Villeneuve detona Leclerc por batida em Mônaco: “Não posso sentir pena dele”

Conhecido por não poupar palavras, Jacques Villeneuve, ex-piloto e campeão da F1 em 1997, foi severo ao avaliar o abandono de Charles Leclerc, em Mônaco: para ele, o culpado é o próprio monegasco

Depois de uma nova investigação na última segunda-feira (24), um porta-voz da Ferrari confirmou que o abandono antes mesmo da largada de Charles Leclerc, em Mônaco, foi ocasionado devido ao impacto que o monegasco sofreu ao colidir com o muro após o ‘S’ da Piscina na parte final do Q3. Depois da batida, Leclerc lamentou a chance perdida em desfrutar sua pole-position em sua casa.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

As lamentações, porém, não foram compartilhada por todos. Jacques Villeneuve, campeão da Fórmula 1 em 1997, é mais severo em seu julgamento. Para o canadense, a ausência do monegasco nas ruas de Monte Carlo foi causada por um fator único: ele mesmo.

“Leclerc não pode culpar ninguém além de si mesmo por isso”, disse Villeneuve. “Ele voou contra a parede no sábado, então não posso sentir pena dele”, seguiu.

Leclerc voltou para os boxes, no domingo (23), e sequer largou (Foto: Reprodução)

No entanto, ele entende o porquê a Ferrari correu o risco de não trocar a caixa de câmbio – item que, antes de uma investigação mais detalhada, era apontado como o responsável por tirar o #16 da prova. Uma troca forçaria Leclerc a perder cinco posições no grid.

“Pode-se correr esse risco porque ele começaria da pole-position em Mônaco. Foi uma aposta, mas uma aposta que valeu a pena” , relatou o canadense.

LEIA TAMBÉM
+Opinião GP: Red Bull aproveita fragilidade da Mercedes e acrescenta drama à luta do título

Na verdade, o problema aconteceu no eixo de transmissão, não inspecionado pelo fato de não fazer parte das verificações feitas para o tipo de impacto como o de Leclerc. “O surpreendente foi que, no final, não foi a caixa de câmbio que quebrou, mas houve um problema no com o eixo de transmissão, no lado esquerdo do carro”, concluiu Villeneuve.

Vale ressaltar que a Ferrari afirmou que revisará seus processos de verificação de componentes associados ao eixo de transmissão para garantir que esses problemas possam ser detectados no futuro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar