Räikkönen critica tratamento após título pela Ferrari: “Pessoas te olham diferente”

Aposentado da Fórmula 1, Kimi Räikkönen lembrou diferença de tratamento que passou a receber após título de 2007 e admitiu surpresa por ser último campeão da Ferrari

MELHORES DO ANO 2021: VERSTAPPEN OU HAMILTON NA F1? MOTO, INDY, FÓRMULA E E MUITO MAIS

Com mais um campeão definido na Fórmula 1 em 2021, a Ferrari — equipe mais tradicional do grid — segue sem ter um piloto vencendo o título mundial com o carro vermelho desde Kimi Räikkönen, em 2007. Na época, o finlandês se sobressaiu à McLaren mais forte de Lewis Hamilton e Fernando Alonso, que entraram em uma espiral de confusões e deixaram o ‘Iceman’ se aproximar para garantir a taça. Aposentado da F1 desde o final da temporada, Räikkönen ressaltou a pouca variedade de campeões para ressaltar seu feito.

“Obviamente, é legal. É uma das razões pelas quais estamos todos aqui”, disse Räikkönen ao podcast Beyond The Grid. “Infelizmente, alguém ganha todo ano, e [se você olhar para] a história, há muitas das mesmas pessoas que pareciam estar ganhando a maioria”, explicou.

No entanto, apesar de se mostrar orgulhoso do que conseguiu alcançar, Räikkönen não sente que a conquista mudou sua vida. O finlandês destacou o fato de conseguir vencer especificamente pela Ferrari, algo que muitos pilotos que passaram pela F1 sempre sonharam. Mas não enxerga grandes mudanças, exceto pela forma como os outros passaram a lhe enxergar.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Último campeão da Ferrari, Kimi Räikkönen levantou seu único troféu da Fórmula 1 em 2007 (Foto: Ferrari)

“É algo que eu sempre quis fazer, e alcancei. E também com a Ferrari, acho que foi muito legal vencer com eles, definitivamente”, comentou Kimi. “Mas parece melhor no papel do que faz diferença na minha vida, de diferentes formas. Pessoas podem olhar para você de forma diferente porque você ganhou, mais do que se você perdeu. Não faz muito sentido”, opinou.

Räikkönen deixou a Ferrari no final da temporada de 2009 e decidiu passar dois anos fora da Fórmula 1, quando chegou a competir inclusive na Nascar. Após voltar à categoria pela Lotus, Kimi foi recontratado pela escuderia de Maranello em 2014, onde permaneceu até 2018. Nenhum outro piloto venceu o campeonato com a equipe desde 2007, o que surpreende o veterano de 42 anos.

“Sim, mas é como tudo aconteceu”, comentou ao ser questionado se sente surpresa por ser o último campeão da Ferrari. “Eles chegaram perto, algumas vezes. Mas quando eu saí em 2018, eu disse que desejava o melhor e esperava que mudassem isso cedo, mas ainda não aconteceu. Mas quem sabe, talvez no ano que vem ou em um futuro próximo [isso mude]”, afirmou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Kimi Räikkönen fez sua última temporada na Fórmula 1 em 2021, pela Alfa Romeo (Foto: Alfa Romeo)

O experiente finlandês já brigou pelo título da Fórmula 1 em outras oportunidades, inclusive pela Ferrari, mas 2007 acabou sendo mesmo o ano de sua única conquista. Agora aposentado da categoria, Räikkönen descartou ter qualquer arrependimento por não ter vencido outro campeonato.

“Eu não ligo, realmente”, disse. “Quero dizer, eu já disse antes que não mudaria nada, mesmo que pudesse. Não significaria que eu teria vencido mais corridas ou campeonatos, porque mude uma coisa e não acho que estaríamos aqui hoje. Então, minha vida provavelmente seria diferente. Eu tentei e falhei algumas vezes, mas isso faz parte do automobilismo”, encerrou o finlandês.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar