Investigação indica que Schumacher estava 4,5 m fora da pista e foi catapultado no acidente, diz jornal

De acordo com o jornal alemão ‘Bild’, a investigação sobre o acidente de Michael Schumacher nos Alpes Franceses concluiu que ex-piloto estava apenas 4,5 m fora de pista no momento da queda. Ainda segundo a publicação, o heptacampeão da F1 foi catapultado e voou por cerca de 10 m


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O jornal alemão ‘Bild’ publicou na edição desta terça-feira (18) mais detalhes sobre o acidente sofrido por Michael Schumacher na estação de esqui de Méribel, nos Alpes Franceses, no dia 29 de dezembro de 2013. Segundo a publicação, o ex-piloto estava poucos metros fora de pista, mas foi catapultado no momento do acidente.

A publicação alemã, que teve acesso aos documentos da investigação feita pelas autoridades francesas, afirma que o acidente aconteceu às 11h07 (7h07 no horário de Brasília) e que Schumacher estava apenas 4,5 m fora do limite da pista Chamois quando colidiu com uma rocha encoberta pela neve. A informação inicial era de que Michael tinha saído 8 m da rota.

O esqui fora de pista é uma modalidade bastante popular entre atletas mais experientes. Nas estações, máquinas percorrem as pistas, retirando pedras e árvores, e compactando o gelo. Fora das zonas demarcadas, entretanto, o terreno preserva suas caracteristicas naturais, contendo rochas e vegetação, e com a neve mais fofa, aumentando o grau de dificuldade do percurso.

Michael Schumacher (Foto: Getty Images)

O jornal alemão indica, ainda, que Schumacher foi catapultado e voou por 10,4 m antes de bater o lado direito do crânio em uma segunda rocha.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A publicação germânica também rejeita a teoria de que a câmera instalada no capacete de Michael tenha contribuido para a quebra do casco. Segundo o ‘Bild’, a GoPro estava instalada no centro do equipamento de proteção e ficou intacta.

Na última segunda-feira, a promotoria de Albertville anunciou que a investigação sobre o acidente tinha sido arquivada sem identificar culpados. Segundo o ‘Bild’, a família Schumacher ainda pode acionar a justiça, mas a prioridade é a recuperação do ex-piloto de Ferrari e Mercedes.

Depois de um mês em coma induzido, os médicos começaram a retirar os medicamentos no fim de janeiro, mas Schumacher ainda não acordou. De acordo com Sabine Kehn, assessora de imprensa do heptacampeão, o quadro de Michael não sofreu alterações.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube