F1

Lauda mostra preocupação com avanço de rivais em 2016 e avisa: motor Ferrari já alcançou nível da Mercedes

Niki Lauda pensa que a Mercedes vai ter mais dificuldades para se manter na liderança em 2016. Segundo o dirigente, a Ferrari conseguiu resolver seus problemas de potência, enquanto os alemães não têm mais o que melhorar

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
O domínio da Mercedes na F1 pode estar perto do fim. E quem diz isso é um próprio dirigente da equipe alemã: Niki Lauda, presidente não-executivo da esquadra, avisou que as equipes adversárias se aproximaram bastante ao longo de 2015, exigindo um trabalho extra dos atuais campeões para se manter no topo.
 
Lauda chama atenção para a Ferrari, única equipe que conseguiu superar a Mercedes em 2015. Segundo o austríaco, o motor italiano já está no nível do alemão; tirando a diferença de potência que existia desde o começo do ano passado.
2016 nem chegou ainda, mas Lauda já está preocupado com a Ferrari (Foto: Mercedes F1)
“Foi preciso fazer muito progresso para nos sairmos melhores que a Ferrari nesse ano. Desde que introduziram uma atualização do motor em Monza, eu diria que nos alcançaram em termos de potência e eficiência. Os 20 cavalos extras de potência que tínhamos já eram. Agora, estamos no mesmo nível de potência. Temos certeza por causa das nossas referências”, disse Niki, falando à ‘Autosprint’.
 
Lauda também avalia que a situação da Mercedes, por si só, não tem como melhorar muito. O tricampeão do mundo avalia que o bólido alemão chegou a um nível tão alto de rendimento que simplesmente não tem mais como melhorar. As outras equipes, todavia, ainda vão melhorar bastante – enquanto os germânicos ficam estagnados.
 
“A situação vai mudar em 2016. Na F1, você não consegue sustentar sua superioridade técnica por muito tempo. Sabemos que os outros podem nos alcançar. Quando você está no limite da performance do regulamento, é difícil fazer grandes progressos, e isso é mais fácil para quem está atrás”, finalizou.
 
A Mercedes, apesar de ser mais desafiada por equipes adversárias, chega ao Brasil já com os títulos de Pilotos e Construtores garantidos.