F1

Leclerc reage com Ferrari, destrona McLaren e faz melhor tempo dos testes de pré-temporada em Barcelona

A Ferrari arregaçou as mangas e resolveu quebrar marcas na manhã do sétimo dia de testes em Barcelona. Com pneu C5, mais macio de todos, Charles Leclerc sobrou e alcançou o tempo de 1min16s231. Alexander Albon, de Toro Rosso, foi segundo com 1min16s882
Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, do Circuito da Catalunha
A sequência de lideranças da McLaren na pré-temporada da Fórmula 1 chegou ao fim. Depois de dias com Lando Norris e Carlos Sainz no topo da tabela de tempos, Charles Leclerc teve a honra de brilhar com a Ferrari nesta quinta-feira (28). Um dia após ver o carro vermelho bater com Sebastian Vettel ao volante, consequência de problema mecânico, Leclerc deu um gás nos ânimos de Maranello com o tempo de 1min16s231.
 
O tempo de Leclerc, melhor de toda a pré-temporada até aqui, supera o de Sainz na quarta-feira com alguma tranquilidade. O tempo do espanhol era de 1min17s1 com pneus C4. Norris, com o C5, chegou a 1min17s0. Mesmo assim, Leclerc mostrou que ainda pode ir além com o composto mais macio da pré-temporada.
 
O segundo melhor tempo foi de um piloto que também entrou na casa do 1min16s. Alexander Albon, em um dia dos mais produtivos pela Toro Rosso, conseguiu 1min16s882 com os C5. Na briga particular do pelotão intermediário, o tempo do tailandês serviu como reação ao recente bom momento da McLaren.
Charles Leclerc sobrou na manhã catalã (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Norris, terceiro com 1min17s084, foi acompanhado de perto por Pierre Gasly. O francês, apostando no C5, conseguiu o tempo de 1min17s091. O top-5 ainda teve Nico Hülkenberg, também no C5, com 1min17s496.

O resto da tabela de tempos ainda teve Lance Stroll, Antonio Giovinazzi, Lews Hamilton, George Russell e Kevin Magnussen.
 
Sem qualquer paralisação por bandeira vermelha, a manhã foi das mais produtivas em termos de quilometragem. Hamilton, dono apenas do oitavo melhor tempo, somou 85 voltas, sendo o melhor no quesito. O segundo piloto com mais voltas foi Albon, com 75. Hülkenberg, 73, seguiu de perto. A Ferrari, que evitou dar muitas voltas nas primeiras horas da manhã, chegou aos 56.

O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.

Saiba como foi a manhã do sétimo dia de testes em Barcelona

O sétimo dos oito dias de testes da F1 começou com a McLaren sendo a primeira na pista. Lando Norris abriu os trabalhos, talvez na expectativa de deixar o carro alaranjado no topo da tabela de tempos pelo terceiro dia seguido. Mas ainda não havia jeito de saber, já que os primeiros 15 minutos de pista foram reservados para as já tradicionais voltas de instalação.
 
Lewis Hamilton foi o primeiro a anotar volta rápida, mas com o não muito representativo tempo de 2min01s. Alexander Albon, aparentemente andando com tanque cheio, começou a girar na casa de 1min22s, suficiente para ser líder.
Alexander Albon, segundo mais rápido (Foto: Reprodução/Twitter/F1)
O que se viu depois, com a pista esquentando, foi uma sequência de troca de líderes. Kevin Magnussen, Nico Hülkenberg e até mesmo Lance Stroll conseguiram aparecer na liderança em algum momento. Os tempos ainda estavam distantes do 1min17s1 de Sainz no sexta dia de testes, o que servia de indicativo do potencial que as equipes ainda tinham para melhorar.
 
Enquanto isso, a Ferrari seguia quieta nos boxes. A equipe italiana, recuperada do forte acidente de Sebastian Vettel, resolvia algumas coisas antes de permitir que Charles Leclerc fosse à pista. Foi só na parte final da primeira hora que Charles ganhou autorização, anotando o tempo de 1min19s032, suficiente para aparecer em quarto na classificação.
 
Quem também dava passos adiante – mas mais convincentes – era Hamilton. Estava na cara que o tempo de 2min01s não ia durar muito: no término da primeira hora, o britânico conseguiu 1min18s097 suficiente para desbancar o então ponteiro Alexander Albon por 0s3.
 
A vantagem de Hamilton cairia mais nos minutos seguintes. Primeiro Hülkenberg apareceu em segundo com o tempo de 1min18s229, já 0s13 mais lento. Leclerc também melhorou um pouco, aparecendo com 1min18s344 e se reafirmando em terceiro.
 
Até que a vantagem de Hamilton se foi por completo. Pierre Gasly, com pneu C3 – mais macio que o C2 de Lewis –, conseguiu o tempo de 1min17s911. Eram quase 0s2 de vantagem do francês. Apesar de indicar que a Red Bull está de fato em desvantagem contra a Mercedes, servia como sinal de uma briga mais apertada do que a de 2018.
 
A liderança ainda trocaria de mãos mais vezes. Lando Norris conseguiu o tempo de 1min17s838 com os pneus C3. Um tempo que causa uma impressão bastante positiva, considerando que a McLaren não precisou usar os ainda mais macios C4 e C5. Só que Lando não era o único capaz de andar rápido – Nico Hülkenberg fez 1min17s496, apesar de apelar para o C5, composto mais macio de todos. Mesmo assim, ficava a impressão de que a Renault ainda não tinha chegado ao ápice de performance.
 
Os tempos ainda cairiam mais. Albon, com os mesmos C3 de Norris, chegou aos 1min17s480 e virou líder. Talvez isso tenha irritado a McLaren, porque o carro laranja voltou à pista com o C5 e conseguiu nada menos do que o tempo de 1min17s084 – o melhor da pré-temporada até aqui. Gasly, com C4, chegou muito perto de tomar tal posição, alcançando o tempo de 1min17s091 e se contentando com a segunda posição.
Lando Norris é mais um que usou e abusou do C5 (Foto: McLaren)
Enquanto isso, a briga pela condição de piloto com mais voltas ganhava um líder inesperado. Magnussen foi o primeiro a alcançar a marca de 50 voltas, indicando um terceiro dia seguido de muita confiabilidade na Haas. Hamilton, Hülkenberg e Albon tinham uma briga boa pela condição de segundo melhor, todos na casa dos 40 giros. A Ferrari, por sua vez, era melhor apenas que a Williams.
 
A última hora de atividade na manhã começou com o que aparentava ser uma abordagem diferente da McLaren. Norris começou a fazer voltas consideravelmente mais lentas, na casa de 1min23s, indicando simulação de corrida. No fim das contas, seria difícil fazer algo melhor em termos de voltas voadoras.
 
Eis que alguém se dispôs a mostrar que era possível fazer melhor em voltas rápidas. Albon, com os mesmos C5 de Norris, fez 1min16s882. Na briga do pelotão intermediário, era uma reação importante da Toro Rosso contra a McLaren.
 
Mas não seria suficiente para ser o mais rápido do dia. Charles Leclerc recebeu a missão de dar as primeiras voltas da Ferrari com o pneu C5. O monegasco foi evoluindo aos poucos, logo chegando ao convincente tempo de 1min16s361, o melhor da pré-temporada com sobras. Não contente, o dono do carro #16 ainda melhorou mais um pouco, para 1min16s231, ainda com C5. Charles chamava atenção por seguir empilhando voltas rápidas em um momento da manhã, pelo menos para as outras equipes, focado em simulações com tanque mais cheio.

F1 2019, Barcelona, testes de pré-temporada, dia 7, manhã:

1 C LECLERC Ferrari 1:16.231   54
2 A ALBON Toro Rosso Honda 1:16.882 +0.651 75
3 L NORRIS McLaren Renault 1:17.084 +0.853 63
4 P GASLY Red Bull Honda 1:17.091 +0.860 44
5 N HÜLKENBERG Renault 1:17.496 +1.265 70
6 L STROLL Racing Point Mercedes 1:17.556 +1.325 37
7 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:17.639 +1.408 49
8 L HAMILTON Mercedes 1:18.097 +1.866 85
9 G RUSSELL Williams Mercedes 1:18.130 +1.899 45
10 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:18.199 +1.968 53