Jordan diz que Mercedes pode deixar F1 ao fim de 2018. Mas Wolff contra-ataca: “Especulação maliciosa”

Eddie Jordan acredita que a Mercedes vai fechar sua equipe de F1 ao fim de 2018, concentrando esforços no desenvolvimento de motores. Toto Wolff, chefe da escuderia, retrucou e disse que a informação “não tem qualquer base”

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A quarta-feira (7) amanheceu com um embate entre duas personalidades muito respeitadas da F1. Eddie Jordan, ex-chefe de equipe e atual comentarista de TV no Reino Unido, afirmou que existe a possibilidade de a Mercedes abandonar a equipe de F1 e concentrar esforços no desenvolvimento de motores. A declaração não caiu no gosto do chefe da esquadra alemão, Toto Wolff, que criticou a postura de Jordan.
 
“Talvez a Mercedes deixe a F1 ao fim de 2018”, disse Jordan, entrevistado pelo jornal alemão ‘TZ’. “Se eles lutarem por títulos em 2017 e 2018, acho que eles vão optar por vender a equipe e seguir na F1 apenas como fornecedora de motores. Eu faria o mesmo. A Mercedes se provou capaz de vencer tudo. Mas, daqui em diante, as coisas só podem piorar. Eu tive uma longa conversa com o Zetsche [chefe da Daimler, dona da marca Mercedes] em Mônaco, passei minhas ideias, e não fiquei com a impressão de que ele achou que estava errado. Mas é óbvio que ele não entrou em detalhes”, concluiu.
A chefia da Mercedes garante que a equipe segue na F1 (Foto: Steve Etherington/Mercedes)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Wolff não poupou palavras ao criticar as declarações de Jordan, que “fez festa demais” em Mônaco. O chefe de equipe reitera o compromisso da escuderia em um momento de transformação da F1.
 
“Mônaco é um lugar em que as pessoas gostam de fazer festas e parece que alguém fez demais. A informação não tem qualquer base e não reflete nada além de uma especulação maliciosa de um indivíduo. A Mercedes tem contratos sólidos até 2020 a respeito de sua participação na F1, e hoje está discutindo o próximo ciclo do esporte com os novos donos”, disse Wolff, através de comunicado.
 
A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube