Norris mostra preocupação com funcionários em longo calendário da F1: “Pesa muito”

Lando Norris expressou sua preocupação com o desgaste mental dos funcionários das equipes ao longo da temporada da Fórmula 1, especialmente distantes das famílias e com a sequência da pandemia de Covid-19 em todo o mundo

Acidente do líder, erro do campeão e vitória de Pérez: os melhores momentos do GP do Azerbaijão (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

A Fórmula 1 começou 2021 disposta a fazer o maior campeonato da história, com 23 corridas no calendário, mas alterações já aconteceram no meio do caminho. A última delas foi a saída do GP de Singapura, ainda sem substituição revelada. Para alguns pilotos, como Lando Norris, a demanda excessiva pode causar alguns problemas físicos e mentais.

“A Fórmula 1 está fazendo mais e mais, caminhando para o lado certo, mas 23 corridas não ajuda”, afirmou ao jornal The Guardian.

“23 corridas pesam muito. A quantidade de corridas é a única coisa que pode começar a impactar na equipe porque eles [funcionários] não veem muito a família, especialmente com a Covid e isolamento. Para mim, essa é uma das grandes questões”, seguiu o britânico.

Lando Norris em ação durante o fim de semana do GP do Azerbaijão (Foto: McLaren)


Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Em 2020, a McLaren anunciou uma parceria com uma associação especializada em saúde mental. Norris, na época, destacou a colaboração entre as duas partes e pontuou que poderia abrir caminho para qualquer um da equipe que tivesse problemas.

“Como time, há muita coisa em jogo agora. Não apenas para nós, pilotos, mas também para mecânicos e engenheiros porque estão distantes das famílias. Fazemos de tudo para manter as coisas em ordem como equipe, para avançarmos e conversarmos com quem for preciso, não para estar em silêncio”, disse o jovem piloto na época do anúncio.

A temporada 2021 da Fórmula 1 ainda promete algumas viagens ingratas para equipes e pilotos, como três rodadas triplas planejadas em diferentes continentes, além de uma viagem separada para a Austrália — inicialmente programada para abrir o campeonato — e uma sequência no Oriente Médio para fechar o certame. Guenther Steiner, chefe da Haas, foi um dos críticos dessa maratona: “Tudo é possível, mas há um limite do que você conseguir pedir para as pessoas fazerem”, declarou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar