F1

Kubica diz que má temporada da Williams não se deve à inexperiência de Stroll e Sirotkin: “O carro é difícil”

Reserva da Williams, Robert Kubica teve um papel importante para o desenvolvimento do carro deste ano e também auxiliou os pilotos da equipe, especialmente durante a pré-temporada. Só que a má performance do FW41 chama atenção. Ao falar do momento que o time atravessa, o polonês isentou Lance Stroll e Sergey Sirotkin de culpa pelos fracos resultados
Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
 Sergey Sirotkin (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Robert Kubica saiu em defesa da jovem dupla de pilotos da Williams. O polonês, que ocupa o cargo de piloto reserva e de desenvolvimento do time inglês, entende que a falta de experiência de Lance Stroll e Sergey Sirotkin não é a razão para a má performance da esquadra neste ano. O FW41 do time de Grove se apresentou errático. Após 20 etapas em 2018, a Williams conseguiu somar apenas sete pontos.
 
Em entrevista exclusiva ao GRANDE PREMIUM, Kubica revelou que não vê culpa na jovem dupla. “Com certeza, experiência ajuda, mas não há como apontar o dedo para eles por conta da falta de performance”, disse ao ser questionado se parte dos problemas se deve a inexperiência dos dois titulares.
Robert Kubica (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Ambos são realmente muito jovens. Sergey está apenas em sua primeira temporada na F1. Lance está em seu segundo ano. É muito difícil de julgar o desempenho de ambos ao longo do ano. No fim das contas, cada corrida é uma história diferente. É verdade que eles vêm ganhando muito experiência ao longo do ano, mas cada prova é uma nova história. Há pista que se adaptam melhor ao nosso carro, há pistas que não. O carro também muda muito, às vezes fica muito difícil de guiar”, completou.
 
“Há coisas assim que precisamos lidar. Mas, definitivamente, ao longo da temporada, o piloto vai se tornado mais completo. E se você fizer essa pergunta a eles, eles vão te dizer que sentem realmente mais confiantes depois de todas essas corridas neste ano.”
 
Kubica também reafirmou a relação com ambos é muito boa. “Tenho um bom relacionamento com os pilotos. Claro que, no início do ano, eu tive um peso maior e os ajudei mais. Nós trabalhamos muito juntos durante os testes da pré-temporada. Nós tentamos entender os problemas e solucioná-los. Ajudamos ambos no trabalho de conhecer bem o carro e entender as dificuldades. Eu tentei ajudá-los por meio da minha experiência e das sensações que tive ao guiar o carro também”, contou.

A entrevista completa com o polonês de 33 anos, o leitor encontra no GRANDE PREMIUM