Räikkönen defende Mick Schumacher antes de estreia: “Não está na F1 pelo sobrenome”

Kimi Räikkönen correu com Michael Schumacher e agora vai ter a oportunidade de correr com Mick, filho do heptacampeão. E fez questão de defender o jovem alemão de possíveis críticas por conta dos laços familiares

A temporada 2021 da Fórmula 1 será marcada pelo encontro de diferentes gerações nas pistas. Na categoria desde 2001, e já com 41 anos, Kimi Räikkönen correu com o pai de Mick Schumacher, novato alemão de apenas 22 anos. E o finlandês espera que o jovem consiga se dar bem na F1 neste início de jornada.

Räikkönen, que correu contra Michael Schumacher no início do século, admitiu que vê semelhanças no estilo do heptacampeão e de Mick. E que está ansioso para ver o jovem piloto nas pistas nesta temporada.

“Vai ser empolgante ver como anda. Espero que tenha uma carro decente. Ele [Mick] me lembra muito seu pai, estou feliz por ele”, disse Räikkönen à Sky Sports.

Mick Schumacher leva o sobrenome eternizado pelo pai de volta à F1 após oito anos (Foto: Haas)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

O finlandês da Alfa Romeo ainda afirmou categoricamente que Mick mereceu uma vaga no grid da Fórmula 1 e que não está lá apenas pelos laços familiares. Em 2020, Schumacher foi campeão da F2 e conseguiu um assento na Haas para este ano.

Ao ser questionado sobre uma possível boa vontade com o alemão, Räikkönen pontuou que há, sim, mas “ele não está na F1 pelo sobrenome”.

Por fim, Räikkönen ainda comentou sobre o retorno de Fernando Alonso ao grid da F1 após dois anos de ausência. A volta do experiente espanhol fez o finlandês lembrar da pausa que tirou da categoria entre 2010 e 2012. “Sem aquele hiato, com certeza eu não estaria aqui falando sobre Fórmula 1. Acho que ele [Alonso], vai curtir muito”, concluiu.

GUIA F1 2021
Red Bull aposta em forasteiro Pérez e ameaça Mercedes com briga real na F1
Haas desiste de ‘sonho americano’ e aposta em novatos com foco em 2022
+ Perdidamente apaixonado pela F1, Alonso volta sabendo qual seu lugar no mundo
+ Russell quer Mercedes, mas antes tem de carregar Williams em reconstrução
+ Leclerc tem missão de liderar renovada Ferrari e manter Sainz sob controle

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube