F1

Logo atrás de Grosjean em acidente com bueiro, Massa lembra de mola na Hungria: “Tive sorte dessa vez”

Romain Grosjean acertou a tampa de um bueiro no segundo treino livre da F1 na Malásia e sofreu um forte acidente. O que foi ruim para o francês poderia ser ainda pior para Felipe Massa, que vinha logo atrás e temeu ser acertado – assim como aconteceu na Hungria em 2009, quando foi vítima da mola do carro de Rubens Barrichello

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre


Felipe Massa acredita que teve sorte nessa sexta-feira (29) de treinos livres na Malásia. Quando Romain Grosjean atingiu a tampa de um bueiro e sofreu um forte acidente, o brasileiro vinha logo atrás – e, ao contrário do que aconteceu na Hungria em 2009, conseguiu escapar sem ser atingido por nada.
 
“Tive sorte dessa vez e nada voou no meu carro”, disse Massa, entrevistado pelo site ‘Motorsport.com’. “Também é bom ver que o Romain não teve nenhum problema no acidente. Acho que a FIA precisa tomar conta da situação e garantir que esse tipo de coisa não aconteça novamente”, seguiu.
 
Caso a tampa de bueiro voasse após o acidente de Grosjean, Massa ficaria em uma situação perigosa. “Eu era o carro logo atrás. A primeira coisa que eu pensei foi que eu já tive uma mola na cabeça. Um bueiro seria um pouco demais”, brincou.
Uma tampa de bueiro solta representou grande perigo no TL2 da F1 em Sepang (Foto: Reprodução)

Massa faz referência ao acidente mais grave da carreira. No treino classificatório do GP da Hungria de 2009, uma mola se soltou da traseira da Brawn de Rubens Barrichello. A peça acertou Felipe em cheio, causando lesões que o afastariam das pistas pelo resto da temporada.
 
Pelo menos na Malásia, quem levou a pior foi Grosjean. O francês foi vítima das circunstâncias e acabou com o carro seriamente danificado.
 
“Eu estava na minha trajetória e de repente senti algo batendo no meu pneu traseiro direito. Quando fui ver já estava sem o pneu, rodando e indo contra o muro. Espero que as tampas dos bueiros fiquem nos seus lugares amanhã”, lamentou.

Por conta da bandeira vermelha, Massa avaliou que é difícil julgar a condição da Williams, uma vez que não conseguiu completar seu long-run.
 

“Não foi uma ótima sessão nesta manhã no molhado, por conta de um problema hidráulico que tivemos com o carro”, contou. “Aí, de tarde, não conseguimos muito tempo de pista, pois fiz duas saídas, mas estava começando meu long-run quando teve a bandeira vermelha”, seguiu.
 
“Ficou feliz que Grosjean não tenha se ferido no incidente. Eu estava bem atrás dele, então vi o que aconteceu”, comemorou. “É difícil dizer onde estamos no momento, porque perdemos muitas voltas hoje. Têm muitos times lutando em uma janela pequena, então vamos ter ver como vai ser amanhã”, finalizou.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 na Malásia AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.

TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO