F1

Informações conflitantes sobre condição de Schumacher provocam dúvida crescente

Enquanto 'Gazzetta' dá conta de bons indícios para o alemão, 'Telegraph' faz o contra-ponto como um mensageiro de Jó

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro


Entre o final de janeiro — quando a assessora de imprensa de Schumacher, Sabine Kehm, informou que os médicos haviam começado o processo para retirar o sete vezes campeão mundial de F1 do coma — e a semana passada — com Kehm voltando aos holofotes para afirmar que o processo estava em curso e podia levar meses —, poucos se sabia sobre o estado de saúde do alemão. Nos últimos dias, embora ainda não haja certezas, duas correntes de informação surgiram.

Uma delas é liderada pelo jornal italiano ‘La Gazzetta dello Sport’, que defende a recuperação lenta de Schumacher. Segundo a publicação, o alemão foi capaz de mover dedos da mão e, após exames, teria sido detectado que ele não está paralisado. Porém, ainda de acordo com os italianos, Michael teria perdido 20 kg desde que chegou ao hospital em Grénoble, nos Alpes Franceses, e estaria com 55 kg.

A outra corrente tem o britânico ‘The Telegraph’ acompanhando informações de que os médicos que seguem o caso teriam informado aos familiares do campeão que “apenas um milagre” salvaria a vida de Michael Schumacher, após mais de três meses de coma, e que é hora de se preparar para o pior.  

Falta de notícias concretas sobre estado de saúde de Michael Schumacher causa dúvidas (Foto: Getty Images)


“A probabilidade de uma recuperação completa de Schumacher é mais baixa a cada momento. O famoso, bem-humorado e rápido Schumi provavelmente não será visto de novo”, disse o chefe-médico de um hospital de reabilitação de Basel, na Suíça, ao jornal alemão ‘Blick’ em sua versão dominical.

Já o especialista em casos de coma Mark Mader manifestou sua opinião geral de situações como a do alemão, mas defendeu que todas os prognósticos feitos no momento tratam-se apenas de especulações.

“Quanto maior o tempo que alguém fica no coma, menores as chances do cérebro se recuperar bem. Quando Schumacher acordar, os danos severos devem permanecer”, disse. “O caso real dele ninguém sabe qual é. Nem a equipe que está cuidando do caso sabe. As especulações dificilmente são os prognósticos reais”, completou.

Schumacher sofreu um acidente enquanto esquiava com seu filho na estação de Méribel, em 26 de dezembro. O sete vezes campeão mundial, um esquiador experiente, acabou caindo enquanto percorria o caminho fora das delimitações da estação, bateu a cabeça a uma pedra e acabou sendo colocado em como no mesmo dia após uma cirurgia que visou retirar alguns coágulos de sangue do seu cérebro. 

icone_warmup Reportagem exclusiva na REVISTA WARM UP:
A vida por um fio - o que será de Schumacher?

GRANDE PRÊMIO EUROBIKE: mostre que você sabe tudo de F1