F1

Leclerc cita oportunidades perdidas e diz que desempenho da Ferrari “não é tão ruim quanto a classificação”

Charles Leclerc ainda confia que a Ferrari tem o necessário para entrar numa briga com a Mercedes e vencer corridas. De acordo com o piloto monegasco, o carro é melhor que os resultados aparentam

Grande Prêmio / ERIC CALDUCH, de Barcelona / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
A Ferrari está num buraco na Fórmula 1. Após as primeiras quatro etapas do campeonato, já se vê 74 pontos atrás de uma Mercedes que emplacou dobradinhas em todas as provas. Segundo Charles Leclerc falou em entrevista em Barcelona, nesta quinta-feira (9), na qual o GRANDE PRÊMIO esteve presente, o carro não está tão atrás quanto a pontuação.
 
Leclerc lembrou que teve duas boas chances de vencer na temporada até aqui. No Bahrein a vitória estava encaminhada quando um problema afetou o motor e tirou a potência do carro; no Azerbaijão, onde Leclerc tinha ritmo para pole-position, bateu na fase final da classificação e acabou largando bem longe dos primeiros lugares. O ritmo de corrida foi impressionante, mas atacar as Mercedes ficou fora de cogitação.
 
"Em termos da performance, creio que ainda tem mais por vir e não acho que está tão ruim como a classificação do campeonato mostra. Tivemos duas oportunidades, numa eu cometi um erro e na outra tivemos um problema que incomodou a todos. Mostra que o desempenho está lá, só precisamos fazer tudo funcionar junto para utilizar todo nosso potencial", afirmou.
Charles Leclerc (Foto: Ferrari)
Questionado sobre a estratégia do GP do Azerbaijão, quando falou que gostaria de ter sido chamado para os boxes um pouco mais cedo, Leclerc deixou em segundo plano. Para ele, a situação era bastante difícil uma vez que havia largado com pneus médios, os melhores para ritmo de corrida, e que teria de andar com outro tipo no trecho final.
 
"Para ser completamente honesto, estávamos numa situação ruim, porque começamos a corrida com os pneus médios. Não tínhamos escolha. Se tivéssemos parado antes, ainda teríamos terminado a corrida com os pneus macios. Estávamos tentando conseguir um safety-car", seguiu.
 
Com relação às atualizações no motor Ferrari para o GP da Espanha, limitou o comentário a dizer afirmar que confia nos italianos. "Não sei por enquanto, sei que são melhorias e cofio na equipe. Mas o quanto eu não sei."