Hamilton cobra que redes sociais façam mais em combate ao racismo e considera boicote

Lewis Hamilton talvez deixe suas redes sociais sem atualizações, assim como outras entidades esportivas do Reino Unido. O britânico relembrou que precisou de tempo até conseguir lidar com mensagens de tom odioso que recebe do público

O fim de semana reserva um boicote de parte do mundo esportivo às redes sociais. O motivo é a presença ininterrupta de comentários racistas da parte do público, que não são combatidos de forma eficiente pelas plataformas. Lewis Hamilton, apesar de ainda não confirmar se de fato vai participar do movimento, deixou sua opinião clara: o trabalho feito para coibir mensagens de ódio ainda não é bom o suficiente.

“Para mim é claro, e certamente nesse esporte também, que o racismo continua sendo um problema”, disse Hamilton. “Sinto que as plataformas de redes sociais precisam fazer algo para combater isso. Então, eu apoio completamente a iniciativa. Se fazer isso [boicote] coloca pressão nas plataformas a fazer algo a respeito disso [racismo], então eu certamente ficaria feliz de participar”, destacou.

O boicote em questão nasceu no futebol britânico, com jogadores, equipes e campeonatos deixando redes sociais sem atualizações entre sexta-feira (30) e segunda-feira (3). O pioneiro na ação foi o clube Swansea City, que três semanas atrás abriu mão das redes sociais por mensagens em tom abusivo contra certos jogadores. O movimento cresceu, agora contando com representantes do críquete e do rugby, outros dois grandes esportes do Reino Unido.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

LEWIS HAMILTON; MERCEDES; GP DA EMÍLIA-ROMANHA; ÍMOLA;
Lewis Hamilton é alvo de racismo nas redes sociais (Foto: Mercedes)

A situação fez Hamilton refletir sobre mensagens racistas que recebeu no passado. Foi só com o tempo que o piloto da Mercedes aprendeu a lidar com as redes sociais.

“Eu fui alvo de abusos muito, muito tempo atrás. Eu era mais novo, lendo redes sociais como muitas pessoas fazem e tentando interagir com as pessoas. Só que houve um tempo em que eu precisei entender que você não pode ler cada comentário, que você não pode levar para o lado pessoal. Se você deixar essas coisas te afetarem, é algo que pode acabar com seu dia. Eu acredito que as companhias de redes sociais precisam fazer mais. Temos algoritmos, coisas que eles conseguem ver e passos que eles podem dar para ajudar na criação de uma sociedade antirracista. É nessa direção que precisamos ir. Não sei os detalhes, mas fico feliz de ver tanta gente se envolvendo. Não sei porque a Fórmula 1 não faz parte disso”, encerrou.

Hamilton está em Portugal, casa da Fórmula 1 neste fim de semana. A categoria realiza a terceira corrida da temporada 2021 em Portimão, com Lewis tentando defender a liderança no Mundial de Pilotos, onde tem apenas 1 ponto de vantagem sobre Max Verstappen.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube