Horner revela novo problema com medidor e afirma que vai conversar com Whiting para procurar soluções

Chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner diz que não sabe bem como resolver novas dificuldades com medidor de combustível e conta que Red Bull não é a única tendo problemas com dispositivo

A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO
As imagens da sexta-feira da F1 na Malásia
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

A Red Bull voltou a ter os problemas na medição do uso de combustível que causaram a desclassificação de Daniel Ricciardo do GP da Austrália, duas semanas atrás. O fluxômetro do carro rubro-taurino do australiano apresentou erros logo no começo do treino matutino, hoje, em Sepang, o que obrigou a equipe a substituir o sensor para tentar evitar os mesmos problemas de Melbourne.
 
Após o TL2, o chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner, afirmou que vai buscar esclarecimentos junto à FIA para saber o que fazer para evitar problemas sem comprometer seu desempenho de corrida.
Christian Horner vai conversar com Charlie Whiting (Foto: Getty Images)
"Vamos ter de conversar com o Charlie Whiting (diretor de prova). No momento, se virmos um problema como esse não sabemos bem o que fazer. Espero que possamos concordar que esso é um assunto sensível", contou. 
 
"Tivemos um sinal de falha no carro do Daniel imediatamente que fomos à pista, então, substituimos o sensor para o treino da tarde. Ainda não recebi os resultados. Com sorte, funcionou e vai seguir assim pelo resto do fim de semana. Caso não funcione, estaremos numa posição esquisita, mas vamos tentar trabalhar com a FIA. É o mesmo dilema que na Austrália", disse Horner.
 
O chefão da Red Bull ainda afirmou que sabe da existência de problemas que outras equipes estão tendo com o sensor de medição de combustível.
 
"As outras equipes não contam muita coisa para a gente, mas sabemos que não somos os únicos com problemas. A Toro Rosso teve alguns hoje de manhã, o sensor de Sergio Pérez (Force India) falhou pela corrida toda e a de outros carros passaram leituras diferentes", revelou.
 
"O problema é que o sensor dispersa, nosso problema não com a inconsistência, mas uma constante dispersão na distribuição de combustível. Precisamos de um sensor que que seja consistente com a distribuição de combustível, isso é o mais importante. Portanto, teremos de fazer esse julgamento na corrida, dependendo o que o sensor esteja dizendo", encerrou.

O terceiro treino livre começa às 2h deste sábado, enquanto a classificação dá a partida às 5h. O GP da Malásia está marcado para as 5h do domingo. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo em tempo real.

Viaje para Mônaco e acompanhe o GP mais tradicional do Mundial da F1 com o GRANDE PRÊMIO por um PREÇO ESPECIAL. Veja o pacote aqui:

Foto: Mais uma novidade nesta semana de início da F1: leitor/seguidor do GRANDE PRÊMIO tem preço especial na compra dos pacotes com a AMK Viagens. Já pensou em ir para Mônaco e acompanhar essa F1 imprevisível no glamour do Principado? Dica de amigo: dá uma olhadinha, fala com os amigos e entra em contato com o Edgar Efeiche para uma viagem em alta velocidade: http://www.amkviagens.com.br/2011/index.php/terrestres_internacionais/ver/104

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube