F1

Latifi volta ao FW42 e substitui Russell no primeiro treino livre do GP da França de Fórmula 1

Depois de ter guiado o FW42 na abertura do fim de semana do GP do Canadá, Nicholas Latifi volta ao cockpit do carro da Williams nesta sexta-feira em Paul Ricard, desta vez no lugar de George Russell. Robert Kubica, por sua vez, deixa claro que não está focado no que vai fazer no futuro na F1

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A Williams vai ter novamente Nicholas Latifi a bordo do FW42 nesta sexta-feira (21), no primeiro treino livre do GP da França de F1, em Paul Ricard. O canadense, que acelerou em casa na sessão que abriu o fim de semana da etapa de Montreal, há duas semanas, desta vez vai pilotar o carro de George Russell. Robert Kubica completa o time no tradicional circuito francês.
 
O fim de semana marca também a disputa da quinta etapa da temporada 2019 da Fórmula 2. A categoria não corre há quase um mês, desde a rodada dupla disputada em Mônaco, no último fim de semana de maio. No Principado, Latifi não viveu uma boa jornada, marcou apenas dois pontos e viu Nick de Vries encostar na liderança. O placar aponta 95 pontos para Latifi contra 94 do holandês.
 
Ao comentar sobre a nova chance, Latifi falou também sobre poder acelerar tanto em um F1 como em um carro da F2 neste fim de semana.
Nicholas Latifi vai voltar a acelerar o FW42 nesta sexta-feira em Paul Ricard (Foto: Williams)
“Estou empolgado para continuar minha programação de TL1 com a equipe na França depois de um fim de semana bem-sucedido no Canadá. Montreal teve muitos aspectos positivos e estou ansioso para trabalhar em cima dessas experiências em Le Castellet. É uma pista bem diferente, com muito menos risco envolvido em razão da natureza do circuito, o que vai me dar confiança para acelerar mais forte”, disse.
 
“É também um fim de semana em que vou conciliar minhas tarefas na F2 com as corridas na F2, o que vai ser um desafio único. Estou mais do que pronto para isso e ansioso para o que vai ser um fim de semana bastante cheio”, complementou.
 
Filho de um bilionário canadense de origem iraniana, Latifi vem sendo apontado no paddock como candidato em potencial a assumir a vaga de titular da Williams no lugar de Kubica no ano que vem. Nesta semana, Daniel Obajtek, presidente da petrolífera PKN Orlen, patrocinadora do piloto polonês, não descartou uma eventual saída do piloto da equipe britânica.
 
“Este é um trabalho para Robert e a Orlen, e tudo está em cima da mesa. Nós temos possibilidades e muitas vezes falamos sobre este assunto. Muita coisa depende da direção que Robert vai tomar, afinal, ele tem um bom senso do esporte. Estamos considerando todas as possibilidades”, disse o executivo polonês em entrevista ao site local ‘Sport.pl’.
 
 Em contrapartida, Kubica prefere não ser abordar diretamente o que vai fazer na F1 a partir da próxima temporada.
 
“O que vai acontecer no ano que vem não depende só de mim. Vamos ver quais oportunidades vão aparecer e o que eu vou querer fazer. Não vejo nenhum ponto de interrogação, mas algo pode ficar comprometido se não for possível entregar a performance esperada. Não estou dizendo que este é o caso agora, mas esta situação pode acontecer”, disse o piloto ao falar sobre uma possível saída da Williams.
 
“Neste momento, não estou focado no futuro. Tenho vivido minha vida, algumas coisas tenho feito melhor, outras, pior, mas não é como se eu não fosse continuar. É muito cedo na temporada para dizer mais, a não ser que nem tudo depende de mim”, complementou.
 

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.