Irritada, Red Bull acusa Ferrari de “jogar” ao oferecer versão 2015 dos motores para próxima temporada da F1

O tom das declarações de Helmut Marko, consultor da Red Bull, indica o tamanho da impaciência enquanto não define seu fornecedor de motor para a próxima temporada. A equipe de Milton Keynes quer contar com a unidade de potência da especificação de 2016 da Ferrari

Antes mesmo de oficializar o novo contrato com a Ferrari para ser sua nova fornecedora de motores a partir de 2016, a Red Bull já está em pé de guerra com a fábrica de Maranello. Tudo isso depois da crise deflagrada com a Renault que acabou por encerrar um casamento que rendeu nada menos que oito títulos mundiais da F1 entre os ‘anos dourados’ de 2010 e 2013.

O fato é que a Red Bull bate o pé e exige que a Ferrari lhe forneça os motores da especificação de 2016. A equipe tetracampeã do mundo não aceita receber um motor de especificação antiga, como acontece hoje com a Manor Marussia, que conta com uma unidade de força de 2014. Por tal indefinição, Helmut Marko, consultor da Red Bull, acusou a Ferrari de “estar jogando” com a equipe de Milton Keynes, gerando ainda mais insatisfação e aumentando o tom de ameaça de sair de vez da F1.

A Red Bull de Helmut Marko e Christian Horner endurece jogo e já cria crise com Ferrari antes de fechar parceria (Foto: Getty Images)

Segundo a publicação norte-americana ‘Motorsport.com’, a Red Bull somente aceita fechar com a Ferrari se for para contar com o mesmo motor da equipe de fábrica. Entretanto, não se sabe se a decisão da fábrica italiana se deve a problemas logísticos ao preparar o equipamento e fornecimento aos outros clientes do ano que vem, leia-se, Sauber e Haas, ou por um temor de que a Red Bull possa superar a Ferrari dentro da pista usando o mesmo motor do time de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen.

Nervoso e irritado com a postura da Ferrari, Marko bradou contra a fábrica de Maranello. “Eles estão jogando conosco. Mas não queremos jogar por muito tempo. Nossa consideração em sair fora está sendo alimentada cada dia mais”, disse o austríaco em entrevista à revista alemã ‘Auto Motor und Sport’.

“Trata-se de uma péssima jogada nos oferecer as especificações do motor de 2015 quando, ao mesmo tempo, Sauber e Haas F1 vão receber as especificações do motor de 2016”, acrescentou.

Ainda de acordo com o ‘Motorsport.com’, mesmo com poucas esperanças de persuadir a Ferrari a mudar seu enfoque e lhe entregar os motores de 2016, a Red Bull tem uma carta na manga. Em desenvolvimento das novas unidades de potência, a Ferrari planeja pleitear uma prorrogação no prazo para a homologação, prevista para 28 de fevereiro. Para esta prorrogação aconteça, é preciso de um apoio unânime por parte das equipes.

Sem essa aprovação, a Ferrari terá de se juntar a Honda, Mercedes e Renault e assegurar a homologação até o prazo dado pela FIA. A Red Bull poderia optar por barrar esta unanimidade, o que deixaria o motor 2016 da Ferrari mais atrás em termos de desenvolvimento em relação ao que seria oferecido à própria Red Bull.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube