Norris reclama que FIA “parece não ouvir” pilotos e quer papo sobre segurança em Miami

Lando Norris apostou que FIA vai aprender com erros, mas cobrou mais atenção ao que dizem os pilotos sobre segurança das pistas

O acidente de Carlos Sainz no TL2 em Miami (Vídeo: F1 TV)

Os pilotos da Fórmula 1 saíram do GP de Miami do último fim de semana incomodados com a FIA. O motivo é sobretudo segurança. Na sexta-feira de treinos livres, Carlos Sainz escapou no trecho anterior ao contorno da curva 14 e acabou enchendo o muro posterior com força. Após o pedido para que uma barreira de absorção de impacto fosse colocada no local, nada foi feito: no sábado, Esteban Ocon bateu ali ainda mais forte. Lando Norris cobrou respeito da FIA à opinião dos pilotos.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
Red Bull enfrenta a si mesma para virar de vez jogo contra Ferrari na temporada 2022

Norris avaliou que os pilotos conversarão sobre o assunto em Barcelona e, depois, vão falar também com a FIA. O sentimento, entretanto, é de decepção uma vez que tiveram a opinião totalmente ignorada em Miami. Após o acidente, Ocon revelou que o impacto da batida dele no sábado fora de 51G e questionou publicamente a falta de proteção.

“Vamos discutir entre os pilotos e com a FIA em Barcelona. Acho que vamos aprender com os erros, espero que eles aprendam”, apontou ao site inglês GP Fans.

Esteban Ocon bateu Alpine no TL3 do GP de Miami (Foto: Reprodução F1)
Paddockast #147: A Red Bull passou a Ferrari? O balanço da 1ª parte da F1 2022

“Como pilotos, entendemos as coisas de maneira diferente a quem não está guiando o carro. É importante que, quando a gente dê conselhos, sejam ouvidos e ações acabem tomadas, especialmente quando existem consequências maiores de faltar barreira de proteção que de ter uma barreira de proteção, algo tão simples”, seguiu.

“Aconteceu uma coisa, dissemos algo e nada foi feito. Aí, aconteceu de novo e foi ainda pior, então acho que precisam nos ouvir. Nós é que guiamos os carros, então sabemos mais que eles sobre algumas coisas e eles sabem mais que nós em outras. Precisamos trabalhar juntos com mais frequência. Neste momento, não parece que somos ouvidos”, afirmou.

Com a questão das barreiras tomando lugar ao mesmo tempo em que a FIA tentava se impor na questão das joias, Norris admitiu a impressão de que a federação escolheu ignorar os pilotos.

“Com algumas coisas, sim. Com uma questão bem grande de segurança neste fim de semana – e que custou caro para Esteban -, sim. Precisam agir mais com o que falamos”, finalizou.

A Fórmula 1 segue no fim de semana dos dias 20-22 de maio, em Barcelona, com o GP da Espanha.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar