira vez que o consultor da Red Bull se valeu da xenofobia para explicar as dificuldades de Pérez em um carro de corrida. No ano passado ele disse algo parecido para justificar a oscilação no desempenho do piloto e, novamente, errou a localização do México.

“Como sul-americano ele geralmente passa por muitos altos e baixos. Max não tem medo, e Sergio Pérez tem muito medo, embora não seja algo diferente de como ele vive na Cidade do México”, disse Helmut, na época, em referência à violência da capital do país.

Fórmula 1 retorna no próximo final de semana, de 8 a 10 de setembro, para o GP de Singapura. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.