Horner admite interesse do Grupo Volkswagen na F1, mas nega que já exista acordo com Red Bull: “Pura especulação”

Christian Horner, o chefe da Red Bull, falou que de fato houve uma conversa da Red Bull com a Audi e o Grupo Volkswagen, mas que a montadora só seria capaz de produzir um motor competitivo em "dois ou três anos"

Christian Horner admitiu que o Grupo Volskwagen indicou ter interesse em ingressar no Mundial de F1, mas descartou que já exista um acordo entre a montadora e a Red Bull.

A entrada da Volkswagen na F1, possivelmente com a Audi, é um assunto recorrente no noticiário da categoria. Contudo, ganhou muita força nos últimos anos depois que o ex-chefe de equipe e hoje comentarista da BBC Eddie Jordan, e o jornal alemão 'Bild', foram contundentes ao falar que uma parceria estava fechada para começar na temporada 2018. A marca utilizada na F1 seria a Audi.

Red Bull e Audi juntas na F1? Isso de fato está sendo ao menos estudado nos bastidores (Foto: Getty Images)

Horner adotou o não menos recorrente discurso evasivo que se vê com frequência na F1 quando determinados assuntos não podem ser comentados publicamente.

"Eu acho que é ótimo que a Volkswagen esteja mostrando interesse na F1. Mas tudo é pura especulação no momento. Mesmo que eles decidam se comprometer com a F1, você está falando de um mínimo de dois ou três anos antes de poder produzir um motor competitivo", afirmou.

Para ele, no entanto, seria importantíssimo que uma montadora do peso da Volkswagen alinhasse no grid e podendo desenvolver uma unidade de potência forte. "É importante ter fabricantes de motor competitivas. Estamos rapidamente nos encaminhando para duas unidades dominantes, e isso não é saudável para a F1. Na era dos V8, você tinha três ou quatro motores capazes de vencer, mas agora você só tem dois motores que conseguem vencer por mérito próprio", criticou.
Horner ainda disse que a Red Bull e a Renault estão se aproximando de um acordo, no entanto, admitiu que "as implicações que isso terá para o futuro estão longe de estar claras". Também disse que a Red Bull e a Ferrari têm um "diálogo saudável" e que os rubrotaurinos estão "esperando um feedback" a respeito de um possível acordo para compra de motores.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube