Liberty Media volta foco para novo formato do fim de semana da F1 e mira corrida de classificação para atrair fãs

A ideia dos novos donos da F1 é renovar o fim de semana de competições para tornar a categoria mais atraente aos novos fãs. A ideia principal é dedicar os sábados a uma sessão classificatória e, em seguida, à corrida de classificação, que formaria o grid de largada para o GP propriamente dito. Ainda está no radar a adoção de uma inspeção técnica pública na sexta-feira, que teria também os dois únicos treinos livres da etapa. A informação é da revista alemã ‘Auto Motor und Sport’

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Depois de mexer na chamada ‘perfumaria’ e mudar o aspecto visual da F1, desde o novo logo até música-tema oficial e vinheta de abertura das corridas, o Liberty Media planeja ir além e transformar o formato de cada fim de semana de GP. A principal meta dos novos donos do esporte está em atrair novos fãs, sobretudo aos da chamada ‘geração YouTube’, acostumados a vídeos mais curtos. Assim, a F1 busca um formato mais curto e também mais dinâmico, o que compreenderia uma grande mudança principalmente aos sábados, quando a empresa pretende adotar uma corrida de classificação, sprint — mais curta —, que serviria para definir o grid de largada no domingo. A informação é da revista alemã ‘Auto Motor und Sport’ nesta segunda-feira (2).

 
A publicação germânica traça um paralelo com o críquete e lembra do formato Twenty20, ou T20, uma variação da forma original do esporte criada na Inglaterra, em 2003. O T20 reduziu de forma drástica a duração das partidas e a tornou mais atraente para a televisão e os novos fãs, ganhando muita popularidade entre os amantes da modalidade. Da mesma forma, o Liberty Media também planeja um formato mais enxuto e dinâmico da F1 para atrair e renovar seu público.
 
O novo formato compreenderia uma mudança significativa às sextas-feiras, dia em que o Liberty Media planeja introduzir uma inspeção técnica pública, aberta aos fãs, ideia inspirada na Nascar. No mesmo dia, seriam realizados os dois únicos treinos livres do fim de semana no período da tarde, com duração de uma hora cada. No formato atual, acontece um treino livre pela manhã e outro à tarde, com 90 minutos de sessão, além de um terceiro treino, realizado na manhã de sábados, com duração de 60 minutos.
A ideia do Liberty Media é tornar o novo formato da F1 mais atraente ao fã da 'geração YouTube' (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Toto Wolff, em entrevista à ‘Auto Motor und Sport’, aprova a inspeção pública. “Não entendemos todo esse jogo de esconde-esconde com os carros. Há milhares de fotos em circulação, e é por isso que podemos mostrar nossos carros”, declarou o chefe da Mercedes.
 
A grande mudança no formato dos finais de semana seria prevista mesmo para os sábados, um dia dos mais empolgantes para os fãs. O dia começaria com a classificação com o formato já conhecido e consagrado. A sessão determinaria a ordem de largada para a corrida de classificação, a ser disputada no mesmo dia. Uma corrida de ‘tiro curto’, de 100 km, sem limitações em termos de combustível ou pneus para que os pilotos busquem o limite. O resultado da prova definiria o grid de largada do GP propriamente dito, no domingo.
 
Uma das questões a respeito do novo formato diz respeito ao limite de motores. Com um dia a mais em que as unidades de potência seriam levadas ao limite, há dúvidas se a limitação de três propulsores por ano para cada um dos pilotos é viável.
 
Dentre as sugestões dadas por Toto Wolff, uma é sobre a classificação, com a ideia de premiar o pole com um ponto extra, bonificação há tempos adotada pela Indy. “Por que não damos pontos para o resultado da classificação? Pode haver equipes que busquem uma volta rápida e preparem seus carros em consequência disso, defendendo sua posição na corrida”, salientou o dirigente austríaco.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Por outro lado, Niki Lauda, presidente não-executivo da Mercedes, fez uma ponderação quanto à duração dos GPs que, na sua visão, são longos demais em determinadas situações. “Por que não se estabelece uma duração máxima para as corridas? Digamos 100 ou 90 minutos. As corridas de duas horas em Singapura e em Mônaco são difíceis de vender de não acontece nada durante duas horas”, ponderou.

 
Nesta semana, o Liberty Media vai se reunir com as equipes de F1 em Sakhir, palco do GP do Bahrein, para discutir e detalhar o novo regulamento de motores para 2021. Espera-se que outras novidades também sejam postas em debate pelos novos gestores do esporte.
"RIDÍCULO E LEVIANO"

AJUDA DELIBERADA DA HAAS À FERRARI? NÃO FAZ SENTIDO ALGUM

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube