Horner acredita que briga por títulos terá quatro equipes na reta final da temporada de 2012

Para o chefe da Red Bull, Christian Horner, a briga pelos títulos de equipes e pilotos terá muita gente envolvida. Leia-se Ferrari, McLaren e Lotus, além da Red Bull, única a contar com dois pilotos bem colocados

Chefe da Red Bull, Christian Horner acredita que a disputa pelo título reunirá, até o fim, quatro equipes e cinco pilotos, dada a força apresentada por McLaren e Lotus no GP da Hungria do último fim de semana.

A prova disputada no leste europeu, última antes das férias de verão, viu uma disputa pela vitória entre dois times que, nas últimas provas, haviam ficado um pouco para trás, mas deram mostras de que poderão sim fazer frente tanto à dupla rubrotaurina quanto a Fernando Alonso, o líder do campeonato.

Horner sabe que o grande número de concorrentes tornará mais difícil a batalha pelo título (Foto: Red Bull/Getty Images)

Para Horner, a quantidade de pontos somados por seu time após onze corridas dá confiança antes da pausa para as férias: “Vamos para as férias de verão com 53 pontos de vantagem no Mundial de Construtores e com nossos pilotos em segundo e terceiro no Mundial de Pilotos”.

O líder dos pilotos é o espanhol Fernando Alonso, que tem 264 pontos, contra 124 de Mark Webber e 122 de Sebastian Vettel. Lewis Hamilton é o quarto, com 117, e Kimi Räikkönen está logo atrás, com 116. Já na batalha de construtores, a McLaren aparece na segunda posição, perdendo por 246 a 193. A Lotus tem 192 e a Ferrari, 189.

A vantagem no campeonato de construtores e a boa colocação de seus pilotos, porém, não tiram a cautela de Horner. “Ainda há 225 pontos em disputa, com nove corridas para o fim, e será uma briga com muita gente envolvida”, ponderou o dirigente. “Vamos usar essa semana antes do fechamento da fábrica para evoluir. Depois é uma boa oportunidade para todos na companhia recarregar as baterias antes de três meses ‘maníacos’”, acrescentou.

Se o conjunto da obra agrada a Red Bull, o resultado do GP da Hungria, nem tanto. “É um circuito muito particular e a McLaren pareceu muito forte aqui há um ano”, lembrou Horner. Na prova disputada em Budapeste, Vettel terminou em quarto, e Webber, só em oitavo.

Sempre há, porém, algo para se tirar de positivo: “O encorajador é que tivemos um bom ritmo de corrida”. Horner lamentou que, apesar disso, Vettel tenha passado “90% da corrida olhando para a traseira de alguém, pois, quando ele teve pista limpa, ele estava muito rápido”. O alemão foi o dono da volta mais rápida da corrida.

“Espero que tenhamos aprendido muito neste fim de semana, e que possamos aplicar isso nas próximas corridas – das quais nenhuma se assemelha a essa”, concluiu o britânico. A próxima etapa da temporada acontece em Spa-Francorchamps, na Bélgica, e a seguinte, em Monza, na Itália – duas pistas de altíssima velocidade.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube